WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Medicina Alternativa: Apiterapia

Herança da medicina chinesa proporciona melhora significativa em tratamentos de saúde

Lidar com abelhas requer muita atenção e cuidado

A apiterapia surgiu na China há mais de cinco mil anos e hoje em dia é reconhecida em várias partes do mundo. Um número considerável de pessoas têm se tratado com o auxílio dos recursos naturais proporcionados pelas abelhas, como mel, pólen, cera, pão das abelhas, própolis, geleia real, larvas e veneno. Os resultados surpreendentes e significativos se concentram principalmente no tratamento de doenças reumatológicas e ortopédicas. Algumas pessoas adotam a apiterapia como um tratamento complementar ao da medicina ortodoxa. Outras, quando não conseguem os resultados esperados, simplesmente abandonam os métodos convencionais, concentrando-se inteiramente no que esses insetos podem fazer pela saúde delas.

O curso Apiterapia – Tratamento com Produtos das Abelhas, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, explica exatamente o que é e como funciona essa terapia. A opção por tratamentos naturais tem sido uma tendência das últimas décadas devido à tentativa do ser humano de retomar relações saudáveis com o meio ambiente, favorecendo o próprio bem estar. Além disso, estamos mais conscientes e sabemos que não são poucos os malefícios causados ao organismo por medicamentos industrializados. Muitas vezes, os efeitos colaterais desses remédios podem fazer mais mal ao paciente do que a doença em si. Ao longo do curso, o apiterapeuta Carlos Eduardo Carvalho dos Santos elenca os diferentes produtos apícolas e as terapias desenvolvidas a partir de cada um deles.

Considerações sobre a apiterapia

Abelhas são capazes de fabricar produtos com notáveis propriedades medicinais e nutritivas

Aprofundar-se no assunto, procurando opiniões de apiterapeutas e dos próprios pacientes que se submeteram a esse tratamento, é a melhor maneira de avaliar sua real eficiência, pois os estudos nessa área são recentes e raros. O curso citado acima se concentra principalmente na técnica baseada no uso do veneno do animal. Ela tem sido bastante eficiente na melhora dos pacientes, já que o veneno das abelhas tem uma potência impressionante. Santos afirma que apenas um dos componentes do veneno, a Melitina, é 200 vezes superior que o mais potente corticoide sintético. Interessante notar também que a Apamina inibe a destruição da Mielina (responsável pelas sinapses entre as células nervosas), dando chance ao organismo de criar uma nova rede de comunicação.

Alguns profissionais da medicina ortodoxa condenam a prática da apicultura (e de outras terapias naturais), alegando ser leviandade esperar resultados de uma terapia sem fundamentos científicos, ainda mais quando a pessoa desiste do tratamento da medicina convencional. No entanto, em inúmeros países, em especial na Europa, enfermos têm dado preferência à medicina alternativa. Uma pesquisa revelou que a grande maioria das pessoas que optam pelas terapias naturais tem um alto grau de instrução e um elevado poder aquisitivo. Há quem aponte o interesse econômico como o principal motivo que impede os estudos nessa área, pois não existe empresa disposta a assumir o patrocínio. Já as pesquisas científicas da medicina ortodoxa, mantendo estreita relação com o mercado de medicamentos, são patrocinadas por grandes laboratórios.

Tratamento com veneno da abelha

Apiterapeuta utilizando o veneno da abelha para tratar paciente

Para o tratamento com o veneno da abelha, o terapeuta deve pegá-la com uma pinça pelo abdômen ou pela cabeça e colocá-la nas proximidades do local referente à dor. A finalidade é fazer com que o  inseto deposite o seu ferrão no paciente, pois dentro do ferrão das abelhas há uma bolsa de veneno que penetra na pele. Santos afirma que no primeiro dia deve ser feita uma única aplicação para que o apiterapeuta possa avaliar a sensibilidade e a reação do paciente. Durante os próximos dias, o terapeuta deve estar atento ao tempo desde o contato do inseto com a pele até o momento da dor, bem como notar quando aparecerão as reações cutâneas. De acordo com Santos, o tratamento normalmente segue uma ordem: uma aplicação no primeiro dia, duas no segundo, três no terceiro e assim sucessivamente.

Santos alerta que o contato com o veneno de abelhas pode provocar, nos indivíduos sensíveis, dificuldades patológicas particularmente sérias. Um indivíduo alérgico ou sensível, por exemplo, pode reagir violentamente a uma única aplicação com uma reação aguda, com vômito, diarreia, urticária ou uma síncope (perda abrupta, mas transitória de consciência por diminuição da percepção, podendo provocar uma isquemia difundida no cérebro). Em casos raros, podem ser registrados choques anafiláticos.

Produtos fornecidos pela colmeia

Produtos oriundos dos recursos naturais fornecidos pelas abelhas

Entre os principais recursos naturais oferecidos pelas abelhas estão o mel, a geleia real, a própolis e o pólen. Este é essencial na dieta dos vegetarianos, pois, segundo Santos, sua taxa de proteína é cinco vezes mais alta que a da carne, dos ovos e do leite (especialmente as taxas dos oito aminoácidos essenciais). O apiterapeuta lembra também que o pólen não deve ser misturado a outros produtos. Ele deve apenas ser dissolvido na boca antes de ser ingerido. O mel possui grande influência em relação à longevidade do homem por proporcionar diversas substâncias essenciais ao bom funcionamento do organismo. Além disso, ele é um ótimo antisséptico e responsável pela regeneração celular.

A geleia real é um bom antibiótico e anti-infeccioso, acelera a recuperação e tonifica o organismo, além de ajudar na prevenção do envelhecimento precoce. A geleia real age como um estimulante biológico e energético das diferentes funções orgânicas, melhorando o estado geral do organismo, aumentando a capacidade física e intelectual de quem a consome, havendo registros de sua atuação positiva contra arteriosclerose, úlceras, anemias e depressão, enfim, facilitando o metabolismo celular, agindo como estimulante, fortificante. Já a própolis é considerada um dos mais eficientes remédios naturais redescobertos pelo ocidente.

Para ser um apiterapeuta

A pinça deve conter a abelha pela cabeça ou pelo tórax. Contê-la pelo abdômen pode fazer o veneno ser expelido antes da aplicação.

Por tratar-se de uma terapia chinesa, a apiterapia envolve muito mais do que o ato de tratar e evitar doenças. A cultura chinesa acredita no equilíbrio como principal fornecedor de uma boa saúde. Não basta, portanto, seguir os processos práticos do tratamento sem se concentrar nos conceitos espirituais, pois, desse modo, a terapia seria incompleta e provavelmente não traria os resultados esperados. Já no primeiro encontro, terapeuta e paciente devem se concentrar no significado da apiterapia, na sua base filosófica. Se você também se interessou por essa terapia surpreendente, adquira o curso que o CPT preparou para você. Todas as informações contidas no curso são de fundamental importância para a sua preparação.

Por Camila Guimarães Ribeiro

 

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Keide

29 de nov. de 2015

Boa noite! Sou formada em Fisioterapia e estou fazendo a pós graduação em acupuntura. Gostaria de saber como, e a onde posso fazer este curso presencial, pois tenho muito interesse.

Resposta do Portal Cursos CPT

30 de nov. de 2015

Olá, Keide!

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Para mais informações sobre o Curso CPT Apiterapia - Tratamento com Produtos das Abelhas, nossas consultoras entrarão em contato.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

MARIA ZULENE LIMA NOGUEIRA

17 de jan. de 2014

Achei a matéria muito interessante e já convivi com apicultor e já conheço alguns benefícios dos produtos apícolas. Só pode ser apiterapeuta quem tem alguma formação na área de saúde? Tenho 64 anos e sou assistente social, tenho interesse em fazer o curso de apiterapia, posso? Como devo proceder?

Resposta do Portal Cursos CPT

20 de jan. de 2014

Olá, Maria Zulene!

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Para mais informações nossas consultoras entrarão em contato.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!