WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Fale com uma Especialista
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Como evitar a contaminação de alimentos em supermercados

Quais são as fontes de contaminação? Como os microrganismos se desenvolvem? O que eles podem causar nos alimentos e nos consumidores? O que fazer para evitar as fontes contaminadoras?

É dever dos estabelecimentos saber como combater, evitar, reduzir e eliminar as possíveis fontes de contaminação.

É dever dos estabelecimentos saber como combater, evitar, reduzir e eliminar as possíveis fontes de contaminação.

Os alimentos, para serem consumidos, precisam ser manipulados com muito cuidado e critérios, para que não ocorra contaminações que causam incômodos ou doenças aos seres humanos. Para que isso aconteça, é preciso adotar técnicas de segurança alimentar, que consistem em manter os alimentos livres de elementos nocivos à saúde humana. Quais são as fontes de contaminação? Como os microrganismos se desenvolvem? O que eles podem causar nos alimentos e nos consumidores? O que fazer para evitar as fontes contaminadoras?

O que causa a contaminação dos alimentos são os microrganismos patogênicos, como vírus, fungos, bactérias, protozoários e parasitos. Um alimento limpo poderá se tornar contaminado, caso tenha contato com esses elementos durante toda sua cadeia de produção. Algumas vezes, a ação deles muda a aparência dos alimentos, outras vezes não. Assim, os bonitos podem contê-los também.

Independente da fonte, os microrganismos geralmente encontram, nos alimentos, excelentes condições de desenvolvimento. Eles gostam de ambientes com muita água, pH próximo ao neutro, temperatura favorável e disponibilidade de nutrientes como açúcares, gorduras, proteínas, vitaminas e sais minerais. Isso é facilmente encontrado nos produtos alimentícios.

Para evitar a contaminação, é preciso uma ação conjunta. Ela começa com a avaliação dos fornecedores, que deverão produzir os alimentos, seguindo os critérios de segurança alimentar. Em segundo lugar, tendo a mesma importância do primeiro item, é preciso capacitar os funcionários e ter uma infraestrutura adequada, que possibilite a recepção, o armazenamento, o preparo e a exposição dos alimentos, mantendo o controle de qualidade dos mesmos.

É  preciso capacitar os funcionários e ter uma infraestrutura adequada para manter o controle de qualidade dos alimentos.

É  preciso capacitar os funcionários e ter uma infraestrutura adequada para manter o controle de qualidade dos alimentos.

A orientação dos clientes em como proceder após a compra dos produtos também é um ponto essencial. Durante todo o processo, deve-se prezar a higiene pessoal, das instalações e dos equipamentos. Esse é o ponto de partida para a manutenção da qualidade dos alimentos.

Em supermercados são encontrados diversos tipos de alimentos, e por isso o risco de contaminação direta ou cruzada pode se tornar maior. Nesse sentido, as técnicas de segurança alimentar precisam ser seguidas rigorosamente, visando a oferecer esses produtos de forma segura e com excelente qualidade.

O curso Segurança Alimentar em Supermercado foi elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas e coordenado pela Bióloga Adriana Lara Fonseca, que é especialista em segurança alimentar. O objetivo desse material é ensinar as principais técnicas para a correta manipulação dos alimentos. O curso é focado na escolha dos fornecedores, nas técnicas de recebimento, no armazenamento, na exposição dos produtos, no preparo dos alimentos, na higienização e nas formas de informar os clientes sobre o controle de qualidade.

Após fazer o curso e ser aprovado na avaliação, o aluno recebe um certificado de conclusão emitido pela UOV – Universidade On-line de Viçosa, filiada mantenedora da ABED – Associação Brasileira de Educação a Distância.

É dever dos estabelecimentos de vendas de produtos alimentícios saber como combater, evitar, reduzir e eliminar as possíveis fontes de contaminação. A presença de bactérias, fungos, leveduras e vírus causam mau cheiro e sabor desagradável. Em alguns casos, a aparência do produto contaminado se modifica, mas existem as modificações que não são perceptíveis, o que é ainda mais perigoso e aumenta muito mais a responsabilidade dessas empresas.

Por: Ariádine Morgan

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Kelli

27 de set. de 2016

Gostaria de saber sobre cursos de rt em supermercados

Resposta do Portal Cursos CPT

28 de set. de 2016

Olá Keli,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Para mais informações nossas consultoras entrarão em contato.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!