WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Black Friday 30%OFF nos cursos online 15% OFF nos cursos em livro+DVD + 5% OFF extra no cartão de crédito

Café: cresce o número de consumidores e de sacas produzidas

Para 2011, a ABIC projeta um crescimento de 5,0% em volume, o que elevaria o consumo para 20,27 milhões de sacas

Com esse aumento, o brasileiro se aproxima do consumidor alemão, que possui o índice de 5,86 kg por habitante/ano.

O consumo per capita de café torrado no Brasil atingiu marca histórica e quebrou o grande recorde registrado há 45 anos. Em 2010, o IBC – Instituto Brasileiro do Café - registrou o volume de 4,81 kg por habitante.

Com esse aumento, o brasileiro se aproxima do consumidor alemão, que possui o índice de 5,86 kg por habitante/ano. A Alemanha já superou os valores da Itália e França, que são grandes consumidores de café. Os campeões, entretanto, ainda são os países nórdicos – Finlândia, Noruega, Dinamarca – com um volume próximo dos 13 kg por pessoa/ano.

O mercado interno da produção de sacas também se ampliou. No período de novembro de 2009 a outubro de 2010, foram industrializadas 19,13 milhões de sacas de 60 kg, o que representa um crescimento de 4,03% em relação ao mesmo período do ano anterior. Esta taxa é mais do que o dobro do aumento médio do consumo mundial de café.

O sucesso do produtor moderno na cafeicultura ocorre em função de vários fatores: redução nos custos de produção, aumento na produtividade e, principalmente, a busca constante por melhor qualidade, que é a garantia da conquista de novos mercados consumidores. Além disso, a qualidade é o fator determinante no preço de venda do produto.

Segundo o professor Dr. Juarez de Souza e Silva, no curso Colheita, Preparo e Armazenagem de Café, desenvolvido pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, “as portas do mercado para cafés de baixa qualidade estão se fechando. Por isso, o produtor brasileiro que pretende ter na cafeicultura o seu principal objetivo deverá se especializar e adotar tecnologia moderna para a produção de cafés de qualidade superior”.

Para 2011, a ABIC projeta um crescimento de 5,0% em volume, o que elevaria o consumo para 20,27 milhões de sacas. As vendas do setor em 2010 atingiram R$ 7,0 bilhões e a entidade estima que cheguem a R$ 7,5 bilhões em 2011.

“Com a economia brasileira sendo impulsionada em 2011 e as boas previsões que se fazem para o crescimento do PIB, do consumo das classes C, D e E, mais a previsão de que as classes A e B poderão crescer 50% até 2015, é natural que o consumo do café siga crescendo”, avalia Natal Martins, diretor de pesquisas da ABIC.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!