WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Cresce procura pela equiterapia

Público é atraído por efeitos rápidos proporcionados pelo tratamento

 

 A equiterapia pode ser feita para desenvolver as capacidades motoras de quem não tem nenhum problema de saúde. Foto: reprodução.

Os cavalos são animais de grande porte, robustos mas ao mesmo tempo muito dóceis. A relação entre eles e o homem vem de longa data, mas é com a equiterapia que ela ganha uma dimensão de maior proximidade. Já faz algum tempo que os cavalos são usados para o tratamento de doenças neuromotoras, deficiências e na reabilitação de pessoas com algum trauma no sistema nervoso.

Agora, no entanto, a equiterapia vem sendo procurada para tratar outros problemas, como estresse, depressão e dificuldades de relacionamento. Mesmo quem não tem dificuldades de locomoção procura a técnica como forma de aliviar as pressões do dia a dia e estimular as funções cerebrais. A terapia pode enviar até 2.000 estímulos para o cérebro em apenas uma sessão.

Para diferenciar do trabalho de reabilitação, esta prática vem sendo chamada de equitação lúdica, mas o princípio é o mesmo da equiterapia. Ao adaptar o corpo para se ajustar aos movimentos do cavalo, os nervos ligados aos nossos movimentos corporais enviam sinais nervosos que estimulam a produção de novas células nervosas.

Assim, as pessoas em reabilitação conseguem regenerar partes paralisadas do cérebro ou reativá-las. Além disso, acaba sendo bem mais prazerosa a prática de um tratamento ao ar livre e o próprio vínculo criado com o animal ajuda a reduzir o estresse e problemas emocionais decorrentes de traumas ou do próprio dia a dia.

Os efeitos da equiterapia para o bem-estar do paciente podem ser sentidos logo nos primeiros contatos com o animal. Já os efeitos de reabilitação física costumam ser notados com cerca de 12 sessões. O ideal é uma sessão semanal, com duração de 30 minutos. O tratamento pode custar aproximadamente R$ 500 por mês e é oferecido por clínicas e haras especializados.

Por: Maria Clara Corsino.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!