WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Rinite em suínos

Doenças respiratórias como a rinite são de grande incidência na suinocultura, saiba como identificar os sintomas para evitar prejuízos na sua criação de porcos.

Rinite em suínos  Artigo CPT


Os suínos são suscetíveis a doenças respiratórias, esse perigo pode comprometer a produção da sua granja. A infecção da bactéria pode ser combatida caso os sintomas sejam identificados e tratados, podendo garantir a vida do animal, porém, o ideal é investir na prevenção. A Dra. Prof.a Mariana Costa Fausto, do Curso CPT de Suínos — Produção e Principais Doenças, explica os efeitos da doença, os sintomas e as formas de se livrar dela.

Rinite atrófica, doença infectocontagiosa que afeta suínas caracterizada por hipoplasia dos cornetos nasais casos moderados a severos, distorção facial, braquignatismo superior, desvio lateral do nariz e do septo nasal, hemorragia nasal (espirros). A forma não progressiva (B. bronchiseptica) toxigênica é reversível, a progressiva (P. multocida toxigênica) combinada com outros agentes irreversível. Os principais agentes causadores da rinite atrófica em suínos são: Pasteurella multocida e Bordetella brochiseptica.

Transmissão e sintomas das bactérias
Bordetella bronchiseptica: eliminação nas fezes, secreção nasal e tonsilas de 50 a 70 dias, maior colonização e eliminação a imunidade passiva persiste até 28 a 35 dias. Os sintomas comuns da rinite atrófica não progressiva são espirros, pneumonia, hábito de fungar, febre, tosse, dispneia, secreção lacrimal.
Pasteurela multocida D: eliminação na secreção nasal, tosse, espirros, fezes e urina, coloniza tonsilas e o trato respiratório superior (conchas nasais) de 90 a 120 dias, maior colonização, a imunidade passiva persiste até 90 a 100 dias de vida. Os sintomas da rinite atrófica progressiva são espirros, hábito de fungar, secreção ocular, hemorragia, tosse, pneumonia, retração.

Após o diagnóstico laboratorial, o veterinário deverá optar entre a vacinação dos animais ou o tratamento. A rinite atrófica é uma doença que ocorre no período em que o suíno está próximo ao abate. Caso o veterinário opte por realizar o tratamento dos animais, é necessário considerar o medicamento utilizado e o período de suspensão do mesmo. Dessa maneira, cumpre-se corretamente o período de carência e se evita a contaminação da carcaça. O controle das doenças respiratórias é, na verdade, um controle complexo que envolve ações globais no rebanho desde a introdução de animais de reprodução na granja até a venda do produto terminado. A vacinação é uma forma segura e eficaz de combater doenças infecciosas, pois consegue prevenir, controlar e eliminar doenças. A importância das vacinas cresce a cada dia, principalmente, com a restrição no uso de antimicrobianos. Não existe um programa de vacinação padrão, esse deve ser estabelecido conforme o perfil de cada granja.


Um pouco mais sobre o que encontrar no Curso CPT? Assista ao vídeo!

Conheça os Cursos CPT da Área Suinocultura.
Por Eduardo Silva Ribeiro.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Quer mudar de vida e ter sucesso profissional? Vamos te ajudar!