Operação do trator: subsolagem

A regulagem básica de um subsolador consiste em determinar, corretamente, a profundidade de ação das hastes

 

Operação do trator

O sucesso das operações agrícolas mecanizadas inicia com uma boa regulagem das máquinas, de acordo com cada condição de trabalho 

O sucesso das operações agrícolas mecanizadas inicia com uma boa regulagem das máquinas, de acordo com cada condição de trabalho. As operações de preparo do solo são caracterizadas por exigir grande esforço de tração. Sendo assim, para estas operações, deve-se utilizar velocidades de deslocamento específicas para cada implemento e fazer uma correta adequação do trator, procurando acrescentar lastros em quantidade suficiente apenas para que a patinhagem fique dentro dos limites recomendados para cada operação.

Podemos dizer que o sucesso das operações mecanizadas baseia-se nos seguintes fatores:

 

- Adequação do trator ao implemento que ele irá tracionar, ou seja, ajuste correto de bitola e lastragem adequada, quando forem necessários;

- Seleção da velocidade de trabalho, que depende da operação, do tipo de implemento e das condições de solo;

- Manutenção adequada dos implementos e do trator para que a operação possa ser realizada com sucesso;

- Escolha do momento certo para realizar a operação, onde o teor de umidade do solo e as condições atmosféricas, muitas vezes, exercem influência na qualidade e na eficiência das operações;

- Regulagem correta dos implementos, entre outras.

 

“A lastragem do trator pode ser feita, acrescentando pesos nas rodas e na parte frontal do trator. Os lastros frontais são formados por blocos de ferro fundido, cada um pesando entre 30 e 40kg. Já os lastros que são colocados nas rodas traseiras podem ser de anéis de ferro fundido, que são presos à calota da roda e lastros de água”, afirmam Walter Luiz de Castro Mewes e Bruno Otto Mewes, professores do curso Treinamento de Tratorista – Operação do Trator, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas.

 

Com relação à quantidade de lastro que deverá ser colocada no trator, deve-se tomar muito cuidado. A lastragem será determinada de acordo com o índice de patinhagem. Quando o trator estiver patinhando acima dos limites recomendados, deve-se colocar lastros, tanto na parte frontal como nas rodas traseiras. Mas, deve-se ter o cuidado de não colocar todo o lastro de uma só vez.

 

Após colocar parte dos lastros, deve-se colocar o trator para trabalhar e, caso seja verificado um índice de patinhagem superior ao recomendado, será necessário acrescentar mais lastros. Além disso, você precisará saber qual é o máximo de peso adicional (lastro) que o seu trator poderá receber. Para isso, será necessário consultar o manual de operação do fabricante do seu trator.

 

Para determinar o índice de patinagem do trator, faz-se uma marcação no pneu, utilizando-se um giz ou torrão. Logo que o conjunto é colocado em operação, marca-se no solo a referência inicial, com uma estaca no solo, a partir da qual será feita a contagem do número de voltas da roda do trator. Com o trator deslocando-se na velocidade normal de trabalho, conta-se o número de voltas, até que sejam completadas dez voltas da roda motriz. Quando completar dez voltas, crava-se outra estaca no solo, servindo de referência final.

 

Quando o trator completar dez voltas, crava-se outra estaca no solo, servindo de referência final. Agora, com o implemento levantado, o trator é posicionado ao lado da segunda estaca, faz-se nova marcação no pneu traseiro. Em seguida, o trator desloca-se, em marcha ré, em direção à primeira estaca, contando, novamente, o número de voltas dadas pela roda motriz. O trator deverá ser parado quando a roda motriz estiver bem em frente à primeira estaca. Assim, determina-se a patinagem.

 

Subsolagem

 

Para realizar a subsolagem, utiliza-se os subsoladores, que são implementos de hastes, aprofundando-se no solo a profundidades superiores a 40 cm. Durante o ciclo de uma cultura anual, como milho, soja, feijão, cana, entre outras, máquinas agrícolas trafegam várias vezes sobre o solo, causando a sua compactação. Porém, na safra seguinte, quando for realizado o novo preparo do solo, parte da camada compactada será revolvida e os efeitos da compactação, nesta camada, serão reduzidos.

 

Como o processo se repete durante todo o ciclo da cultura, chega um momento em que parte da camada compactada, que se situa abaixo da região de atuação dos implementos de preparo do solo, fica tão compactada ao ponto de causar danos às plantas. Esta camada compactada, portanto, passa a atuar como uma barreira para o sistema radicular das plantas, bem como para a movimentação da água das chuvas e da irrigação.

 

Para quebrar esta camada compactada são utilizados os subsoladores, por meio das hastes metálicas que se aprofundam no solo. Para obter melhor eficiência na operação, recomenda-se fazer a subsolagem antes do período das chuvas, quando o solo se encontrar mais seco. Além disso, pode ser necessário realizar duas passadas do subsolador, em sentido cruzado, para aumentar a eficiência da operação e quebrar o máximo possível a camada compactada.

 

Os subsoladores podem ser do tipo montado ou de arrasto. Muitas vezes, os subsoladores montados possuem rodas de ferro, sendo uma de cada lado da barra porta-ferramentas, que servem para regular a profundidade de trabalho do implemento. No caso dos subsoladores de arrasto, são utilizadas rodas pneumáticas que, além de suportar o peso do implemento, também servem para controlar a profundidade de trabalho.

 

Muitas vezes, torna-se necessário realizar subsolagem em áreas cultivadas com culturas perenes, como café, citros, entre outras. Devido ao tráfego de tratores e veículos nas ruas da cultura, com o tempo, surge uma camada compactada, que dificulta o crescimento lateral das raízes, como também compromete a infiltração da água no solo. Nestes casos, a subsolagem deve ser feita com subsolador de apenas uma haste, a uma profundidade superior a 60cm, no meio da rua da cultura.

 

Desta forma, o sistema radicular das plantas praticamente não será afetado, a camada compactada será quebrada, permitindo a infiltração da água e o crescimento lateral das raízes será favorecido.

 

Confira mais informações, acessando os cursos da área Mecanização Agrícola.

 

Por Andréa Oliveira

Cursos Relacionados

Curso Mecanização em Pequenas Propriedades Curso Mecanização em Pequenas Propriedades

Com Prof. Dr. Afonso Peche

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Treinamento de Tratorista - Operação do Trator e Regulagem de Implementos Curso Treinamento de Tratorista - Operação do Trator e Regulagem de Implementos

Com Prof. Bruno Otto e Prof. Dr. Walter Luiz

R$ 486,00 à vista ou em até 12x de R$ 40,50 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Manutenção de Tratores Agrícolas Curso Manutenção de Tratores Agrícolas

Com Prof. Dr. Luciano Baião

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Outros artigos relacionados à área Mecanização Agrícola

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade