Cursos da Área Curso Pastoreio de Lotação Rotacionada para Gado de Leite e Corte Curso Inseminação Artificial em Bovinos - Convencional e em Tempo Fixo Curso Planejamento Alimentar em Sistema de Pastejo - Para Gado de Leite e Corte Curso Fabricação de Ração na Fazenda Curso Alimentação de Vacas Leiteiras em Pasto e em Confinamento Curso Enquanto o Veterinário Não Chega - Atendimento a Bovinos Curso Produção de Leite em Pasto Curso Prevenção e Controle de Mastite Curso Melhoramento Genético de Gado de Leite Curso Manejo da Vaca Gestante no Parto e Pós-Parto Curso Como Produzir Mais Leite e Mais Bezerras Curso Cana Ureia - Alimento de Baixo Custo para Bovinos Curso Bezerras de Raças Leiteiras - Do Nascimento ao Desaleitamento Curso Sistema Superintensivo de Produção de Leite em Pasto Curso Conforto Animal para Maior Produção de Leite Curso Shamballah - O Segredo da Alta Produtividade Leiteira Curso Ordenha Mecânica Curso Produção de Leite em Confinamento Curso Controle de Carrapato, Berne e Mosca-dos-Chifres Curso Formação e Manejo de Capineira Curso Recria de Novilhas para Produção de Leite Curso Sistemas Silvipastoris - Consórcio de Árvores e Pastagens Curso Criação de Bezerros de Raças Leiteiras para Corte Curso Pastejo Rotativo em Capim-Elefante Curso Pastoreio Voisin para Gado de Leite Curso Produção de Leite Orgânico Curso Vacas Meio-Sangue para Produção de Leite Curso Manejo Sanitário de Bovinos para Produção Orgânica de Leite Curso Avaliação, Julgamento e Preparo de Vacas Leiteiras para Eventos Curso Produção de Vitelos Áreas Afins 29Gado de Corte 17Pastagens e Alimentação Animal 2Produção Orgânica de Leite Depoimentos dos Alunos Alunos de Sucesso Depoimentos Publicações TV Cursos CPT Artigos Notícias Dicas Cursos CPT Entretenimento Beirada de Fogão Melhores Filmes do Cinema Reflexões

Vacas meio-sangue produzem mais leite? Confira

Vacas meio-sangue de boa origem genética e com excelente manejo têm média de produção superior a 15 kg de leite ao dia, com picos de mais de 20 kg ao longo de até 305 dias de lactação

Vacas meio-sangue produzem mais leite? Confira

 

No Brasil, as raças leiteiras europeias Holandês, Pardo Suíço e Jersey são as mais usadas em cruzamentos para a obtenção de um híbrido meio-sangue excelente para a produção de leite. Essas raças foram selecionadas durante séculos com o intuito de se atingir alta produção, precocidade e eficiência reprodutiva (as novilhas atingem peso à cobrição com pouco mais de 1,5 ano de vida). Em outras palavras, se as vacas meio-sangue têm uma boa origem genética e recebem excelente manejo, mantêm a média de produção superior a 15 kg de leite ao dia com picos de mais de 20 kg ao longo de até 305 dias de lactação, podendo, inclusive, serem manejadas a pasto com baixo nível de suplementação.

Importância do correto manejo das vacas meio-sangue

Quando bem manejadas, as vacas podem apresentar cio fértil menos de 60 dias depois do parto, e produção média diária de mais de 30 kg de leite em uma lactação persistente de até 305 dias. Entretanto, essa seleção aconteceu em regiões de clima temperado, a baixas temperaturas, em sistemas de produção nos quais a alimentação está baseada em concentrados fornecidos no cocho e onde o gado não enfrenta os parasitas típicos dos trópicos. Por isso, no Brasil o gado europeu acaba exigindo condições de manejo semelhantes às utilizadas em países de clima temperado para poder expressar seu potencial produtivo.

Influência das altas temperaturas sobre a produção de leite

As altas temperaturas do ambiente em nosso território levam esses animais ao estresse térmico que se manifesta pela elevação do ritmo respiratório e da temperatura retal e pela redução do consumo de alimentos e de água. Esses problemas metabólicos aumentam a predisposição às doenças e diminuem a resistência a parasitas internos e externos, culminando com a redução da produção de leite.

Efeitos do estresse térmico sobre as vacas meio-sangue

Sob estresse térmico, as vacas preferem permanecer na sombra boa parte do dia, especialmente nos horários de sol forte, o que significa menor tempo de pastejo. Sendo assim, a baixa adaptabilidade torna indispensável amenizar as condições ambientais por meio-sangue do confinamento. Nele as vacas podem permanecer sobre sombra o dia todo e o alimento será servido no cocho.

Influência da dieta alimentar sobre a produção de leite

Alto nível de ração concentrada é fundamental, para que a produção atinja um patamar razoável, enquanto os volumosos mais usados são as silagens e os fenos. Esse manejo vai determinar um aumento substancial nos custos de produção.

Qual raça meio-sangue produz mais leite?

A vaca meio-sangue Europeu Zebu é a que representa os melhores resultados na produção de leite.

Por Silvana Teixeira.
Conheça o Curso CPT Vacas meio-sangue Sangue para Produção de Leite.

Cursos Relacionados

Curso Vacas Meio-Sangue para Produção de Leite Curso Vacas Meio-Sangue para Produção de Leite

Com Prof. Dr. Henrique Bruschi e Prof. Dr. Rui da Silv...

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Sistema Superintensivo de Produção de Leite em Pasto Curso Sistema Superintensivo de Produção de Leite em Pasto

Com Prof. Adilson Aguiar

R$ 498,00 à vista ou em até 12x de R$ 41,50 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Alimentação de Vacas Leiteiras em Pasto e em Confinamento Curso Alimentação de Vacas Leiteiras em Pasto e em Confinamento

Com Prof. Juliano Resende

R$ 498,00 à vista ou em até 12x de R$ 41,50 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Outros artigos relacionados à área Gado de Leite

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade