WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Motilidade Intestinal em equinos: saiba mais sobre isso

É necessária uma motilidade gastrointestinal normal para que o trânsito de ingesta se mantenha dentro da normalidade e a digestão, bem como a absorção de nutrientes, seja adequada nos equinos

Motilidade Intestinal em equinos: saiba mais sobre isso   Artigos Cursos CPT

 

É necessária uma motilidade gastrointestinal normal para que o trânsito de ingesta se mantenha dentro da normalidade e a digestão, bem como a absorção de nutrientes, seja adequada nos equinos, afirma Thauan Carraro de Barros, professor do Capacitação de Auxiliar Veterinário - Equinos e Bovinos.

A ausculação do abdômen é considerada uma técnica de avaliação da motilidade intestinal não invasiva e de relativa facilidade de execução, sendo reconhecida como a principal técnica utilizada pelos clínicos de equinos para avaliar o motilidade intestinal.

Os sons abdominais podem ser caracterizados quanto a sua frequência, duração, intensidade e localização. A natureza do conteúdo intestinal, em particular a quantidade de gás presente na ingesta, pode afetar a intensidade dos sons auscultados. A auscultação abdominal permite a detecção de dois tipos de sons abdominais:


- sons mais fracos, associados às contrações intestinais que promovem a mistura da ingesta;
- sons mais audíveis, vulgarmente designados por burburinhos, associados ao peristaltismo progressivo que promove a propulsão da ingesta.

De forma geral, quanto aos sons referentes ao movimento propulsivo da ingesta, podem ser audíveis apenas 1 vez em 2 a 4 minutos, se o animal não tiver sido alimentado recentemente.

O primeiro local para se realizar a motilidade é no quadrante superior esquerdo, próximo a ponta da cana, acima da anca do animal, onde se vai auscultar o intestino delgado.

Com o estetoscópio, auscute a passagem da ingesta. Ela é identificada por apresentar um barulho que remete a um barulho de um trovão que ocorre de tempos em tempos. Nele não tem um tempo exato necessário para auscultar; é preciso verificar se há ou não a motilidade. Em seguida, passe para o quadrante inferior esquerdo descendo até a região do flanco do animal para auscultar o cólon maior esquerda, da mesma forma que o quadrante superior.

Repita essa operação no quadrante superior direito, onde devemos auscultar a passagem da ingesta, como no lado esquerdo. Mas, nesse lado, devemos auscultar também o ceco. Por isso, é necessário um cronômetro, para auscultar por 5 minutos os barulhos da prega ileocecal, que é um barulho que remete água entrando pelo ralo. O número de descargas ileocecal consideradas normais em equinos são de 2 a 4 descargas a cada 5 minutos.

Nesse local, é necessário também realizar a ausculta intestinal e passar para o quadrante inferior direito o corpo do ceco do animal, que dica localizado um pouco abaixo. Nele, deve-se auscultar os burburinhos, como no lado esquerdo.

Aprimore seus conhecimentos sobre o assunto. Leia a(s) matéria(s) a seguir:


Afinal, na prática, o que é o casqueamento de cavalos?
Casqueador: você conhece o cavalo em partes?

Conheça os Cursos a Distância CPT da área Criação de Cavalos.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!