WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Black Friday 30%OFF nos cursos online 15% OFF nos cursos em livro+DVD + 5% OFF extra no cartão de crédito

Governo deve aplicar até R$ 2 bilhões para financiar a estocagem de etanol

O objetivo é garantir o fornecimento durante a entressafra

 

 Na entressafra, acontece uma queda na oferta de cana e por isso os preços sobem.

Por meio de uma Medida Provisória, o governo pode liberar R$ 2 bilhões no financiamento da estocagem de etanol. Esta é uma medida preventiva contra a escassez do produto no período da entressafra, que ocorre entre dezembro e março. Nesta época, o preço costuma subir bastante pela falta do combustível ou porque muitas usinas preferem produzir açúcar.

A medida deve entrar em vigor essa semana, mas ainda precisa ser analisada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para determinar quais serão as taxas de juros. A informação foi dada em anonimato, entretanto a fonte afirmou que a origem do dinheiro não está acertada, por enquanto,  mas deve vir do Banco do Brasil ou do BNDES.

Segundo a fonte do governo, outra MP deve ser criada para resolver o problema da oneração da cadeia produtiva do etanol. O objetivo é estimular o crescimento da produção. No entanto, ela ainda está em discussão. Outra medida para conter o preço do etanol deve entrar em vigor este mês: a redução de 25% para 20% de acréscimo obrigatório na gasolina.

Essa redução poderia ser maior, para 18%, de acordo com a legislação brasileira. Mas o ministro de minas e energia, Edison Lobão, afirmou que o governo acredita que a safra 2012/2013 seja igual a atual, portanto, a redução pode aumentar a oferta no mercado.

O professor Juarez de Souza e Silva, do curso Produção de Álcool Combustível na Fazenda, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, explica que a safra 2011/2012 foi prejudicada pelo clima, que causou danos à produção agrícola. Além disso, o canavial brasileiro envelheceu e não se investiu em novas plantas nas últimas safras.

Por: Maria Clara Corsino.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!