WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Fale com uma Especialista
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

O Discurso do Rei (2010)

O filme, foi o recordista em estatuetas na premiação do Oscar, onde ganhou categorias importantes como Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Ator

O Discurso do Rei

O filme Discurso do Rei (The King's Speech), conta a história do príncipe do Reino Unido, Albert Frederick Arthur George (Colin Firth) - pai da atual rainha da Inglaterra, Elizabeth II - que possui um grave problema de gagueira e não consegue falar em público.

Ao virar rei, depois de seu irmão abdicar o trono, Albert se vê obrigado a procurar um terapeuta vocal, Lionel Logue (Goeffrey Rush), que com métodos não muito convencionais passa então a tentar ajudar o Rei George VI.

Pelo tema sisudo e roteiro centrado em diálogos, o Discurso do Rei, daria um filme classicista, não fosse pelo uso extremamente competente da linguagem cinematográfica para ajudar a contar todas as aflições vividas pelo rei Albert. O diretor do filme Tom Hooper conta com a ajuda do diretor de fotografia Danny Cohen, para mostrar de forma primorosa a sensação de desconforto e a inadequação do monarca com o seu problema de cagueira.

Da mesma forma que funcionou muito bem para mostrar a sensação de inferioridade do rei, a câmera funciona igualmente exemplar ao mostrar o outro lado da moeda, Lionel Logue, um inadequado de outro tipo - fonoaudiológo nada ortodoxo que tem a tarefa de ensinar Albert a expressar-se com clareza. O embate de ideias (e de educação) é fundamental ao filme.

Também, podemos perceber no filme o quanto Hooper é extremamente feliz ao criar a atmosfera de ameaça vindoura da Segunda Guerra. O grande antagonista do filme é o microfone - o inimigo a ser tornado aliado -, mas o eloquente Adolf Hitler também faz uma rápida aparição. A cena em que o Rei Albert o observa discursando, franjinha em desalinho devido ao esforço teatral, é quase cômica. As proverbiais nuvens que prenunciam tempestades também surgem na forma de uma sequência na névoa distante, em que paciente e terapeuta brigam sob uma opressiva luz difusa.

Por fim, doloroso ou não, a história não poderia ter sido contada de forma mais elegante que no filme. Vale a pena assistir e se emocionar!

Lançamento: Fev/2011.

Gênero: Biografia, Histórico, Drama.

Nacionalidade: Reino Unido.

Direção: Tom Hooper.

Produtor: Emile Shermam, Iain Canning.

Elenco: Colin Firth, Helena Bonham Caqrter, Derek Jacobi, Geoffrey Rush, Jennifer Ehle, Timothy Spall, Guy Pearce, Michael Gambon.


Por Ana Carolina dos Santos.

Fontes: Omelete, Adoro Cinema, Críticas de Filmes, Cinema Aqui.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!