WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Comidas do Norte são genuinamente brasileiras

Formada a partir dos recursos naturais, a gastronomia do Norte foi influenciada por um povo que aqui vivia antes da colonização: os índios

Há pratos em Belém que se saboreiam como o índio os deglutia quatro séculos atrás, como o pato no tucupi e o tacacá.

Há pratos em Belém que se saboreiam como o índio os deglutia quatro séculos atrás, como o pato no tucupi e o tacacá.

Todas as culinárias regionais são, em grande parte, feitas dos ingredientes locais e circunstâncias que envolveram sua formação. Com as comidas do Norte, não é diferente, graças às extraordinárias e, muitas vezes, únicas ofertas de produtos alimentícios disponibilizados pela natureza local.

O ato de comer nessa região é uma experiência ímpar. De forma diferente do que aconteceu em outros locais, nos quais os hábitos culinários das três raças que compõem o povo brasileiro, índio, negro e branco, se mesclaram, no Norte prevaleceu o modo de cozinhar dos índios. Nesse aspecto, há quem considere as comidas típicas do Norte como genuinamente brasileiras, pois foram as que se formaram com recursos naturais, influenciadas por um povo que aqui vivia antes da colonização.

De acordo com o professor de gastronomia Eji Tomimatsu, no curso Cozinha Brasileira, desenvolvido pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, “apesar de ser constituída por sete estados, a gastronomia do Norte é, praticamente, determinada pelos hábitos e costumes dos seus maiores estados: Amazonas e Pará”.

As comidas da Amazônia, tradicionalmente, são compostas por três ingredientes: os animais aquáticos (peixes, jacarés e tartarugas), as aves que se alimentam dos peixes (patos e marrecos) e a farinha de mandioca.

As comidas do Pará apresentam uma gastronomia mais exótica e pouco conhecida por muitos brasileiros. Há pratos em Belém que se saboreiam como o índio os deglutia quatro séculos atrás, como o pato no tucupi e o tacacá.

Apesar de toda autenticidade indígena, atualmente, a comida paraense tem mostrado influências de fora. O pato no tucupi é temperado de véspera em vinha d'alhos, como não se fazia antigamente. Mas, é justamente com esses arranjos e misturas que a culinária do Pará vai se tornando cada dia mais mestiça, mais brasileira, mais nossa.

Por: Ariádine Morgan

 

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!