WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Torne realidade o sonho de viver do que você ama! 20% OFF nos cursos online + 5% OFF pagando no cartão

Infecção dentária em cavalos: como diagnosticar?

Durante o exame clínico odontológico, a presença de corrimento nasal unilateral, com presença ou não de aumento de volume na maxila, é possível indicação de infecção dentária em cavalos

 

Infecção dentária em cavalos: como diagnosticar?    Artigos Cursos CPT

Durante o exame clínico odontológico, a presença de corrimento nasal unilateral, com presença ou não de aumento de volume na maxila, é uma possível indicação de presença de infecção dentária em cavalos, o que pode provocar sinusite.

O diagnóstico pode ser confirmado pela realização do exame da cavidade oral, aliado ao estudo radiológico da região”, afirma Prof. Dr. Luiz Fernando Rapp de Oliveira Pimentel, do Curso CPT Odontologia Equina a Campo.

A parte visível dos dentes dentro da boca do cavalo é a coroa clínica. O restante do dente (coroa de reserva e raízes) está inserido nos ossos da mandíbula e maxila. Como é possível visualizar apenas uma pequena porção dos dentes, e a maior porção dos elementos dentários está inserida no interior dos ossos da maxila e mandíbula, distúrbios odontológicos, identificados durante o exame da cavidade oral, devem ser, obrigatoriamente, complementados por estudos radiológicos dos dentes e regiões afetadas.

As coroas clínica e de reserva de incisivos, molares e pré-molares são longas (hipsodontes), com sete a dez centímetros de comprimento. Os dentes crescem quase em sua totalidade até os 6 ou 7 anos de idade; após essa idade, a taxa de crescimento é extremamente reduzida pelo resto da vida do equino. No entanto, os dentes possuem uma erupção contínua (elodontia) que segue uma dinâmica de dois a três milímetros por ano, durante toda a vida do cavalo. A contínua extrusão, o uso e o desgaste dos dentes promovem a diminuição da coroa de reserva.

A altura da coroa clínica e o comprimento das raízes permanecem praticamente os mesmos, a partir da época de maturação do dente, mas a posição do ápice da raiz migra na direção da boca, enquanto a coroa de reserva diminui. A erupção da coroa de reserva inserida no osso alveolar ocorre até a completa extrusão da coroa.

Aprimore seus conhecimentos sobre o assunto. Leia a(s) matéria(s) a seguir:


- Cavalos confinados têm eficiência mastigatória reduzida. Certo ou errado?
- Especialidade em veterinária? Faça odontologia equina!

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos CPT da área Criação de Cavalos.
Por Silvana Teixeira.

 

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!