WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Como prevenir problemas odontológicos em equinos

Os distúrbios dentários podem causar cólicas no cavalo e impactar na performance do animal

Como prevenir problemas odontológicos em equinos

Prevenir problemas odontológicos em equinos significa investir na boa saúde oral dos animais para garantir a melhor performance da tropa. Nesse contexto, as visitas periódicas do médico veterinário são indispensáveis. “Os distúrbios dentários podem causar cólicas no cavalo, além de impactar no comportamento do animal”, explica Luiz Fernando Rapp de Oliveira Pimentel, Mestre e Doutor em medicina veterinária e professor do Curso CPT Odontologia Equina a Campo.

Sinais indicativos de problemas


Para identificar se há problemas nos dentes do equino, basta detectar alguns sinais característicos, como dificuldade em engolir ou mastigar; mastigação parcial de forragem ou grãos; presença de fragmentos de forragens ou grãos nas fezes; inapetência; perda de peso; cólicas; salivação excessiva; sensibilidade na bochecha; resistência a comando por embocadura; redução na performance do animal.

Problemas mais comuns

Diastema


Diastema corresponde ao espaço entre os incisivos e os molares. Quando nasce um dente extra nessa região, ocorre dor severa, o que causa grande incômodo ao equino. Esse problema é resolvido com a extração do dente. Entretanto, o médico veterinário deve apresentar expertise na área de odontologia veterinária. Dessa forma, o dente do cavalo será extraído, com precisão e eficiência, o que acabará efetivamente com a dor.

Ganchos


Quando os pré-molares e os molares desalinham, surgem os chamados “ganchos”. Em casos mais críticos, eles podem até mesmo perfurar o céu da boca do equídeo, o que agrava ainda mais o quadro de saúde do animal. Daí a necessidade de chamar o médico veterinário especialista para proceder ao tratamento adequado. Caso contrário, poderão surgir infecções orais nos equídeos.

Cauda de andorinha


À aresta gerada pelo desgaste dos dentes incisivos chama-se “cauda de andorinha”. Esse problema dentário aparece, quando o equino chega aos 7 anos de vida, com recorrência aos 13 anos. A boa notícia é que o distúrbio some com o passar do tempo. Entretanto, se o tratador notar dificuldade de mastigação no equino, deve-se proceder a alterações graduais na dieta para garantir o bem-estar e a boa saúde do animal.

Dente de lobo


Como se parece com um dente canino, o “dente de lobo” surge no cavalo quando o animal chega aos seis meses de vida. Daí em diante, normalmente ocorre a sua queda natural. Entretanto, em alguns casos, ele permanece sem problemas para o animal. Em outros, esse dente nasce em região inadequada (como na lateral), o que exige a sua extração, para que não machuque a bochecha do equino, o que causaria infecções.

Conheça os Cursos CPT da Área Criação de Cavalos:

Odontologia Equina a Campo

Capacitação de Auxiliar Veterinário - Equinos e Bovinos

Enquanto o Veterinário Não Chega - Atendimento a Equinos

Fonte: CPT Cursos Presenciais - cptcursospresenciais.com.br

Por Andréa Oliveira.

Faça já o Download Grátis
Faça já o Download Grátis E-book Manual Prático para Ferrageamento e Casqueamento de Cavalos

Basta preencher os campos abaixo para receber o material por e-mail:

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!