WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Esquenta Black Friday 25%OFF nos cursos online

Fruticultura brasileira cresce 19% em oito anos

Um dos fatores de crescimento foi o investimento dos produtores em tecnologia

 

Em 2001, eram 113 kg/hab/ano, chegando a 125 kg/hab/ano em 2009.

Segundo dados do IBGE, a produção brasileira de frutas cresceu 19% entre 2001 e 2009. Os resultados do consumo também foram bons. Em 2001, eram 113 kg/hab/ano, chegando a 125 kg/hab/ano em 2009.

Na avaliação do técnico da Coordenação-Geral para Pecuária e Culturas Permanentes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Gustavo Firmo, o crescimento se deu com a melhora de produtividade e rendimento. “Certamente, os produtores investiram em tecnologia ao longo desses  anos. Isso melhorou bastante a produtividade da maioria das culturas”, diz.

Procurar conhecimentos sobre solo, adubação, irrigação e combate a pragas e doenças otimiza a produção e potencializa os lucros. De acordo com professor Luiz Inácio, doutor do Departamento de Ciência do Solo da USP, o agricultor moderno deve empregar tecnologias adequadas e específicas às condições da área a ser cultivada. “O produtor deve administrar eficientemente todas as operações, do plantio até a comercialização da produção colhida na safra. Esses são requisitos básicos para que um empresário agrícola obtenha sucesso na atividade rural”, acrescenta o professor no curso Análise de Solo e Recomendações de Calagem e Adubação, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas.

Outro fator que explica o bom desempenho do setor é o preço. “Quando você agrega as frutas todas, algumas puxam o IPCA para baixo. Na média, o preço das frutas ao consumidor não impactou tanto quanto era de se esperar. Se o consumidor final está tendo acesso a frutas a um preço razoável e o restante da cadeia tem ganhado, isso é muito bom”, analisa o técnico do ministério.

Mesmo no ano de 2010, com a valorização do real, que desestimulou um pouco a exportação e estimou a importação, de acordo com o Firmo, o cenário é positivo. “O saldo da balança foi menor, mas o fluxo comercial foi recorde, US$ 1,44 bilhão, no país”, pondera.

Por: Ariádine Morgan

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!