WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Como iniciar a sericicultura

A criação de bicho-da-seda é limpa, simples e depende de pouca mão de obra

A nobreza dos tecidos de seda data de muitos anos. Durante o Império Romano, por exemplo, o valor da seda era equivalente ao do ouro. Nomeada de sericicultura, a criação de bicho-da-seda para a produção desse tipo de tecido é uma atividade que vem ganhando cada vez mais espaço no mercado nacional devido à alta demanda do setor têxtil por esse produto. Leve, brilhante e macia, a seda é, ainda hoje, um dos tecidos mais nobres. Algumas das vantagens relacionadas à cultura do bicho-da-seda são a limpeza dos locais de criação e a simplicidade dos procedimentos de manejo.

Como ser um sericicultor

As folhas da amoreira são ricas em proteína, substância essencial para a produção da seda. Foto: reprodução

No curso Criação do Bicho-da-Seda, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, o professor Alfredo Alcides Goicochea Huertas, do Departamento de Biologia da Universidade Federal de Viçosa, explica quais são os procedimentos necessários para a cultura da amoreira, planta da qual os bichos-da-seda se alimentam; como devem ser as instalações de criação desses animais; quais são os equipamentos necessários; como fazer o manejo e quais são os procedimentos industriais.

Importância das amoreiras

O primeiro passo para investir na sericicultura é plantar amoreiras, pois é o principal alimento dos bichos-da-seda. As folhas da amoreira são ricas em proteína, substância essencial para a produção da seda. Algumas das condições ideais para o plantio dessa espécie arbórea são: altitude entre 400m e 800m, variação de temperatura entre 20°C e 30°C, precipitação pluviométrica, insolação, geadas e ventos. Antes de partir para a plantação, é fundamental selecionar o tipo de amoreira a ser cultivada. As espécies mais comuns são: calabresa, miura, kori e formosa.

Espécies de amoreiras

Produção de mudas por estaquia

Huertas sugere que o empreendedor observe atentamente algumas características durante a escolha da espécie:
– Plantas precoces e sadias;
– Resistência à variação climática;
– Adaptação a diferentes tipos de solo;
– Resistência a doenças;
– Longevidade;
– Produção de folhas;
– Espessura, consistência e teor de nutrientes das folhas.

As amoreiras necessitam de um manejo preciso e cuidadoso devido à tendência a ter a quantidade e a qualidade diminuídas consideravelmente ao longo dos anos. Assim, é preciso um investimento permanente em adubações e demais tratos que se façam necessários.

Mudas de amoreiras

O solo, o clima, os tratos culturais e a largura dos equipamentos utilizados determinam o espaçamento dos pés de amora

De acordo com o professor, a propagação de mudas pode ser feita através de mergulhia, enxertia e estaquia. Esta é a mais utilizada pelos sericicultores. Pode-se conseguir as estacas em galhos que tenham mais de um ano de idade. As melhores normalmente têm de quatro a cinco gemas e medem entre 20cm e 30cm. Ele explica ainda que “os ramos de onde serão retiradas as estacas podem ser colhidos até uma semana antes do plantio, desde que armazenados em locais apropriados (arejados, protegidos do sol e do vento)”.

Solo adequado para o cultivo


Em relação ao solo adequado para a plantação das amoreiras, Huertas afirma que a qualidade das folhas e, consequentemente, da seda produzida dependerá da fertilidade do solo. Recomenda-se que ele tenha muita matéria orgânica, alto teor de umidade, seja bastante permeável e profundo. Segundo o professor, o pH ideal para a plantação de amoreiras é 6,5. Não é aconselhado que solos de baixadas sejam utilizados nesse tipo de cultura devido ao grau de encharcamento que apresentam. Terrenos em declive acentuado também não são indicados, pois a instalação da cultura e o transporte do alimento para os bichos-da-seda se tornam dispendiosos.

Como calcular o espaçamento

Lagartas na quarta idade. Foto: reprodução

O espaço entre um pé de amora e outro vai depender da largura dos equipamentos utilizados na cultura. O solo, o clima e os tratos culturais também influenciam diretamente no espaçamento das plantas. Huertas explica que a distância entre os pés deve ser maior quando o clima for quente e úmido e quando o solo tiver alto teor de fertilidade. O curso do CPT apresenta um quadro detalhado com os equipamentos que podem ser utilizados, suas respectivas medidas e o espaçamento necessário em cada caso. Além disso, o quadro traz uma estipulação de quantos pés de amora você teria por alqueire.

Por Camila Guimarães Ribeiro

 

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

PAOLA PINHEIRO

23 de nov de 2019

Solicito contato por gentileza.

Resposta do Portal Cursos CPT

29 de nov de 2019

Olá, Paola

Como vai?

Agradecemos sua visita a nosso site!

Uma de nossas consultoras entrará em contato com você para lhe passar maiores detalhes sobre os assuntos abordados no curso.

Atenciosamente,

Erika Lopes

Willian de Souza

17 de fev de 2017

Se eu plantar hoje os pés de amora, quanto tempo levaria até eu poder colher as folhas para a criação do bicho da seda?

Resposta do Portal Cursos CPT

24 de fev de 2017

Olá William,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Os primeiros frutos começam a surgir a partir de um ano e meio após o plantio. Em geral, o período de frutificação aqui ocorre entre setembro e novembro, apesar de depender da região onde a amoreira estiver plantada. Já para a alimentação do bicho-da-seda, não existe uma época definida para utilização das folhas. 

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

 

Sergio Martinho Benito

15 de set de 2013

Parabéns, a qualidade do trabalhos dos senhores, me anima a dar asa a meu sonho de montar uma sericicultura. Gostaria de obter maiores informações sobre o curso de vcs. Agradecendo a preciosa atenção,e desejando muito sucesso.

Resposta do Portal Cursos CPT

16 de set de 2013

Olá, Sérgio!

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Nossas consultoras entrarão em contato com mais informações sobre o Curso CPT Criação de Bicho-da-seda.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

valdir de souza oliveira

8 de mar de 2013

Gostaria de saber quantos alqueires de amora vou necessitar para trabalhar com quatro caixas de bicho da seda.

Resposta do Portal Cursos CPT

11 de mar de 2013

Olá, Valdir!

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

O bicho da seda em sua fase larval come grande quantidade de folhas de amoreira e chegam a aumentar o seu peso em 10000 vezes mais.

Não existe uma medida correta de quantas folhas por larva. O ideal é que você tenha uma plantação de amora, perto de onde irá criar os bichos da seda.

O CPT - Centro de Produções Técnicas possui o curso Criação do Bicho-da-Seda que poderá lhe auxiliar.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

nelia rozaria gomes

29 de nov de 2012

Eu quero muito saber sobre a criação do bicho da seda acho lindo e um milagre de Deus tudo que ele criou e deu sabedoria para o homem para se aprimorar em todos os sentidos.

Resposta do Portal Cursos CPT

14 de dez de 2012

Olá, Nélia!

Ficamos felizes por sua visita e comentário em nosso site.

A criação do bicho-da-seda é uma atividade agrícola que tem por finalidade a exploração da seda para o setor têxtil. O sistema de produção é feito de forma integrada com as indústrias de fiação e os produtores compram dessas indústrias as lagartas em fase inicial de desenvolvimento vendendo para os casulos produzidos.

A criação é dividida em duas fases, que são:

1) A fase jovem: que compreende o 1º e o 2º estado larval. As lagartas são criadas nas criadeiras, ficando sob responsabilidade das empresas de fiação, que vendem as lagartas no final desta fase para os produtores.

2) A fase adulta: que compreende do 3º ao 5º estágio larval. O bicho-da-seda nesta etapa é criado nas sirgarias e esta tarefa fica a cargo dos produtores, que vendem os casulos produzidos para as empresas fiadoras. 

A fase de criação do bicho-da-seda inicia-se no final do inverno e no início da primavera, entre o início das primeiras brotações da amoreira até o surgimento da quarta ou quinta folha de ramos. 

As camas na fase jovem do bicho-da-seda, devem ter em média 1m de cama para cada caixa de lagarta criadas até a 2ª idade, por outro lado, na fase adulta são necessários 33m de área de cama para cada caixa de lagartas criadas até a 5ª idade.

A alimentação é feita exclusivamente por folhas de amoreira. As lagartas jovens necessitam de folhas tenras e macias, com maior teor de água, proteína e açúcares e menor teor de fibra e amido.

Para saber mais informações sobre a criação de bicho-da-seda o CPT – Centro de Produções Técnicas, possui o curso Criação de Bicho-da-Seda.

Atenciosamente, 

Ana Carolina dos Santos

cicero ferreira de barros

9 de jul de 2012

Quero comprar este curso de bicho da seda.

Resposta do Portal Cursos CPT

10 de jul de 2012

Olá, Cicero!

Nossas consultoras entrarão em contato para mais informações sobre o Curso Criação do Bicho-da-Seda.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!