WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Conheça nossos Cursos Profissionalizantes (combos) com 40% de DESCONTO

Usina hidrelétrica traz comodidade e produtividade ao produtor rural

As microusinas rurais representam uma alternativa viável e simples

Havendo na propriedade uma fonte de água com vazão e queda suficientes, torna-se possível implantar uma microusina hidrelétrica.

O potencial hídrico do Brasil, que corresponde a 8% das reservas do mundo, faz com que 95% da energia elétrica gerada no país seja por meio de hidrelétricas. Tanto no meio urbano como no rural, ela é distribuída, até os pontos de consumo, de forma convencional, pelas linhas de transmissão, a partir das concessionárias.

No meio rural, seu fornecimento tem importância tanto do ponto de vista social como do econômico. Vista pelo aspecto social, a disponibilidade de energia proporciona conforto ao homem no campo, evitando, assim, que migre para os grandes centros urbanos em busca de melhor qualidade de vida. Já do lado econômico, contribui para o aumento e qualidade dos produtos agrícolas, pois permite que o produtor tenha acesso a algum tipo de tecnologia para realizar as atividades de produção com maior eficiência e rapidez.

Com a disponibilidade de energia, é possível fazer o acionamento das máquinas utilizadas nos processos produtivos, o que intensifica e melhora a qualidade dos produtos, reduzindo também o custo. Além disso, viabiliza a implantação de agroindústrias, que são fatores que levam a uma maior lucratividade.

Mas, apesar do fornecimento ao meio rural ter aumentado nos últimos anos, a grande extensão do nosso país faz com que, em muitas localidades, não seja viável o fornecimento de eletricidade, tanto do ponto de vista técnico como econômico. Das 5,5 milhões das propriedades rurais existentes no país, apenas um milhão é abastecida com energia elétrica.

As microusinas rurais, por sua vez, apesar de serem ainda pouco conhecidas, representam uma alternativa viável e simples. Assim, havendo na propriedade uma fonte de água com vazão e queda suficientes, torna-se possível implantá-las. Com isso, o produtor rural terá energia com a mesma qualidade da que é fornecida por uma concessionária e, na maioria das vezes, com menor custo. Elas são construídas aproveitando-se pequenos cursos d’água e se forem observados os critérios exigidos causam o mínimo de impacto ambiental.

Em certos casos, é mais viável a instalação de uma microusina rural que a construção de uma linha de transmissão para usar a energia fornecida por uma concessionária. Sendo assim, o CPT - Centro de Produções Técnicas, cumprindo o seu papel na disseminação do conhecimento, elaborou o curso Como Montar e Operar uma Microusina Hidrelétrica na Fazenda, no qual são apresentadas, de forma detalhada e prática, as informações técnicas sobre sua montagem e operação. 


A instalação de uma microcentral rural é uma alternativa altamente viável.

A coordenação técnica ficou a cargo dos professores e pesquisadores Geraldo Lúcio Tiago Filho e Augusto Nelson Carvalho Viana, ambos do Centro Nacional de Referência em Pequenos Aproveitamentos Hidroenergéticos, da Escola Federal de Engenharia de Itajubá, em Minas Gerais. No curso, o aluno aprende quais são os componentes de uma microcentral rural; como elaborar projeto; e a fazer a operação e a manutenção. Ele também terá a oportunidade de conhecer outros sistemas de geração.

Após fazer o curso e ser aprovado na avaliação, o aluno recebe um certificado de conclusão emitido pela UOV – Universidade On-line de Viçosa, filiada mantenedora da ABED – Associação Brasileira de Educação a Distância.

A implantação de uma microusina na fazenda apresenta inúmeras vantagens, entre elas podemos destacar sua concepção simplificada, que lhes proporciona baixo custo de implantação e manutenção; vida útil elevada, podendo atingir 50 a 60 anos de funcionamento; e a  geração de energia elétrica que permite ao produtor acionar praticamente todos os tipos de máquinas agrícolas, iluminar residências e bombear água para sistemas de irrigação. Os estudos apontam e a prática confirma que a instalação de uma microcentral rural na fazenda é uma alternativa altamente viável.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Francisco Cesar

7 de set de 2013

Bom dia, Pretendo instalar uma Micro Usina Hidrelétrica em minha fazenda, em Alta Floresta,MT. Tenho diversos rios que poderão ser represados, porem gostaria que me informassem como fazer o calculo para medir o potencial do riacho a ser represado, de forma a saber quanto poderá gerar em Kwh de energia. Minha intenção é instalar um gerador de 240 a 300 Kw, pois pretendo iniciar um projeto de pastos irrigados. Ficaria imensamente grato caso enviassem a tabela de calculo, sobre o assunto cordialmente Francisco Cesar ( Agro Industrial Kabixi )

Resposta do Portal Cursos CPT

12 de set de 2013

Olá, Francisco!

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

A vazão de um curso dágua poderá ser determianda por vários métodos, sendo que, para fins de cálculo de potência de uma microcentral, os métodos do vertedor e do flutuador são os mais recomendamos.

Independente do método utilizado, é muito importante que a estimativa da vazão do curso dágua seja feita no perído da seca, quando a vazão do curso dágua é mínima.

Método flutuador:

Trata-se de um dos métodos de medição de vazão mais simples, prático e fácil de ser executado. O método do flutuador se aplica à maioria dos cursos dágua, sendo o mais adequado para situações onde o leito do curso dágua apresenta larguras consideráveis (mais larga, por exemplo acima de 1,5 m).

A vazão do curso dágua, por esse método, será estimada pela fórmula:

Q = c x A x V,

sendo

Q = vazão do curso ságua estimada, em m³/s

c= coeficiente adimensiona, referente à rugosidade das paredes laterais do curso dágua que, normalmente são duras e irregulares

A = área média da seção transversal do trecho do curso dágua, onde a velocidade foi medida, em m²

V = velocidade média da água, medida em um trecho reto do curso dágua, em m/s

O fator c tem a função de corrigir a velocidade superficial da água, que é diferente da velocidade da mesma no fundo e nas laterais do curso dágua. o seu valor deverá variar entre 0,6 e 0,8, para cursos dágua naturais (rios, riachos, córregosm entre outro), sendo 0,6 quando possuírem laterais muito sujas (com muito mato), 0,7 para laterais com menos mato e 0,8 para laterais praticamente limpas.

Pela fórmula anterior, percebe-se que o método do flutuador consiste em determinar a seção transversal média do leito do rio (Am) e a velocidade média da água (Vm), e a partir desses valores estimar a sua vazão do leito.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

wellington silva

9 de abr de 2012

É possivel montar uma microusina rural em fazendas que não tenham cursos d'agua? Qual seria o mais indicado?

Resposta do Portal Cursos CPT

11 de abr de 2012

Olá, Wellington!

As microusinas rurais, representam uma alternativa viável e simples de forneciemtno de energia. Porém, somente havendo na propriedade uma fonte de água com vazão e queda suficientes, torna-se possível implantá-las.

Para mais informações, conheça o curso Como Montar e Operar uma Microusina Hidrelétrica na Fazenda, produzido pelo CPT.


Atenciosamente,

Natália Parzanini

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!