WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Fale com uma Especialista
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

A renúncia do Papa e o exercício da liderança

O fato do Papa deixar o cargo máximo da igreja católica nos leva a pensar o quanto a posição de líder pode ser complexa

O papa renunciou ao cargo e pegou todos de surpresa

Bento XVI renunciou ao cargo de Papa. Foto: Reprodução.

Recentemente, uma notícia pegou a todos de surpresa, o Papa Bento XVI renunciou a seu cargo. Um ocorrido dessa natureza não acontecia desde 1415, quando o Papa Gregório XII também abdicou do posto de maior representante da religião católica.

O Papa afirmou que se encontrava em um estado frágil, devido à sua idade avançada (85 anos), e não se sentia forte o suficiente para lidar com as exigências físicas e mentais de que o papado necessitava.

Alguns rumores afirmam que o real motivo da saída do Papa é que ele não concordava com alguns fatos que ocorriam no papado. Atos que subvertem os princípios cultuados pela Igreja Católica poderiam estar acontecendo de maneira desenfreada, e os agentes seriam os próprios membros da igreja. Até mesmo casos de pedofilia foram citados como possível ocorrência na igreja católica.

 

Desconfianças à parte, o fato é que o Papa alemão Bento XVI sucumbiu ao posto e, com isso, criou-se a necessidade da escolha de um novo Papa. Após um breve período de expectativas, os membros do conclave chegaram a uma decisão e nomearam o argentino Jorge Mario Bergoglio como o novo Papa, Francisco.

 

O fato logo causou diferentes impressões na sociedade. Uma parcela dos brasileiros ficou um pouco frustrada, primeiro porque esperavam que um papa brasileiro pudesse vir a ser nomeado. Segundo, porque a nacionalidade do novo papa foi mais um combustível para a competição excessiva com nossos “hermanos”, oriunda do futebol e que, em certos momentos, desnecessariamente, alastra-se para “outros campos”.

Os europeus certamente ficaram estarrecidos com a escolha de um pontífice do continente americano, mais precisamente de um país que não pertencia ao primeiro mundo.

O argentino Jorge Bergoglio assumiu o posto de novo papa como Francisco . Foto: Reprodução.

Surgiram também rumores que o novo Papa escolhido tivera, no passado, relações com guerrilheiros de governos totalitários. Inúmeras correntes de pensamento vieram à tona. Verdade é que o Papa tem se mostrado espirituoso, carismático e carrega com si conceitos interessantes sobre vários temas.

Mas o ponto onde quero chegar não está na profundidade das questões do papado, mas sim na ideia de líder. A escolha do Papa tratou-se da escolha de um novo líder. Liderança esta de grandeza mundial. O posto de Papa é um cargo de dimensão global e é algo que deveria ser escolhido de forma criteriosa. Muita responsabilidade estava agregada a essa escolha. Mas teve de ser feita.

Chegamos então às seguintes questões: Como escolher o líder adequado em meio a tantas opções, tendo ainda de lidar com um ambiente conflituoso? Quais os critérios que devem ser mais considerados para essa escolha? Você, nesse exato momento, estaria pronto para assumir a condição de líder de algo significativo? Se não, o que estaria faltando? Se sim, o que o leva a crer nessa resposta afirmativa?

São perguntas que nos levam a conhecer a nós mesmos e o autoconhecimento é fundamental para o sucesso. Nossas escolhas devem ser coerentes com nossos conceitos, condizentes com nossas virtudes.

No caso do papado, ilustra-se bem o que muitas vezes ocorre no mundo empresarial. Chega um momento em que um líder sucumbe a seu posto. Por diversos motivos, a liderança não se faz presente de forma vitalícia na vida das pessoas. Sim, até mesmo o líder fraqueja. A liderança cansa, a liderança desgasta e, por isso, mais cedo ou mais tarde o dom e o talento de exercê-la é suprimido.

Quando cito a palavra sucesso, certamente, o que lhe vem a mente são as pessoas que executaram feitos grandiosos ou os grandes empresários, donos de vastos patrimônios. Apesar disso, o sucesso pode ser alcançado pelo simples fato de estar em plena paz interior. Talvez fosse simplesmente isso que o ex-Papa procurava.

Conheça os cursos da área de Gestão Empresarial e da área de Desenvolvimento Pessoal e veja mais sobre esses assuntos.

 

Por: Victor Monteiro Lopes

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Sérgio Antônio dos Santos

25 de mar. de 2013

Parabéns Victor. A matéria foi muito bem escrita. E que Deus nos ajude em nossa caminhada sendo como líderes ou como liderados.

Resposta do Portal Cursos CPT

25 de mar. de 2013

Olá, Sérgio!

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!