WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

#fiqueemcasa Vamos nos unir nessa corrente: só o conhecimento constrói o amanhã!

Arroz e feijão ajudam a controlar a glicemia

A dupla típica da culinária brasileira é rica em vitaminas, fibras e proteínas

 

O arroz e o feijão juntos contêm a maioria dos nutrientes necessários em uma refeição.

Presentes nas refeições da maioria dos lares brasileiros, o arroz e o feijão não só formam uma dupla saborosa como são muito nutritivos, inclusive ajudam a evitar várias doenças. Uma pesquisa da Universidade Federal de Alagoas avaliou o consumo de alimentos de pessoas hipertensas e diabéticas.

Segundo o estudo, quase metade do grupo não come arroz e feijão. Dos demais, um terço não consome a quantidade certa. A nutricionista Sandra Vasconcelos afirma que esses alimentos são ricos em nutrientes, relativamente baratos e acessíveis, mas têm sido deixados de lado por causa de outros bem menos interessantes do ponto de vista nutricional.

A especialista explica que o arroz e o feijão são ricos em sais minerais, proteínas, vitaminas, fibras e carboidratos em quantidades suficientes para a alimentação. As proteínas existentes neles servem para substituir aquelas existentes na carne, se forem consumidas em uma quantidade adequada. O ideal é ingerir uma porção de feijão para duas de arroz.

Juntos eles reduzem as chances de uma pessoa desenvolver doenças cardiovasculares e controla a glicemia. Isso, de acordo com Sandra Vasconcelos, acontece porque a fibra do feijão é capaz de conter o consumo do carboidrato do arroz, fornecendo a energia necessária ao organismo sem prejudicá-lo.

Mas, para que esses efeitos aconteçam, é importante ter atenção para a qualidade dos alimentos. É o que defende a nutricionista Rose Pereira de Deus, professora do curso Alimentação Saudável para Diabéticos, desenvolvido pelo CPT – Centro de Produções Técnicas. Ela explica que, se os alimentos estiverem estragados ou com uma qualidade muito inferior, podem prejudicar a absorção dos nutrientes.

Por: Maria Clara Corsino.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!