WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Veterinário: como tratar a osteonecrose maxilofacial em cães?

A importância dos cuidados pré e pós-operatórios para o sucesso do tratamento da osteonecrose maxilofacial em cães


Neste artigo, acompanharemos o procedimento cirúrgico em um paciente canino com diagnóstico de osteonecrose maxilofacial. Veremos as considerações sobre a enfermidade e os protocolos anestésico e de bloqueio utilizados pelo anestesista, explica Fabíola Carolina de Almeida, professora do Curso CPT Odontologia de Cães e Gatos.


Considerações anestésicas e bloqueios regionais.

Considerações sobre o paciente:

Paciente: cão, macho, raça Pug, 4 anos, 8 kg.

Queixa: anorexia e halitose desde que participou de um episódio de briga com outro cão.

Diagnóstico: a partir do raio-x, observou-se fratura bilateral do último pré-molar da arcada superior e fratura do terceiro pré-molar da mandíbula.


Dados importantes:

Classificação ASA: ASA II.

Hemograma pré-operatório: leucocitose neutrofílica com desvio.

Medicações que o paciente já estava tomando: maxican, clindamicina, dipirona e tramal.

Medicação pré-anestésica: sedativo (dexmedetomidina), metadona (opioide) e quetamina dose analgésica.

Bloqueio regional: nervo maxilar e nervo alveolar inferior.


O bloqueio será feito após o paciente estar anestesiado, entubado e sem o reflexo palpebral, com administração de bupivacaína 0,1/kg.


Os locais escolhidos foram o nervo maxilar para o bloqueio da arcada dentária superior direita e nervo alveolar inferior para o bloqueio da arcada da mandíbula.


Avaliação do quadro e limpeza dentária.


Na avaliação, observou-se grande absorção óssea nos dentes mandibulares, com muita exposição da raiz. Na região maxilar, há a exposição da furca do quarto pré-molar com exposição do osso. Não há a presença de cálculos nos demais dentes, apenas naqueles acometidos.


Os procedimentos serão: limpeza, exodontia e fechamento da ferida cirúrgica.


Importante! Deve-se promover a limpeza de todos os dentes, inclusive os que serão removidos, para diminuir o risco de infecção bacteriana.


Exodontia, curetagem óssea e flap.


Correção da lesão mandibular:


Para não causar fratura iatrogênica, os dentes a serem removidos devem ser serrados ao meio, já que ainda estão bem fixados, impossibilitando a rotação. Com as extrações feitas, avalia-se a extensão da necrose do tecido, fazendo uma incisão margeando o osso alveolar e separando a gengiva da parte óssea. Essa incisão deve ser efetuada de modo a permitir a realização da técnica de flap. A parte do tecido ósseo acometida pela necrose deve ser removida.


Desbridamento e sutura da ferida.


Depois de remover toda a parte necrosada, deve-se revitalizar os bordos da ferida, extraindo o tecido fibroso. Em seguida, procede-se à sutura do flap com fio de poliglactina 3.0 em padrão simples separado.


Para a correção da lesão maxilar:


A limpeza do dente acometido nessa região deve ser efetuada juntamente com a limpeza inicial, antes da remoção dos dentes da região mandibular. Em uma nova avaliação, foi observada uma fístula com acesso à cavidade nasal. O procedimento é o mesmo anterior: exodontia, debridação do tecido necrosado, revitalização dos bordos, realização do flap e sutura da ferida cirúrgica.


Pós-operatório e possíveis complicações.


a) Evitar fornecer ao animal alimentos duros, como ração e petiscos, nos primeiros 7 a 10 dias, aumentando a dureza dos alimentos gradativamente. Recomenda-se administração de água gelada, gelo, sorvetes, etc., para auxiliar no alívio de dores e inchaços.


b) Importante que o tutor seja orientado a limpar a cavidade oral do animal, removendo restos de comida.


c) Antibioticoterapia, analgesia e anti-inflamatório.


d) Retorno pós-cirúrgico.


e) Idas regulares ao veterinário a partir de então para avaliação dos dentes e limpeza, se necessária.


Importante! O tutor deve monitorar a cicatrização da ferida, observando qualquer risco de deiscência da sutura.


Veterinário: como tratar a osteonecrose maxilofacial em cães?

Descubra o segredo para o sucesso com o Curso CPT Odontologia de Cães e Gatos. Aqui oferecemos conhecimento de ponta, prático e confiável para você se destacar no mercado. Com conteúdos atualizados e orientações especializadas, este curso é sua porta de entrada para uma carreira de sucesso na pecuária. Invista em você mesmo. Invista em conhecimento.

Deixe seu comentário abaixo!

Conheça agora os Cursos na Área de Medicina Veterinária.
Por: Thiago de Faria



Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Quer mudar de vida e ter sucesso profissional? Vamos te ajudar!

Precisa de ajuda?