WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Alimentação natural de cães e gatos: o que evitar?

Alguns alimentos são potencialmente perigosos e até mesmo tóxicos para o organismo dos animais. Além disso, comida crua pode ser fonte de transmissão de agentes infecciosos

Alimentação natural de cães e gatos: o que evitar?   Artigos Cursos CPT

 

 

Alguns alimentos são potencialmente perigosos e até mesmo tóxicos para o organismo dos animais. Segundo Ana Carolina G. Provezano, professora do Curso CPT Alimentação Natural para Cães e Gatos, “A alimentação natural deve ser sempre cozida. Não dê comida crua para o seu animal, pois isso pode ser fonte de transmissão de agentes infecciosos.”

Observe a lista a seguir, saiba quais são esses alimentos, as restrições ao prepará-los e porque fazem mal ao seu pet:


1. Osso
Não devemos oferecer osso, mesmo que cozido, para cães e gatos. O perigo está na indigestão devido à textura, sobretudo, do osso de galinha. Esse é um tipo de osso considerado pneumático, poroso internamente que, ao se romper, cria pedaços que podem obstruir ou perfurar o trato gastrointestinal de cães e gatos.

2. Espinafre
Possui alta concentração de ácido oxálico. Ao ser ingerido por cães e gatos, forma cristais de oxalato de cálcio que, quando acumulados nos rins, podem ocasionar futuras lesões renais.

3. Maçã
Pode ser oferecida, desde que as sementes e o meio da maçã sejam removidos. As sementes e a parte mais esbranquiçada do interior da maçã são ricas em ácido cianídrico que se torna um potente veneno, e pode ocasionar prejuízos irreversíveis ao organismo dos animais.

4. Carambola
É o mesmo caso do espinafre, pois se trata de uma fruta rica em ácido oxálico que pode provocar a ocorrência de cristais nos rins.

5. Uva e passas
Ainda não se sabe a substância da uva ou da uva passa que causa vômito e diarreia em cães e gatos. Por isso, deve-se evitar a fruta, seja in natura ou processada.

6. Pera
É o mesmo caso da maçã, pode ser oferecida, desde que as sementes e o meio da pera sejam removidos, devido à concentração de ácido cianídrico.

7. Chocolate
Além de conter grande concentração de açúcar e gordura, é um alimento que não deve ser oferecido de forma alguma para os animais devido à presença do cacau. Quanto mais puro for o chocolate, maior será a porcentagem de cacau utilizada na sua fabricação. O cacau possui uma substância denominada teobromina que causa vômito, diarreia e taquicardia.

8. Cebola
Sabe aquele petisco de carne que leva bastante cebola frita e não resistimos em oferecer para nossos animais? Esse hábito deve ser impedido a partir de agora. A cebola possui uma substância denominada n-propil de sulfato que pode causar anemia em cães e gatos.

9. Batata inglesa
Pode ser oferecida se for descascada e cozida. Também devemos retirar a parte central da batata onde deveria haver a semente. A batata inglesa apresenta alta concentração de solanina que é capaz de prejudicar o sistema nervoso central e provocar transtornos gastrintestinais.
Cozinhar a batata em micro-ondas ou em vapor não elimina a solanina.

10. Feijão
Alimento de excelente qualidade, porém deve ser servido somente cozido e sem adição de tempero. Durante o preparo do feijão, é preciso descartar a água do molho, enxaguar o feijão, para então colocá-lo para cozinhar com água limpa e fresca. O feijão cru possui uma substância denominada ácido fítico ou fitato. Essa substância permanece na água em que o feijão ficou de molho. Em contato com o organismo do animal no processo de digestão, o fitato forma um veneno que pode levar o animal a óbito.

11. Alho
Entrar como um temperinho na alimentação natural de cães e gatos, porém, deve-se tomar cuidado com a quantidade, já que, em excesso, causa gases e anemia. Ofereça o alho de forma segura, isto é, uma fatia bem fininha (lâmina de 1 cm) para tempero, duas vezes por semana.

12. Macadâmia
Ainda não se sabe qual a substância capaz de intoxicar cães e gatos através da ingestão de macadâmia. Contudo, sua reação no corpo do animal é capaz de causar vômitos, diarreia e paralisia nos membros posteriores no período de 12 a 48 horas.

13. Abacate
É uma excelente fonte de ácidos graxos essenciais. Sua polpa pode ser oferecida como alimento, porém, apenas a polpa. A semente, casca e folhas do abacate contêm pectina, um derivado de ácidos graxos que pode causar vômitos, diarreia e obesidade em cães e gatos.

Conforme foi visto, alguns alimentos, ainda que naturais, apresentam restrições e propriedades altamente tóxicas para cães e gatos. Por isso, ao planejar a dieta, siga as orientações mencionadas nessa lista. Tome as precauções necessárias para excluir ou limitar a ingestão desses alimentos no cardápio dos animais e oriente os proprietários a manter os itens mencionados fora do alcance físico dos animais de estimação.

Aprimore seus conhecimentos sobre o assunto. Leia a(s) matéria(s) a seguir:


- Quer seus cães e gatos saudáveis? Alimentação natural neles!
- Alimentos Naturais para Cães e Gatos: monte você o cardápio

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos a Distância CPT da área Pet.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!