WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Torne realidade o sonho de viver do que você ama! 20% OFF nos cursos online + 5% OFF pagando no cartão

Como acontece a decomposição biológica do lixo?

No processo de decomposição biológica, os principais responsáveis pela decomposição do lixo orgânico são as bactérias e os fungos saprófitos que se alimentam de vegetais e animais mortos ou de restos orgânicos

Como acontece a decomposição biológica do lixo?   Artigos Cursos CPT

 

Os resíduos sólidos do lixo são classificados em resíduos inertes, não-susceptíveis de decomposição biológica; e resíduos sólidos que se decompõem biologicamente. “No processo de decomposição biológica, os principais responsáveis pela decomposição do lixo orgânico são as bactérias e os fungos saprófitos que se alimentam de vegetais e animais mortos ou de restos orgânicos, em geral”, afirma Maeli Estrela Borges, professora do Curso a Distância CPT Aterro Sanitário - Planejamento e Operação, em Livro+DVD e Curso Online.

Decomposição biológica do lixo por processos aeróbio


A decomposição aeróbia do lixo é realizada na presença de oxigênio. A temperatura pode elevar-se até cerca de 65°C, dependendo da prevalência de microrganismos termofílicos, que têm preferência pelas altas temperaturas, e dos mesófilos, que desenvolvem-se a médias temperaturas.

No início, a massa de lixo está à temperatura ambiente e é ligeiramente ácida; as bactérias predominantes, nesta etapa, são mesofílicas, isto é, capazes de viver e agir na faixa de temperatura de 25°C a 45°C. As bactérias presentes atacam as substâncias de decomposição mais fácil, que são carboidratos; entre os produtos desta etapa estão alguns ácidos orgânicos simples, o que faz baixar o pH. As reações de oxidação são exotérmicas, razão pela qual a temperatura da massa sobe próximo dos 40°C, predomina a ação de microrganismos termofílicos, e o pH aumenta, passando a alcalino.

A cerca de 60°C, passam a atuar microrganismos capazes de decompor as hemiceluloses, ceras e proteínas; a temperatura se eleva até próximo de 70°C, esterilizando ou matando sementes, esporos, ovos e quase todos os microrganismos patogênicos, contidos no lixo, fato que representa uma das principais vantagens do processo aeróbio de decomposição. À medida que se esgotam as substâncias de decomposição rápida, a reação diminui de intensidade, até que se nota perda de temperatura na massa.

A decomposição prossegue, lentamente, daí em diante, decrescendo a temperatura até igualar-se a do ambiente. O pH também vai se aproximando do neutro; esta etapa caracteriza-se pela hidrólise e subsequente assimilação, por organismos mesofílicos, actinomicetos e fungos, das substâncias mais resistentes à ação microbiana formadas de moléculas de cadeia longa, como a celulose lignina. Esta última etapa é chamada maturação, que é bastante lenta e contrastante com a intensa decomposição inicial.

Decomposição biológica do lixo por processos anaeróbicos


A decomposição biológica do lixo por processo anaeróbico processa-se de forma mais lenta que a anterior. Enquanto no processo aeróbio, cerca de dois terços do carbono que compõem as substâncias orgânicas são transformadas em CO2, por oxidação, liberando calor, no processo anaeróbio, realizado na ausência de oxigênio, não se processa oxidação total, mas a transformação bioquímica de compostos orgânicos em outros menos complexos, progressivamente, com pouca geração de calor. Portanto, os compostos são apenas reduzidos a outros mais simples; e o carbono, que não foi assimilado pelos microrganismos, resulta sob a forma de CH4, principalmente.

A fase inicial do processo de decomposição anaeróbia é a de liquefação da matéria orgânica, com a produção de ácidos orgânicos, álcoois e cetonas. Em seguida, na fase caracterizada como gaseificação, são produzidos gases como o metano (CH4) e compostos de enxofre, a exemplo do gás sulfídrico (H2S), dos mercaptanas, sulfitos de ferro e de manganês, compostos nitrogenados e outros, compondo o biogás ou gás bioquímico do lixo.

O metano (CH4) e o gás sulfídrico (H2S) são dois gases típicos de decomposição anaeróbia: o metano, de interesse econômico crescente, como fonte de energia, pois é bom combustível, e o gás sulfídrico, de mau cheiro, que condena o processo sob o aspecto estético, além de tomar-se corrosivo ao se combinar com a água.

Sendo lento o processamento anaeróbio de decomposição do lixo, após a fase de gaseificação, a terceira etapa da decomposição se dá pela estabilização da matéria orgânica, ultimando o processo com a humificação do produto final. Por outro lado, na decomposição do lixo, por ser ele predominantemente composto de matéria sólida insolúvel. Na fase inicial da sua decomposição, há necessidade de uma fase de digestão, onde a matéria sólida é solubilizada, tendo como consequência a produção de um líquido viscoso, de coloração negra, mal cheiroso, com DBO aproximada de 19.000 mg/L, bem mais concentrada que a do esgoto - da ordem de 200 a 400 mg/L - cuja denominação é "chorume".

O chorume é formado de enzimas expelidas pelas bactérias de decomposição e de água de constituição do próprio lixo e é o causador da poluição hídrica, quando o lixo é depositado "a céu aberto", nas proximidades de cursos d'água ou muito próximo do nível do lençol d'água subterrâneo ou freático. Além da gravidade de contaminação de cursos d'água e do solo, o lixo sem destinação adequada coloca em risco a saúde pública, além dos problemas de ordem sanitária, social, econômica e estética.

Conheça os Cursos a Distância CPT, em Livros+DVDs e Cursos online, da área Meio Ambiente.
Por Silvana Teixeira.

 

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Ariel

6 de out de 2019

Boa tarde, tudo bem? Estou escrevendo um artigo e usei este texto nas minhas referências, contudo, no site não tem a data de publicação deste artigo. Poderiam me informar?

Resposta do Portal Cursos CPT

7 de out de 2019

Olá Ariel,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Ficamos felizes em saber que gostou do nosso artigo, e que irá utilizá-lo como uma das referâncias para o seu artigo.

A data de publicação do mesmo, foi em 12/06/2017.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Rogério Alexandre Borcys

16 de out de 2018

Muito interessante este assunto, em breve quero comprar um curso.

Resposta do Portal Cursos CPT

16 de out de 2018

Olá Rogério,

Agradecemos a visita e comentário em nosso site.

Ficamos felizes que tenha gostado do nosso conteúdo.

Atenciosamente,

Mariana Caliman Falqeuto

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!