WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Como ter uma boa pastagem?

Mais da metade das pastagens do nosso país se encontra em algum estágio de degradação

Cavalos pastagem

O professor do Curso a Distância CPT Manejo de Pastagens, Adilson Aguiar, explica que o manejo de pastagens tem mostrado diferença significativa entre o lucro e o prejuízo da propriedade e promovido a sustentabilidade, diminuindo a degradação dos seus principais recursos. Ainda enfatiza que conhecer bem as técnicas de manejo de pastagens é fundamental para a atividade pecuária e a rentabilidade das propriedades.

Nosso país é rico em pastagens: são aproximadamente 180 milhões de hectares. A má notícia é que, de acordo com a Embrapa, mais da metade dessas pastagens está em algum estágio de degradação.

Para recuperá-la, é preciso entender que há alguns erros que são comuns, desde a escolha da forrageira à queima da planta. Fique atento a alguns pontos para que você consiga ter uma boa pastagem:

Adubação

A escolha de não realizar a adubação pode impactar não só no cultivo das plantas como também no desempenho animal, que ficará abaixo do esperado, o que significa menos dinheiro no bolso do criador.

A adubação tem a finalidade de garantir às plantas os nutrientes de que elas precisam, além de auxiliar no estabelecimento e manutenção de forrageiras. Pasto estabelecido é um pasto em que a forrageiras atinge a máxima cobertura do solo e no qual há acúmulo de matéria vegetal que permita o início do pastejo.

Superlotação

A superlotação de animais no pasto, apesar de muito comum, e prejudicial às plantas, pois os animais por mais tempo no pasto acabam prejudicando a recuperação das plantas, causando degradação.

Escolha

É preciso avaliar as condições do solo e do clima da propriedade para que seja possível escolher a melhor forrageira. Caso a escolha seja equivocada, a planta não atingirá seu máximo potencial produtivo e, como dito, pode prejudicar também o desenvolvimento dos animais criado ali.

Conservação

É preciso implantar um programa de conservação do solo, pois a falta de um pode provocar a degradação por conta da perda de solos e nutrientes, acarretando, inclusive, em erosão. Para evitar isso, é possível utilizar terraços agrícolas, que diminuem o impacto das chuvas e impedem a ocorrência de erosões no solo.

Replantio

Plantas invasoras e que competem com as forrageiras se aproveitam das falhas nas pastagens. Para evitar isso, o plantio deve ser feito de forma correta, para que não seja necessário replantar. Caso haja a necessidade, faça-o o mais rápido possível.

Fogo

Colocar fogo frequentemente é prejudicial às forrageiras, uma vez que isso esgota as reservas das raízes e base do caule, fazendo com que a rebrota seja menos vigorosa. Também promovem a perda de nitrogênio e enxofre, o que reduz também a produção da pastagem. Além disso, reduz a umidade do solo por conta de um decréscimo da infiltração, aumento de enxurradas e da evapotranspiração.


Conheça os Cursos a Distância CPT da Área Pastagens e Alimentação Animal:

Manejo de Pastagens
Recuperação de Pastagens – Método Direto
Formação de Pastagens

Fonte: Compre Rural – comprerural.com
por Renato Rodrigues

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!