WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

História do café, da bebida café e das cafeterias

Os árabes foram os primeiros povos a cultivarem o café, pois dominavam o seu cultivo e a forma de preparação da bebida, entretanto não revelavam suas técnicas, além de impedirem que outros povos tivessem acesso às mudas da planta

A partir de 1900, o consumo de café popularizou-se no mundo. Foram criados equipamentos para o preparo de café, filtros, cafeteiras elétricas, entre outros.

A partir de 1900, o consumo de café popularizou-se no mundo. Foram criados equipamentos para o preparo de café, filtros, cafeteiras elétricas, entre outros.

A palavra café vem do árabe Kahoua ou Qahwa, o excitante, e designa o fruto do cafeeiro. Essa planta é originária da Etiópia, no centro da África, onde faz parte da vegetação natural. Por meio dela, prepara-se uma bebida por infusão de água quente com seus grãos torrados e moídos. Atualmente, o Brasil é o maior produtor mundial de café, sendo responsável por 30% do mercado internacional de café e o segundo maior consumidor, perdendo apenas para os Estados Unidos.

Lenda sobre o café

A lenda conta que um monge passeava pelas pastagens da Arábia e percebeu uma grande agitação onde umas cabras pastavam. Logo resolveu se aproximar para ver o que estava acontecendo. Junto às cabras, estava um jovem pastor chamado Kaldi. O monge notou que, nas mãos do pastor, havia uma frutinha vermelha. O pastor contou que aquela frutinha era responsável por toda aquela alegria e, apenas com a ajuda dela, o rebanho conseguia caminhar por quilômetros, com muita disposição. Ouvindo o relato do pastor, o monge pegou um punhado das frutas e levou para o monastério. Resolveu experimentá-las antes da oração noturna. Sentiu em seu corpo uma sensação de júbilo e disposição. Em seguida, orou a noite toda, sem sentir sono. Assim, descobriram uma nova bebida, que deixava os monges acordados durante as rezas e os longos períodos de meditação.

A disseminação do café pelo mundo

Os árabes foram os primeiros a cultivá-la. O café teve grande importância para esse povo, que dominava o cultivo do café e a forma de preparação da bebida. Eles não revelavam a técnica de cultivo da planta e impediam que outros povos tivessem acesso às mudas do café. Os manuscritos mais antigos, que falam da cultura do café, datam de 575 d.C., no Yêmen, onde era consumido como fruto in natura.

“Por volta de 1400, o consumo do café começou a se espalhar pelo mundo. Naquele século, o café começou a ser torrado. Em 1544, foi aberta a primeira casa de café, em Constantinopla, atual Istambul, na Turquia”, afirma a professora Maria Aparecida Campos, do curso Treinamento de Barista, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas.

A partir de 1500, o consumo do café se disseminou pela Europa. Mais ou menos dois séculos depois, já havia várias cafeterias instaladas nas capitais europeias, inclusive as famosas cafeterias de Paris. Até o século XVII, o café era produzido apenas pelos árabes. Foram os holandeses que conseguiram as primeiras mudas e as cultivaram no Jardim Botânico de Amsterdã.

Em 1658, os holandeses iniciaram o cultivo comercial no Sri Lanka e, em 1699, começaram a plantar café em Java, expandindo o cultivo para outras colônias. Em 1714, os holandeses presentearam o rei da França, Luís XIV, com uma muda de café. Quando esta deu frutos, as mudas foram levadas para serem cultivadas nas ilhas de Sandwich e Bourbon.

Com o sucesso dessas experiências, o cultivo do café foi levado para outras colônias europeias, ao mesmo tempo em que crescia o mercado consumidor europeu. Assim, o café expandiu-se para o continente africano e para a América Latina. Os colonizadores europeus levaram a cultura do café para o Suriname, São Domingos, Cuba, Porto Rico e Guianas.

O café chegou ao Brasil em 1727. Conta-se que o governador do Pará, João da Maia Gama, incumbiu o oficial português, Francisco de Mello Palheta, de resolver questões de fronteira na Guiana Francesa e, secretamente, trazer algumas sementes do fruto. Palheta conquistou a confiança da esposa do governador da Guiana e, com a ajuda dela, conseguiu algumas sementes de café, que foram trazidas para o Brasil.

Inicialmente, o cultivo do café começou no Pará e, dali, espalhou-se pelo país, devido às condições favoráveis de clima e solo. Em pouco tempo, o café tornou-se uma importante cultura no país, principalmente, nas regiões Sul e Sudeste. A exportação de café brasileiro tomou impulso a partir de 1816, e, no período de 1930 a 1940, tornou-se o mais importante produto de exportação do país, com mais de 40% do total.

Por volta de 1870, iniciou-se um dos principais ciclos econômicos do Brasil, o ciclo do café, quando as primeiras lavouras se estabeleceram no Vale do Paraíba, em São Paulo. Os fazendeiros, grandes produtores de café, ficaram tão ricos e poderosos, graças a essa cultura, que passaram a ser chamados de "Barões do café". Esse ciclo durou até 1930, devido ao crack da Bolsa de Nova York, em 1929, que forçou a queda brusca do preço do café no mercado internacional.

Em 1930, o café valia pouco mais que a metade do seu valor em 1928. Somente em 1947, os preços retornaram aos níveis de 1928. Em 1940, o Brasil era o maior produtor mundial de café. O ciclo do café foi muito importante em termos econômicos e sociais para o Brasil. Levou à ampliação das vias férreas, principalmente, em São Paulo, e à modernização dos portos de Santos e do Rio de Janeiro, principais portas de exportação.

A necessidade de mão de obra provocou a imigração em massa de europeus, principalmente, após a abolição da escravatura. Isso possibilitou o acúmulo de capital no país, que foi o suporte para o desenvolvimento de atividades industriais, comerciais e financeiras do Brasil. Hoje, o nosso país é o principal e maior produtor mundial de café.

História das cafeterias

Na Europa, as cafeterias desenvolveram-se durante o século XVII e se tornaram cenário de encontro de artistas, escritores, aristocratas, políticos e revolucionários.

História das cafeterias

As primeiras cafeterias, conhecidas como Kaveh Kanes, surgiram em Meca, na Arábia Saudita, no final do século XV e início do século XVI. Os Kaveh Kanes eram locais onde se podia passar a tarde conversando, ouvindo música e tomando café, uma vez que Meca era um centro religioso e a religião muçulmana proibia o consumo de bebidas alcoólicas. Logo o café passou a ser apreciado nas regiões próximas, como Constantinopla e Síria, e as cafeterias se espalharam pelo Oriente. As cafeterias eram locais luxuosos onde ocorriam encontros de negócios e de lazer.

A partir de 1615, os comerciantes italianos levaram o café da Arábia para a Europa e a bebida café conquistou o paladar dos europeus. Em Veneza, surgiram as Botteghe del Caffé, locais onde ocorriam encontros sociais e se tomava café, ouvindo música. Na Europa, as cafeterias desenvolveram-se durante o século XVII e se tornaram cenário de encontro de artistas, escritores, aristocratas, políticos e revolucionários.

Diz-se que a Revolução Francesa foi planejada ao redor das mesas de uma cafeteria. Era uma bebida apreciada por pessoas famosas, como Johann Sebastian Bach, que compôs, em 1732, a Cantata ao Café.

Como se desenvolveu a bebida café

Quando começou a ser utilizado na Arábia, o café era conhecido apenas por suas propriedades estimulantes. O fruto do café era consumido fresco, utilizado para alimentar e estimular os rebanhos durante as viagens. Posteriormente, os frutos passaram a ser macerados e misturados com gordura animal para serem consumidos durante as viagens. Por volta do ano 1.000 d.C., os árabes passaram a fazer uma infusão (um tipo de chá), fervendo os frutos cereja em água. No século XIV, foi desenvolvido o processo de torrefação e a bebida já era parecida com esta dos dias de hoje.

A partir de 1900, o consumo de café popularizou-se no mundo. Foram criados equipamentos para o preparo de café, filtros, cafeteiras elétricas e, principalmente, a máquina de espresso, que surgiu em meados de 1950. Com essa nova tecnologia, surgiram novas formas de consumo da bebida, como o cappuccino, e a profissão de barista.

Leia o artigo Profissão barista - a arte de preparar e servir café.

Aprenda mais sobre café, acessando os cursos da área Cafeicultura.

Por Andréa Oliveira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!