WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Culinária brasileira

Cada região brasileira tem suas comidas ou pratos típicos, que caracterizam a sua culinária

 

Culinária brasileira

A rica culinária brasileira sofreu influências indígena, africana e europeia, dando origem a pratos típicos deliciosos, conhecidos mundialmente

Não foram apenas costumes, danças, lendas, festas, entre outras inúmeras manifestações culturais, os elementos responsáveis pela formação da miscigenação racial atual do povo brasileiro. Entre essas manifestações, existe uma em especial que é a nossa rica culinária brasileira, considerada, mundialmente, inigualável quanto ao sabor, à qualidade, à beleza e à variedade. Tudo isso porque tem como base a alimentação indígena, africana e europeia.

Influências indígenas

 

Entre as principais contribuições indígenas estão o milho e a mandioca (macaxeira ou aipim), sendo esta última matéria prima para fabricação da farinha. Assim surgiu a farinha de mandioca, agregando-se aos pratos de origem africana e portugueses como indispensável ingrediente nos pirões, já que, em Portugal, não se conhecia a farinha e os pirões eram feitos de miolo de pães. Também oriunda da mandioca, a tapioca, muito utilizada para fazer beiju e mingau, originou-se da culinária indígena.

 

Influências africanas

 

Entre os produtos que podemos destacar como marcantes na influência da culinária brasileira, o azeite de dendê é, sem dúvida, uma das maiores contribuições africanas para a comida brasileira. Atualmente, é indispensável em inúmeros pratos típicos do Brasil, tanto diretamente, como ingrediente, ou indiretamente, na preparação desses pratos. Além disso, existe a feijoada, prato tipicamente brasileiro, que foi originado da adaptação dos negros às condições adversas da escravidão, que, com sobras de carnes e com a sabedoria da culinária africana, criaram esse prato marcante na nossa culinária.

 

Influências europeias

 

Foi dos europeus que herdamos o costume de consumir carne de boi, de carneiro, de porco e de bode. Além disso, foram eles que nos ensinaram a utilizar na nossa alimentação todos os subprodutos oriundos da criação de animais, como: o leite, a fabricação de queijo, requeijão, embutidos e defumados. Outra contribuição marcante dos europeus, na nossa culinária refere- se à fabricação de bebidas (licor), de doces e conservas, entre outros produtos.

 

“Cada região brasileira tem suas comidas ou pratos típicos, que caracterizam a sua culinária, prevalecendo a influência dos povos (indígena, africano ou europeu), que predominaram em cada uma, e dos produtos que a natureza local oferecia como possibilidade de alimentos”, afirma o professor Eiji Tomimatsu, do curso Cozinha Brasileira, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas.

 

Culinária e regiões

 

No Norte, devido às florestas e rios e à influência indígena, predominam nos cardápios as frutas, os peixes e a mandioca.

 

No Nordeste, vê-se a predominância do coco, do dendê, de feijões, do inhame, da macaxeira, doçaria variada, dos peixes e dos crustáceos. Em Pernambuco, destaca-se a buchada de bode e o alfenins, um doce de açúcar branco de cana-de-açúcar. No Ceará, há grande variedade de pratos elaborados com peixe, camarão e lagosta e a famosa rapadura, feita de açúcar de cana. No Rio Grande do Norte, além de peixes e crustáceos, é muito conhecida a carne de sol, servida com farofa e feijão-verde. Em Alagoas, pratos com frutos do mar e também crustáceos de água doce, além do conhecido sururu.

 

No Centro-Oeste, devido aos grandes rebanhos de gado bovino, há predominância dos pratos de carne, bebida com erva-mate, peixes, aves e caça do Pantanal, além do pequi, fruta do cerrado usada em vários pratos da região.

 

No Sudeste, devido à sua característica cosmopolita, há todos os sabores de várias partes do mundo. No Rio de Janeiro, pode-se citar a feijoada carioca, feita de feijão-preto. Já, em São Paulo, o cuscuz- paulista. Em Minas Gerais, que tem uma rica e variada culinária, além de produtos derivados do leite, há os biscoitos, pães de queijo, angu, couve e diferentes pratos preparados com carne de porco, milho e o famoso tutu, feito com feijão. No Espírito Santo, são famosos os pratos de peixes, preparados com urucum e as moquecas capixabas.

 

No Sul, por conta da imigração, há muita influência das cozinhas italiana, alemã, polonesa, entre outras. É a região das carnes, preparadas como churrasco, além de linguiças temperadas e picantes e o famoso barreado paranaense, comida tropeira, porco no rolete, pinhão e chimarrão.

 

Delicie-se com o prato típico da região Centro-Oeste, chamado Empadão Goiano. Siga o passo a passo da receita:

 

Ingredientes para a massa:

- 480 g de farinha de trigo;

- 125 g de banha de porco;

- 1 ovo;

- 100 ml de água para a salmoura;

- 100 ml de vinagre;

- sal a gosto.

 

Ingredientes para o recheio:

- 100 g de queijo minas frescal;

- 150 g de linguiça calabresa;

- 400 g de frango cozido e resfriado;

- 70 g de guariroba;

- 70 g de ervilha;

- 2 ovos cozidos e fatiados;

- 2 fatias de miolo de pão;

- 15 g de banha;

- 150 g de polpa de tomate;

- 1 cebola picada;

- 2 dentes de alho picadinhos;

- 1 gema de ovo;

- azeite a gosto.

 

Modo de preparo da massa:

- Primeiro, acople um gancho batedor na batedeira;

- Coloque a farinha de trigo no bowl da batedeira;

- Acrescente a salmoura;

- Adicione o ovo;

- Coloque a banha de porco;

- Ligue a batedeira;

- Deixe o equipamento funcionar por, aproximadamente, dez minutos;

- Decorrido esse tempo, desligue a batedeira;

- Deixe a massa descansar por, aproximadamente, uma hora.

 

Modo de preparo do recheio:

- Coloque uma panela no fogo;

- Adicione o azeite na panela;

- Acrescente a cebola;

- Adicione o alho;

- Deixe esses ingredientes refogar;

- Quando isso acontecer, acrescente a linguiça calabresa;

- Em seguida, adicione as ervilhas;

- Coloque o frango cozido e desfiado;

- Acrescente o extrato de tomate;

- Agora, coloque o miolo de pão;

- Mais uma vez, misture todos esses ingredientes;

- Tempere com sal;

- Reserve o recheio, para ser utilizado posteriormente;

- Divida a massa em duas partes iguais;

- Espalhe um pouco de farinha de trigo sobre uma parte da mesa;

- Coloque uma parte da massa sobre a mesa enfarinhada;

- Utilize um rolo para abrir a massa;

- Feito isso, enrole a massa no rolo;

- Transfira a massa para a forma, o que é facilmente obtido, desenrolando-a sobre a forma;

- Feito isso, posicione a massa sobre toda a forma;

- Em seguida, coloque o recheio sobre a massa;

- Acerte bem a superfície do recheio;

- Feito isso, espalhe o queijo minas frescal por cima do recheio;

- Coloque as fatias de ovos cozidos;

- Corte o excesso de massa ao redor da forma;

- Feito isso, cubra a forma com a outra parte da massa;

- Retire o excesso dessa massa que ficou ao redor da forma;

- Agora, junte as pontas das duas massas;

- Feito isso, utilize uma mistura de gema de ovo e azeite para pincelar o empadão;

- Em seguida, leve o empadão ao forno com temperatura de 170°C a 180°C por, aproximadamente, meia hora;

- Decorrido esse tempo, retire a forma do forno;

- Retire o empadão da forma;

- Transfira o empadão para um prato apropriado;

- Decore com folhas de salsa;

- Sirva o empadão.

 

Confira mais informações, acessando os cursos da área Cozinha Profissional.

 

Por Andréa Oliveira

 

 

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Quer mudar de vida e ter sucesso profissional? Vamos te ajudar!