COP 21- você sabe o que é?

Começou nesta segunda-feira, dia 30 de novembro, a COP 21 - Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas

Pegada de carbono

 

Para aqueles que querem se atualizar sobre os últimos acontecimentos no mundo, começou nesta segunda-feira, dia 30 de novembro, a COP 21 - Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas. Trata-se de um grande evento internacional, que está sendo realizado em Paris, no qual presidentes e chefes de estado de 223 países tentam acelerar um tratado de corte de CO2 lançado na atmosfera, evitando que as ações humanas continuem aquecendo o planeta e provoquem mudanças no clima. A intenção maior é não permitir que o planeta estoure sua cota de carbono limite, colocando em risco toda a vida na terra.

Qual é o principal objetivo da COP 21?


O mais importante dentre os seus objetivos da COP 21 é tentar se chegar a um acordo global sobre as mudanças climáticas, para entrar em vigor em 2020. Em resumo, pretende-se unir esforços a fim de diminuir a emissão de gases de efeito estufa. Com isto, diminui-se o aquecimento global e, em consequência, limita-se o aumento da temperatura global em 2ºC até 2100.

De quanto é a cota limite de CO2?


Estudos e pesquisas comprovam que os países não podem emitir mais de 500 bilhões de toneladas de carbono no ar. Cientistas do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) afirmam que é necessário impedir que a temperatura média anual da Terra cresça mais que 2 ºC até 2100. Desobedecer esta teto fará com que o planeta se aqueça a um nível bastante perigoso, com consequências catastróficas, como a elevação do nível do mar, secas extremas, extinção de espécies, redução da produção de alimentos e queda na oferta de água doce.

Como é possível reduzir a emissão de gases na natureza?


A redução de emissões pode ser feita de duas formas:

1- Mudando a geração de energia por meio do petróleo e do carvão para fontes renováveis, como a energia eólica, solar e os biocombustíveis;

2- Parar o desmatamento, já que ele liberá CO2 no ar.

Quem são os maiores responsáveis pela emissão de gases na atmosfera?


Os países ricos. A maior parte do carbono encontrado no ar foi e ainda está sendo emitida por eles desde o século IX.

Os países em desenvolvimento, então, não têm responsabilidades sobre o efeito estufa?


Pelo contrário. Os países em desenvolvimento já emitem o dobro do CO2 dos outros. Entre esses países, destacam-se o Chile e a Índia. Diante desse quadro, os países em desenvolvimento (entre os quais o Brasil) que até agora não assumiram obrigações de redução de emissões vão ser submetidos a fortes pressões para participarem do esforço global.

O que pode dar errado na concretização dos planos da COP 21?


Se todos os países fizerem a sua parte, investindo em energia limpa, o mundo inteiro se beneficia. O grande problema, porém, está naqueles que só cumprirão sua cota de esforço se os outros também o fizerem, dando início a um grande jogo de empurra. Ao final, ficam apenas as promessas que, por sua vez, não são suficientes para deter o aquecimento.

A COP 21 se diferencia de outros tratados em quê?


Ao contrário do fiasco estabelecido no Protocolo de Kyoto, por exemplo, que aconteceu em 1997 e incluía apenas os países desenvolvidos na tarefa de reduzir a emissão de gases no ar, na COP 21 todas as nações terão obrigação de fazer a sua parte. A estas alturas, cada um já entregou um relatório à conferência determinando quanto e como pretende cortar suas emissões de gases que provocam o aquecimento global. Para se ter ideia, Estados Unidos e China, juntos, representam mais de 50% das emissões de gases de efeito estufa e a eles se junta a União Europeia.

O que o Brasil vai propor na COP 21?


O Brasil, até 2025, pretende jogar 37% menos gases na atmosfera do que fazia em 2005. Até 2030, a redução será de 43%. Mesmo que insuficiente para evitar que o aquecimento ultrapasse 2ºC, ainda é muito quando comparado aos Estados Unidos, por exemplo, que apresentaram meta bem menor: reduzir entre 26% e 28%  a emissão de gases até 2025.

Como o Brasil pretende cumprir sua meta?


A grande aposta brasileira está em reestruturar o setor agropecuário, responsável pela emissão de 37% de gases responsáveis pelo aquecimento global, além evitar novos desmatamentos para a criação de área de cultivo ou criação de gado. Entre as medidas já anunciadas, está a recuperação de 15 milhões de hectares de pastos degradados e a introdução em 5 milhões de hectares do sistema de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), até 2030. Para atingir a meta, abaixo algumas propostas do governo brasileiro:

- Zerar o desmatamento ilegal na Amazônia até 2030;

- Restaurar 12 milhões de hectares de florestas até 2030;

- Restaurar 15 milhões de hectares de pastagens degradadas até 2030;

- Inserir 5 milhões de hectares de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) até 2030.


Por Silvana Teixeira.
Fontes: Globo Rural, G1, Sócio Ambiental e Carta Capital.

Salvar

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Cursos Relacionados

Curso Energia Solar para o Meio Rural Curso Energia Solar para o Meio Rural

Com Prof. Nelson Maciel

R$ 486,00 à vista ou em até 12x de R$ 40,50 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Energia Eólica - Para Geração de Eletricidade e Bombeamento de Água Curso Energia Eólica - Para Geração de Eletricidade e Bombeamento de Água

Com Prof. Antônio Leite

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso de Integração Lavoura, Pecuária e Eucalipto Curso de Integração Lavoura, Pecuária e Eucalipto

Com Prof. Dr. Lino Ferreira e Prof. Dr. Sílvio Nolasco

R$ 596,00 à vista ou em até 12x de R$ 49,67 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Mais Notícias sobre diversas áreas do conhecimento

Últimos

Mais Lidos