WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Conheça nossos Cursos Profissionalizantes (combos) com 40% de DESCONTO

Treinamento de brigada de incêndio

Confira os pontos mais importantes do trabalho dos brigadistas

Queimadas é a grande preocupação desta época do ano. Com falta de chuvas no inverno, surge constantemente focos de incêndio. Assim, o treinamento e os cursos de reciclagem são indispensáveis para esse profissional.

O que é brigada de incêndio?

Cada brigada deve ter, no mínimo, três e, no máximo, 14 brigadistas, chefiados por um líder de grupo.

Brigadistas são um grupo de pessoas capacitadas para atuar na prevenção, no abandono e combate a incêndios, sendo aptas também a prestação dos primeiros socorros. Uma brigada trabalha, principalmente, em três frentes, prevenção, monitoramento e combate.

Combatentes

Para que a operação seja eficiente, a estrutura da brigada precisa ser bem organizada. Devido a isso, sua hierarquia é dividida em três classes, o chefe de brigada, o líder de grupo e o brigadista.

O chefe deve ser alguém que conhece bem a área e os métodos de combate.  Ele organiza e dirige os recursos, determina as chefias para as funções específicas e estabelece estratégias e táticas de combate.

O líder é responsável por deixar sempre preparado os equipamentos e os alimentos, e instruir os combatentes sobre onde e como estabelecer a linha de fogo. Já os combatentes constroem e sustentam o trabalho no local do incêndio.

Curso de brigadista

O treinamento de pessoal é fundamental para capacitar os combatentes nos trabalhos de controle a incêndios. Além da qualificação, essa fase é importante para que haja interação entre os elementos do grupo. Sem um efetivo trabalho de equipe, não existe um combate eficiente e seguro.

Para o especialista em controle de incêndios florestais e coordenador do curso Treinamento de Brigada de Incêndio Florestal, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas,  D.Sc. Guido Ribeiro, a capacidade de um brigadista de realizar um bom trabalho é consequência de um conjunto de qualidades, como sua capacitação física, inteligência, entusiasmo, habilidade, experiência e alimentação.

É essencial o uso de técnicas de combate adequadas e a utilização de ferramentas e equipamentos corretamente.

Equipamentos de proteção individual

As ferramentas a serem utilizados no combate a incêndios podem ser muito simples, como um machado, ou sofisticados, como aviões teleguiados. Todos têm sua função, por isso são importantes no programa sendo usados juntos ou separados. Para evitar acidentes, o combatente deve estar protegido contra altas temperaturas e gases, utilizando vestimenta e máscara apropriadas.

Quando os brigadistas estão em ação, a proteção deles está em primeiro lugar.

No curso do CPT, o professor Ribeiro, explica que a eficiência de um plano de proteção contra incêndios está na habilidade de uso dos recursos disponíveis, incluindo o emprego correto das ferramentas e equipamentos à disposição do combatente. Os materiais devem ser de uso exclusivo para o combate ao fogo e aplicados de acordo com a função para qual foram desenvolvidos.

Detecção do fogo

Também chamada de vigilância ou patrulhamento, a detecção do fogo é o tempo percorrido entre o seu início e a comunicação para a brigada. Segundo o professor Ribeiro, uma rápida detecção possibilita o controle antes que o fogo tenha se propagado ou aumentado sua intensidade. “Quanto menor o tempo entre o início do fogo e o início do ataque, mais fácil será o seu controle”, acrescenta.

A detecção do fogo é o tempo percorrido entre o seu início e a comunicação para a brigada.

Mobilização

Mobilização são todas as ações necessárias para a saída do pessoal para o combate. Para que ela seja rápida, é essencial que todos os equipamentos estejam organizados em um cômodo de fácil acesso pela viatura que os transportará. As atribuições de cada profissional, dadas no momento do treinamento, devem ser mantidas nesse processo.

Controle de incêndio

Para se realizar o controle de incêndio, podem ser utilizados dois métodos, o direto e o indireto. O primeiro ataque age diretamente sobre o fogo, sendo muito usado em incêndios de superfície com vegetação baixa. Como ele apresenta reduzida intensidade, permite a aproximação direta do combatente. No método indireto, o controle é feito ou iniciado longe do limite do fogo, atuando ou eliminando o combustível da área para onde o fogo se dirige.

Caminhe por toda área ao longo do perímetro do fogo, para se ter certeza de que não há mais perigo.

Rescaldo

Depois do fogo controlado, o trabalho da brigada ainda não terminou. O rescaldo é a operação de repase, cujo objetivo é apagar todos os focos remanescentes que possam reacender as chamas. Normalmente, ele é realizado com duas atividades que são, apagar todos os focos ativos e eliminar combustíveis dentro da área, seja queimando-os ou afastando-os para que não contribuam com o incêndio.

 

Por: Ariádine Morgan

 

 

 

Curso CPT - Treinamento de Brigada de Incêndio Florestal

 

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!