WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Entenda as diferenças entre escova progressiva e definitiva

Ambas prometem cabelos lisos por muito mais tempo

 

 A escova definitiva não danifica os cabelos, mas é preciso ter muita certeza antes de fazer o procedimento. Foto: reprodução/ R7.

As técnicas de alisamento vêm evoluindo desde o início dos anos 90, mas duas delas caíram no gosto das mulheres que alisam os fios. As chamadas escovas progressivas e escovas definitivas prometem cabelos lisos por muito mais tempo. Mas, qual é a diferença entre elas?

As várias versões da escova progressiva alisam os cabelos temporariamente. O produto forma uma película em torno do fio, deixando-o liso, macio e brilhante. O procedimento é feito utilizando-se uma chapa bem quente. Aos poucos, o produto vai saindo com as lavagens e o fio começa a enrolar.

O grande problema da progressiva é que, como o cabelo ficou muito tempo coberto, ele perde melanina e queratina, ficando mais ressecado e sem brilho do que antes do procedimento. Assim, as mulheres costumam se viciar, por ter a impressão de que a progressiva hidrata e dá brilho novamente.

Já a escova definitiva muda a estrutura do fio, o que não ocorre na progressiva. O produto abre as cutículas e depois a chapinha as fecha, alisando os cabelos. A japonesa é a mais comum e também a mais indicada. Ela é feita à base de tioglicolato de amônia e hidratantes naturais. Como o nome indica, o processo é definitivo, por isso é preciso ter muita certeza de que pretende ficar com os cabelos lisos permanentemente.

Quanto ao preço, a progressiva leva vantagem por ser mais barata. Ela custa entre R$ 100 e R$ 300, enquanto a definitiva custa entre R$ 400 a R$ 700. No entanto, é preciso ter cuidado, pois a maioria dos produtos usados para a progressiva são proibidos no Brasil por causa do formol. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proíbe concentrações acima de 0,2%. O formol pode causar danos graves à saúde.

Por: Maria Clara Corsino.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!