WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Desenvolvimento pesqueiro, futuro promissor para criação de peixes

Nosso país tem ainda condições de produzir 20 milhões de toneladas de pescado/ano e gerar 10 milhões de empregos no setor

 Pisicultura, a arte de criar e multiplicar os peixes.

A piscicultura é um dos ramos da aquicultura, definida como a arte de criar e multiplicar os peixes, que vem crescendo rapidamente nos últimos anos.

A aquicultura comercial brasileira se firmou como uma atividade econômica no cenário nacional a partir de 1990, época em que nossa produção de pescado cultivado girava em torno de 25.000 toneladas/ano. Aliado ao grande potencial nacional para o desenvolvimento do setor pesqueiro, o governo vem trabalhando planos de incentivo ao crescimento da piscicultura, vendo uma grande oportunidade de produzir um alimento nobre e gerar emprego e renda.

O Brasil tem 8.500 km de costa marítima, 5,5 milhões de hectares de reservatório de água doce, aproximadamente 13% do total no mundo, clima extremamente favorável, grande diversidade de espécies, terras disponíveis, mão de obra abundante e crescente demanda no mercado interno e externo, produzindo atualmente mais de 1 milhão de toneladas de pescado por ano. Nosso país tem ainda condições de produzir 20 milhões de toneladas de pescado/ano, gerar 10 milhões de empregos no setor e fazer ingressar US$ 160 bilhões no PIB.

Com o crescimento de pesquisas e a disponibilidade de técnicas de criação, nos sistemas semi-intensivo, intensivo e extensivo desenvolvidas no Brasil, que permitem ao piscicultor tornar a criação mais técnica e mais eficiente, a atividade promete excelentes resultados tanto em produtividade e qualidade quanto em retorno econômico.

Por tudo isso, o mercado brasileiro ainda tem muito espaço para novos empreendimentos e o sucesso desses vai depender de como serão conduzidos pelos seus proprietários.

O curso Criação de Peixes, promovido pelo CPT - Centro de Produções Técnicas, é uma oportunidade de levar conhecimento das técnicas de criação aos produtores. No curso você receberá informações do professor Dálcio Ricardo de Andrade, doutor em zootecnia da Universidade Estadual Norte Fluminense e do pesquisador Manuel Vazquez Vidal Junior especialista em piscicultura pela Universidade Federal de Viçosa.

Após fazer o curso e ser aprovado na avaliação, o aluno recebe um certificado de conclusão emitido pela UOV – Universidade On Line de Viçosa, filiada à ABED – Associação Brasileira de Educação a Distância. 

Com a crescente demanda por pescado, tanto no mercado interno quanto externo, e os programas de incentivo do governo, a atividade pesqueira se mostra como um excelente negócio gerador de emprego e renda para os trabalhadores do setor.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

hermenegildo agustinho silva

15 de jan. de 2013

Gostaria de criar peixe, quero saber mais sobre o PH da água.

Resposta do Portal Cursos CPT

15 de jan. de 2013

Olá, Hermenegildo!

Ficamos felizes por sua visita e comentário em nosso site.

Na criação de peixes, o pH da água trata-se de um parâmetro que indica a concentração dos íons de hodrogênio presentes na água, que, dependendo do seu valor, também interferirá diretamente no metabolismo dos peixes. Quando o valor do pH for abaixo de sete ele será ácido; quando igaul a sete será neutro e quando acima de sete será básico.

Quanto maior for a concentração de íons de hidrogênio na água, menor será o valor do seu pH, ou seja, maior será a sua acidez.

Em geral, para se obter melhor desenvolvimento dos peixes, o pH da água de cultivo deverá estar entre 6,5 e 8,0. Quando os valores de pH são inferiores a 6,5, o crescimento dos peixes será retardado e, também, conforme o pH decresce de 6,5, há um aumento na solubilidade do alumínio (Al) e do ferro (Fe), que são compostos tóxicos para os peixes. Quando o pH é acima de 8,5, os peixes podem ficar mais susceptíveis a algumas doenças. Por essa razão semanalmente, deve-se fazer a medição do pH da aágua, por meio do "pHmetro".

Para mais informações o CPT - Centro de Produções Técnicas, possui o curso Criação de Peixes que poderá lhe auxiliar.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

 

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!