Ligue Agora (31) 3899-7000 WhatsApp (31) 99294-0024
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Recuperação de pastagens

Entre os métodos de recuperação existem os diretos e os indiretos

Em uma propriedade, existem pastagens em diferentes estágios de degradação, indo desde pastagem em ótimas condições de uso a até pastagem totalmente degradada.

Em uma propriedade, existem pastagens em diferentes estágios de degradação, indo desde pastagem em ótimas condições de uso a até pastagem totalmente degradada.

A principal causa da baixa produtividade de animal a pasto no Brasil é o estágio avançado de degradação de mais de 60% da área de pastagens cultivadas, e as principais causas da degradação são: escolha de espécies inadequadas para o tipo de solo e clima da região; plantio de uma só espécie em grandes extensões tornando a pastagem susceptível ao ataque de pragas; plantio incorreto; manejo incorreto; ausência de adubações de correção e de manutenção.

A produtividade de massa de forragem cai mais de 40% do primeiro para o segundo ano de utilização da pastagem; mais 10% entre o segundo e o terceiro ano; 2% do terceiro para o quarto ano e, no final de cinco anos, a produtividade pode cair em mais de 50%, com conseqüente redução na produtividade animal e na rentabilidade do negócio. Uma vez estando a pastagem em fase de degradação, resta escolher qual o melhor método de recuperá-la.

Entre os métodos de recuperação existem os Métodos Diretos e os Indiretos. No Método Direto a pastagem é recuperada sem a integração com a agricultura. No Método Direto é adotada a seguinte seqüência de procedimentos: a adoção de manejo da pastagem; controle de plantas invasoras e de pragas e correção e adubação. Normalmente, a pastagem recebe calcário e adubo em superfície sem a necessidade de serem incorporados, apesar de haver controvérsias e discussão sobre o assunto, que serão tratados com maiores detalhes no videocurso.

O Método Direto deve ser o escolhido sempre que a propriedade se encontre nas seguintes condições: acesso difícil; falta de infra-estrutura para abrigo de máquinas e implementos, falta de infra-estrutura para colher, armazenar e escoar a produção agrícola; condições climáticas e de solo que limitam a exploração agrícola; falta de conhecimento de agricultura, por parte do produtor e de sua equipe, e indisposição do produtor em desenvolver agricultura. Se, ao contrário, o Método Indireto integrando agricultura-pecuária é a melhor opção.

Em uma propriedade, existem pastagens em diferentes estágios de degradação, indo desde pastagem em ótimas condições de uso a até pastagem totalmente degradada. O produtor deve sempre começar a investir nas pastagens que estiverem em melhores condições, apresentando características tais como bom número de plantas, o solo protegido por palha e pela própria planta, sem pragas e invasoras e com manejo adequado do pastejo. Esta opção deve ser a escolhida porque se gasta menos dinheiro e tempo para a recuperação além do custo ser duas a quatro vezes menor que a recuperação de pastagens já em estágio avançado de degradação. O risco da recuperação pelo Método Direto também é menor.

Estes e outros temas como diagnóstico do estágio de degradação, coleta de solo para análise, corte e pesagem da forragem para cálculo da capacidade de suporte da pastagem, serão discutidos no curso "Recuperação de Pastagens", produzido pelo CPT - Centro de Produções Técnicas, sob a coordenação Técnica do professor Adilson de Paula Almeida Aguiar e da zootecnista Bianca Franco Almeida.

Prof. Adilson de Paula Almeida Aguiar
da Faculdade de Agronomia e Zootecnia de Uberaba - MG e a Zootecnista Bianca Franco Almeida, especialista em Administração Rural.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!