WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Qualificação em turismo rural - diferenças entre guia de turismo e condutor ecológico

O guia de turismo auxilia na organização da viagem, além de cuidar da condução dos turistas ao local de origem. O condutor ecológico é o profissional que conhece os caminhos no atrativo natural

Qualificação em turismo rural - diferenças entre guia turístico e condutor ecológico

 

Tanto o guia de turismo como o condutor ecológico são úteis nas viagens, mas eles têm suas especificidades. O guia de turismo é um profissional que auxilia na organização da viagem, além de cuidar da condução dos turistas entre o local de origem ou aeroporto, até os diversos atrativos naturais, hotéis, museus, restaurantes e outros locais. Já o condutor ecológico é o profissional que conhece os caminhos no atrativo natural. Este atua na localidade (cidade, parque, fazenda, RPPN).

Um exemplo prático é um grupo de turistas que gostaria de conhecer cavernas. O guia de turismo, especializado em atrativo natural, conhece várias áreas para levar esse grupo. Porém, ao escolher uma área, o grupo precisará de um condutor ecológico. Este conhece todas as trilhas locais, suas condições de segurança, onde os animais podem ser vistos, além de outras particularidades culturais e ambientais da região.

O desconhecimento das reais funções do condutor ecológico, em Unidades de Conservação, faz com que estes exerçam a função de guias de turismo ou até mesmo como intermediários entre o turista e determinada agência de viagens. No entanto, o papel do condutor foi criado, também, com o intuito de dar oportunidades para os condutores do entorno das Unidades de Conservação, e assim, criar-se um agente propagador de ações socioambientais, voltadas à sua comunidade e região, além de criar oportunidade de trabalhar em diferentes segmentos, como educação ambiental, pesquisa, organização comunitária e o manejo sustentável.

Os condutores ecológicos não têm sua função protegida por lei. Essa ocupação foi criada como forma de integrar a população do entorno das UCs. Dessa forma, os condutores, geralmente, têm um grau de escolaridade menor que o exigido para a função, sem precisarem fazer os mesmos cursos que os futuros guias, pois esses cursos custam caro para o padrão de vida que essas pessoas mantêm.

Já os guias de turismo têm sua profissão reconhecida por lei e, dependendo da sua formação, são classificados como guias regionais, guias de excursão nacional, guias de excursão internacional, especializados em atrativos naturais e especializados e atrativos culturais.

A função do condutor ecológico da Unidade de Conservação é basicamente a mesma função do guia especializado em atrativo turístico. Ambos devem prestar informações técnico-especializadas sobre determinado tipo de atrativo. No caso do condutor ecológico, este somente trabalha com atrativo natural, a Unidade de Conservação.

Guia de turismo é uma profissão reconhecida pela Lei 8.263, de 28 de janeiro de 1993, que determina que os guias exerçam as atividades de acompanhamento, orientação e transmissão de informações a pessoas ou grupos, em visitas, excursões urbanas, municipais, estaduais, interestaduais, internacionais ou especializadas.

Já a profissão condutor ecológico não é legalizada, porém, sua função é oficializada somente no Estado de São Paulo pela Secretaria do Meio Ambiente, pela resolução da SMA/SP-32, de 31 de março de 1998, que regulamenta a visitação pública e o credenciamento de agências, guias, operadoras e condutores ecológicos para ecoturismo e educação ambiental nas Unidades de Conservação do Estado.

Como a origem da condução ecológica está associada à necessidade de envolver moradores e comunidades vizinhas, visando a uma integração entre a comunidade local e o turismo, não há um custo direto ao monitor ambiental pela capacitação, que é organizada e supervisionada pelas Unidades de Conservação, e ministrada por entidades responsáveis. Geralmente, há parcerias entre ONGs e Unidades de Conservação para a realização dessa capacitação, devido à falta ou à insuficiência de verba por parte do Estado.

O conflito entre os dois profissionais se dá no fato de que o condutor ecológico, em São Paulo, exerce a mesma função do guia especializado em atrativo natural, ou seja, em conduzir somente dentro do atrativo, nesse caso a Unidade de Conservação. Mas o condutor pode estar conduzindo fora do atrativo, o que não lhe cabe, pois essa é função de outro tipo de guia de turismo, o guia regional. Este tem como sua atividade a recepção, o traslado, o acompanhamento, a prestação de informações e assistência a turistas, em itinerários ou roteiros locais ou intermunicipais de uma determinada unidade de federação.

Aprimore seus conhecimentos, acessando os Cursos CPT, da Área Turismo Rural e Ecológico, entre eles o Curso Qualificação de Profissionais para o Turismo Rural, elaborados pelo Centro de Produções Técnicas.

Por Silvana Teixeira

Salvar

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Felipe Desidério Estivil Bustos

10 de mar de 2018

Muito bom. Os cursos tem certificados São válidos pelo Ministério do Turismo?

Resposta do Portal Cursos CPT

12 de mar de 2018

Olá Felipe,

Os cursos possuem certificados e para mais informações nossas consultoras entrarão em contato.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!