Horta - como plantar Taro (Colocasia esculenta) de forma orgânica

O taro, também conhecido como inhame nas regiões Sul e Sudeste do Brasil, pode atingir até dois metros de altura. Suas folhas são verde-escuros e têm limbo com formato de coração

 

O taro, Colocasia esculenta, também conhecido como inhame nas regiões Sul e Sudeste do Brasil, é uma planta herbácea que pode atingir até dois metros de altura. Suas folhas são verde-escuros e têm limbo com formato de coração. Os pecíolos, que são as hastes das folhas, podem ser arroxeados ou verdes. A parte utilizada é composta de um rizoma central esférico, rodeado por vários rebentos laterais, menores, revestidos por uma pele fibrosa, coberta de pequenas raízes. Geralmente, a cor da polpa é branca, mas existem variedades com a polpa mais corada, chegando até a cor de vinho. A planta não produz sementes, talvez por causa da utilização contínua da propagação vegetativa, através dos rizomas. O ciclo de cultivo do taro orgânico é muito variável, indo de cinco até doze meses, de acordo com as variedades e as condições de cultivo.

Variedades

Existem, no mundo, numerosas variedades de taro, mas as que têm valor comercial no Brasil são poucas. Elas são divididas em dois grupos, conforme a coloração da túnica, que pode ser roxa ou branca. No Brasil, os cultivares importantes são o chinês e o japonês, que têm túnicas roxas e polpas brancas. Outra variedade que está sendo muito promissora na região Sudeste é a macaquinho, que tem rizomas menores, mais arredondados e de bom padrão comercial.

Clima

Tipicamente tropical, o Taro exige clima quente e úmido. Necessita de, pelo menos, 1.800 mm de chuvas por ano, distribuídas regularmente, boa luminosidade e temperatura na faixa de 25 a 30° C.  Produz melhor em solos leves, areno-argilosos ou fracamente arenosos.

Solo

Os solos pesados tornam difícil a emergência e o desenvolvimento das raízes. É exigente em umidade no solo, mas o terreno não pode ser encharcado. O taro orgânico pode ser plantado em terrenos de baixada, mas com solo bem drenado.

Propagação

O taro é propagado exclusivamente de forma vegetativa. A cabeça central e os “dedos” laterais menores são utilizados como mudas. Os “dedos” menores (exceto aqueles classificados como refugo) podem ter a mesma capacidade de produção que os maiores e têm menor valor no mercado, para comercialização. Por isso, sua utilização no plantio é mais favorável economicamente que a utilização de ‘dedos’ maiores. O material para plantio deve ser selecionado e separado logo após a colheita. De 15 a 30 dias antes do plantio, os rizomas devem ser amontoados e cobertos com palha seca, para indução da emissão de raízes e brotações. Se necessário, devem ser irrigados diariamente, para mantê-los constantemente úmidos. Essas mudas “pré-germinadas” permitem a redução das falhas e a melhoria da uniformidade da lavoura, em comparação com mudas não germinadas.

Preparo do solo

O taro orgânico pode ser plantado em camalhões com cerca de 30 centímetros de altura, em covas individuais ou, preferencialmente, em sulcos. Em qualquer caso, as mudas devem ser colocadas de 10 a 15 centímetros de profundidade.

Plantio

No Centro-Sul do Brasil, o plantio do taro é feito no início do período chuvoso, quando as condições climáticas são mais favoráveis a essa espécie. Em locais quentes, pode ser plantado o ano todo, usando irrigação na época seca do ano. O espaçamento entre linhas deve ser de 01 metro e 30 a 40 centímetros entre plantas. Os rizomas devem ser colocados de forma que as brotações fiquem voltadas para cima. Os rizomas devem ser cobertos com uma camada de 5 a 10 centímetros de terra.

Adubação

A adubação orgânica em sulcos é feita na base de um quilo de composto orgânico ou esterco de gado, por metro linear. O adubo orgânico deve ser distribuído no fundo do sulco de plantio.

Aprimore seus conhecimentos acessando os Cursos CPT, da área Horticultura, entre eles o Cultivo Orgânico de Gengibre, Taro e Inhame, elaborados pelo Centro de Produções Técnicas.

Por Silvana Teixeira

Cursos Relacionados

Curso Hidroponia - Solução Nutritiva Curso Hidroponia - Solução Nutritiva

Com Prof. Dr. Quirino Carmello

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Horta Caseira - Implantação e Cultivo Curso Horta Caseira - Implantação e Cultivo

Com Prof. Dr. João Tessarioli Neto

R$ 446,00 à vista ou em até 12x de R$ 37,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Cultivo Orgânico de Hortaliças em Estufa Curso Cultivo Orgânico de Hortaliças em Estufa

Com Prof. Luiz Geraldo de Carvalho Santos

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Hidroponia  -  O Cultivo sem Solo Curso Hidroponia - O Cultivo sem Solo

Com Prof. Dr. José Damião

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Hidroponia de Plantas Medicinais e Condimentares Hidroponia de Plantas Medicinais e Condimentares

Com Prof. Dr. José Damião

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Agricultura Natural Curso Agricultura Natural

Com Prof. Kunio Nagai, Prof. Newton Miyasaka e Prof. D...

R$ 428,00 à vista ou em até 12x de R$ 35,67 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

HILTON VICENTE GONÇALVES

18 de abr de 2017

Boa tarde! Onde posso conseguir o Taro ou inhame japonês? Obrigado,

Resposta do Portal Cursos CPT

19 de abr de 2017

Olá Hilton,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Você pode encontrá-los em casas agrícolas especializadas em vendas de muda ou com produtores da região.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Outros artigos relacionados à área Horticultura

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade