Exploração da Amazônia pode e deve ser feita a partir do manejo sustentável

Aplicação de tratamentos silviculturais potencializam os benefícios ambientais, econômicos e sociais da maior floresta tropical do mundo

 

O manejo florestal sustentável é a melhor solução para a exploração racional dos recursos da floresta Amazônica.

 

Projetos de manejo florestal sustentável vêm sendo adotados na exploração da Amazônia. De acordo com o decreto governamental que regulamentou essa exploração, o manejo sustentável consiste na administração da floresta para a obtenção de benefícios econômicos e sociais, respeitando os mecanismos de sustentação do ecossistema.

O manejo implica em uma exploração cuidadosa, de impacto ambiental reduzido. A aplicação de tratamentos silviculturais potencializa a regeneração da floresta e faz com que cresça outra colheita. O monitoramento controla a regeneração e ajuda o manejador na tomada de decisões técnicas e comerciais.

Exemplo disso é o caso dos mais de 350 projetos de manejo licenciados no Pará. Nesse estado, o madeireiro retira poucas árvores em um ciclo de vários anos, e por meio de um sistema de rodízio ele poderá explorar a madeira indefinidamente com a floresta em pé, ou seja, sem causar danos ambientais à floresta. Destaque também é a preservação da mata, que se torna lucrativa a longo prazo, o que pode melhorar a vida dos agricultores da região.

De acordo com a professora e pesquisadora Danielle Gomes Ferreira, no curso Reposição Florestal – Como Conservar Recursos Naturais com Rentabilidade, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, “esse manejo possui inúmeras vantagens. Dentre elas, pode-se destacar o aumento da matéria orgânica do solo, o controle de erosão, por reduzir impactos das chuvas e o escorrimento superficial, a diversificação na produção, a eliminação de ervas invasoras, a proteção de fontes e bacias hidrográficas e a redução de temperaturas extremas do ar, solo e folhas.”

Explorando a floresta racionalmente e com impacto reduzido, é possível voltar a cortar madeira em 30 anos, contra os 60 anos ou mais da exploração convencional. A maior parte da exploração madeireira na Amazônia ainda é praticada de forma destrutiva, focada numa visão comercial e imediatista. Hoje, 80% da exploração é feita de forma ilegal em áreas onde a retirada das árvores não foi previamente autorizada.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Cursos Relacionados

Curso Reposição Florestal Curso Reposição Florestal

Com Prof. Pesquisadores da EMATER

R$ 446,00 à vista ou em até 12x de R$ 37,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Técnicas de Avaliação de Impactos Ambientais Curso Técnicas de Avaliação de Impactos Ambientais

Com Prof. Dr. Elias Silva

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Restauração Florestal em Áreas de Preservação Permanente e Reserva Legal Curso Restauração Florestal em Áreas de Preservação Permanente e Reserva Legal

Com Prof. Dr. Sebastião Venâncio

R$ 480,00 à vista ou em até 12x de R$ 40,00 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Mais Notícias sobre diversas áreas do conhecimento

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade