WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Larva de camarão de água doce: como produzir?

Para realizar a larvicultura, o carcinicultor deve ter disponível água salgada e doce, que são misturadas de forma adequada, antes de serem fornecidas aos tanques de cultivo

Larva de camarão de água doce: como produzir?   Artigos Cursos CPT

 

Para realizar a larvicultura, o carcinicultor deve ter disponível água salgada e doce, que são misturadas de forma adequada, antes de serem fornecidas aos tanques de cultivo, afirma Wagner Cotroni Valenti, professor do Curso a Distância CPT Cultivo de Camarões de Água Doce, em Livro+DVD e Curso Online.

Quando a propriedade situa-se longe da costa, a aquisição da água salgada encarece muito a produção. Nesse caso, utilizam-se sistemas fechados de circulação, que reciclam a água salobra, que pode ser preparada com a fórmula de água do mar artificial, desenvolvida no Caunesp (Unesp/Jaboticabal), indicada às propriedades situadas a mais de 600 km do litoral. Para distâncias menores, é mais interessante transportar a água do mar natural.

Além disso, o laboratório precisa de tanques especiais, incubadoras para eclosão de Artemia (microcrustáceo importado de difícil acesso e manter seu estoque em qualquer Estado é complicado devido ao alto preço do produto), equipamentos para análise de água e uma dieta específica a uma fase da larva, à base de ovo, leite, peixe, complexo vitamínico, ômega-3 e outros.

A carcinicultura passou por um momento difícil quando as pós-larvas eram obtidas de laboratórios de outros Estados. Com a instalação de três novos laboratórios, em cada um dos dois Estados, o fornecimento tende a se normalizar.

Em todas as fases, os camarões recebem alimentação artificial na forma de ração balanceada e peletizada, cujos tamanhos das partículas, quantidades e teores proteicos variam de acordo com a faixa etária dos camarões. Também, é preciso considerar que essa etapa (larvicultura) se caracteriza por ser um sistema intensivo. As larvas são criadas em tanques de tamanhos variados (1 a 10 m3), abastecidos com água salobra (12 a 16%) e localizados em galpões. As condições de cultivo são bastante controladas.

Um grande problema que surge na larvicultura consiste na eliminação, para fora dos tanques, dos subprodutos nitrogenados (principalmente a amônia), resultantes da excreção das larvas e da decomposição da matéria orgânica, que podem atingir valores tóxicos. Atualmente, existe uma tendência mundial na utilização do sistema fechado dinâmico, que garante níveis baixos de amônia e nitrito o tempo todo.

Aprimore seus conhecimentos sobre o assunto. Leia a(s) matéria(s) a seguir:


- Recria do Camarão-da-malásia: 3 dicas de sucesso
- Camarão do mar e camarão de água doce, qual o mais fácil criar?

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos a Distância CPT, em Livros+DVDs e Cursos Online, da área Piscicultura.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!