WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Black Friday 30%OFF nos cursos online 15% OFF nos cursos em livro+DVD + 5% OFF extra no cartão de crédito

Anvisa muda regras para produtos light

Produto só poderá ser considerado light se tiver redução de algum nutriente em comparação a outro semelhante

 

 Lácteos e outros alimentos só pderão ser considerados light em comparação a outro produto. Foto: reprodução.

Muita gente tem dúvida sobre a diferença entre um produto diet, zero e light. Este último então, é o que costuma causar mais confusão. Existem regras sobre a composição de cada tipo de produto, mas de fato, cada fabricante acaba estabelecendo um critério próprio para a quantidade dos ingredientes.

Para padronizar as regras brasileiras às de outros países, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), resolveu adotar novas normas. Segundo a resolução do órgão, um produto só pode ser considerado light em relação a outro, que seja considerado a versão tradicional.

No caso de produtos lácteos, por exemplo, para serem considerados light, os produtos deverão ter pelo menos 25% a menos de gordura total ou saturada, 25% menos açúcar, 25% menos sódio ou colesterol e 25% menos valor energético.

Segundo a nova regra, mesmo os produtos que tenham menos gordura ou açúcar por opção do fabricante, e que atualmente são considerados light, só poderão continuar com esta nomenclatura se tiverem um produto de referência.

Neste caso, eles poderão ter outras informações na embalagem indicando que são menos calóricos ou gordurosos ou tem a adição de algum nutriente, como “com reduzido teor de gordura”, “sem gorduras trans”, “sem adição de sal” ou “ rico em vitaminas”, entre outros.

Mas a recomendação dos nutricionistas e da própria Anvisa é que o consumidor leia a tabela nutricional antes de comprar um produto. Pois existem algumas versões light que podem ter menor quantidade de açúcar ou gordura saturada, mas conter algum ingrediente tóxico como é o caso de muitos adoçantes dietéticos.

As novas regras para os alimentos light serão obrigatórias a partir de 2014 em todo o Mercosul.

Por: Maria Clara Corsino.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!