WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Fale com uma Especialista
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Tudo o que você precisa saber sobre rinotraqueíte felina

A transmissão da rinotraqueíte felina ocorre no contato do gato sadio com a saliva e o corrimento nasal ou ocular de gatos contaminados

Tudo o que você precisa saber sobre rinotraqueíte felina

A rinotraqueíte felina apresenta sintomas parecidos com a gripe humana. Por esse motivo, a doença é chamada gripe felina, o que é um equívoco, pois os agentes patógenos dos sintomas em gatos e humanos são distintos. Nos bichanos, a doença é causada por Herpesvírus felino, Calicevírus felino e Chlamydophila felis (bactéria). Já nos humanos, a gripe é causada pelos vírus Influenza, que compreendem os tipos A, B e C.

Transmissão


A transmissão da rinotraqueíte felina ocorre no contato do gato sadio com a saliva e o corrimento nasal ou ocular de gatos contaminados. Como os bichanos se lambem continuamente, a rinotraqueíte é uma doença com alto grau de contágio.

Bebedouros, comedouros, roupinhas, caminhas e brinquedos contaminados também disseminam a doença. Quando o gato é contaminado pelos agentes patógenos, ele pode transmiti-los a outros animais por 3 a 4 semanas.

Sintomas


Os sintomas da rinotraqueíte felina são muito semelhantes aos sintomas da gripe humana. Os principais são apatia, febre, prostração, inapetência, conjuntivite, secreção nasal e espirros.

Tratamento


O tratamento da rinotraqueíte felina visa melhorar a imunidade do animal para que seu organismo combata a infecção. Primeiramente, o bichano tem de se manter hidratado. Para isso, o seu tutor deve observar se o pet está bebendo água adequadamente.

Outro cuidado é com a nutrição, que fortalece a imunidade do animal. Para isso, o tutor deve fornecer ao pet uma dieta balanceada, com os nutrientes essenciais à manutenção da boa saúde. Se o gato sentir dificuldade de se alimentar, o médico veterinário prescreverá suplementos vitamínicos.

Em casos mais avançados da doença, o médico veterinário prescreverá antibióticos, que devem ser ministrados da forma correta para combater os agentes patógenos. Com todas essas ações, a recuperação do bichano será rápida. Vale destacar que a rinotraqueíte felina é uma doença autolimitante, ou seja, que apresenta decurso específico e limitado, com começo, meio e fim.

Prevenção


A vacinação é a melhor medida preventiva contra a rinotraqueíte felina. A vacina polivalente imuniza satisfatoriamente o gato contra os três agentes patógenos causadores da doença (Herpesvírus felino, Calicevírus felino e Chlamydophila felis). Ela deve ser ministrada no gato ainda filhote (com até 16 semanas de vida), com reforço após um ano.

Mesmo que a imunização não previna a doença completamente, ela fortalece o sistema imunológico do animal. Se ele for contaminado, os sintomas serão bem mais leves. Além disso, a vacinação impede a disseminação da doença.

Conheça os Cursos CPT da Área Pet:

Primeiros Socorros para Cães e Gatos - Parada Respiratória e Cardíaca, Desmaios, Estado de Choque e Convulsões

Primeiros Socorros para Cães e Gatos - Principais Acidentes

Alimentação Natural para Cães e Gatos - Específico para Tutores

Fonte: petz.com.br

Faça já o Download Grátis
Faça já o Download Grátis Pet - saiba tudo sobre raças e cuidados

Basta preencher os campos abaixo para receber o material por e-mail:

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!