WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

O que é timpanismo ruminal e como tratá-lo?

O timpanismo ruminal é uma doença comum em ruminantes e caracteriza-se pela distensão acentuada do rúmen e retículo, causada pelo acúmulo excessivo de gases

O que é timpanismo ruminal e como tratá-lo?   Artigos Cursos CPT

O timpanismo ruminal, também conhecido como empanzinamento e meteorismo ruminal, é uma doença comum em animais ruminantes e caracteriza-se pela distensão acentuada do rúmen e retículo (compartimentos do estômago dos ruminantes), causada pelo acúmulo excessivo de gases provenientes da fermentação ruminal e pela incapacidade do animal em expulsar os gases produzidos através mecanismos fisiológicos normais, que acarreta um quadro de dificuldade respiratória e circulatória, com asfixia e morte do animal.

Causas do timpanismo ruminal


Segundo Pacífico Antônio Diniz Belém, professor do Curso CPT Enquanto o Veterinário não Chega - Atendimento a Bovinos, “As causas da doença estão associadas com a ingestão de leguminosas, como alfafa e os trevos, em áreas de pastejo ou quando estas são oferecidas na forma de feno ou silagem, ou ainda com a ingestão excessiva de grãos de fácil fermentação como já foi descrito na acidose ruminal”. A ingestão excessiva de leite também pode causar timpanismo em bezerros.

O que acontece quando um bovino está com timpanismo ruminal?


Durante a digestão, há uma produção natural de gases no rúmen e certas proteínas presentes em leguminosas (alfafa, trevo e outros) como saponinas e pectinas, aumentam a viscosidade do líquido ruminal, ocorrendo a formação de uma espuma densa, pela mistura de gás com o conteúdo sólido e líquido do rúmen. As bolhas de gases presentes na espuma persistem por longos períodos dispersas e, apesar dos movimentos contínuos do conteúdo ruminal, estas não se desfazem, impossibilitando sua eliminação, levando à distensão do rúmen até a sua capacidade máxima em função da contínua produção de gases. Esta é a principal forma de timpanismo em ruminantes e resulta no acúmulo de gás na forma de bolhas, sendo denominado de timpanismo espumoso.

Com a ingestão de grandes quantidades de produtos altamente fermentáveis, em um curto espaço de tempo, leva à formação de grandes volumes de ácidos graxos voláteis resultantes do processo de fermentação pela microflora ruminal, o pH ruminal baixa, fazendo com que a produção gases seja acelerada e acumulada no rúmen por falhas no sistema de eructação (eliminação natural de gases) provocando o timpanismo gasoso. O timpanismo gasoso é, geralmente, secundário à ingestão excessiva de grãos na dieta e tem, em grande parte, causas semelhantes àquelas da acidose ruminal.

Sintomas do timpanismo ruminal


No timpanismo agudo há uma rápida evolução do quadro clínico decorrente do aumento do volume ruminal. A excessiva pressão intrarruminal leva a uma distensão do flanco esquerdo e causa uma situação de desconforto para o animal, que faz com que o mesmo pare de se alimentar e apresente sintomas de dor abdominal, escoiceando o ventre e emitindo grunhidos. A frequência respiratória aumenta e é acompanhada de respiração oral, exteriorização da língua, salivação, extensão do pescoço e distensão dos membros. Os movimentos ruminais estão aumentados nas fases iniciais, diminuindo então de intensidade, chegando até a parada total em função da distensão acentuada do rúmen. O quadro evolui para a queda do animal, com a cabeça distendida, boca aberta, língua para fora e olhos dilatados. A morte ocorre após algumas horas do início dos sintomas.

Diagnóstico do timpanismo ruminal


Deve ser baseado nos sintomas apresentados pelo animal e no histórico de alimentação com dietas precursoras de timpanismo. Em alguns animais superalimentados, a distensão de fossa paralombar pode não ser tão evidente.

Tratamento do timpanismo ruminal


O tipo de tratamento a ser feito varia de acordo com o tipo de timpanismo e o grau de severidade do caso. Muitas vezes os sintomas só são observados em condições avançadas, quando se torna necessário o uso de medidas de emergência para que se consiga salvar o animal. O tratamento no caso do timpanismo espumoso deve visar a expulsão dos gases e a redução da estabilidade da espuma. O uso de sonda orogástrica, que é colocada pela boca do animal e que vai até o estômago, pode ser útil para expulsar algum gás, antes que seja obstruída pela espuma e por restos alimentares. Quando não se faz possível o alívio com o auxílio da sonda, deve-se optar pelo uso do trocáter (agulha de grandes proporções, utilizada para escape dos gases) na fossa paralombar esquerda ou, em último caso, da abertura cirúrgica do rúmen (rumenotomia).

No caso do uso de sonda ou trocáter, após o alívio da pressão no rúmen, devem ser administrados, via sonda ou no local da trocaterização, óleos, antifermentativos e laxativos, visando reduzir a estabilidade da espuma e facilitar a eliminação da ingesta. O tipo de óleo não é importante, visto que a maioria dos óleos vegetais e minerais mostram-se eficazes, na dose de 100-400 mL/animal (BLOOD e HENDERSON, 1979). Os antiespumantes existentes no comércio são, na sua maioria, à base de silicone, podendo ser usados puros ou diluídos em água morna. Nos casos de rumenotomia deve ser feita a reposição de flora, com conteúdo ruminal de outro animal. O tratamento dos casos de timpanismo gasosos se baseia no alívio do animal com auxílio de sonda, que pode apresentar alguma dificuldade nos casos de obstrução ou diminuição da luz do esôfago.

Prevenção do timpanismo ruminal


A maneira mais indicada de se prevenir o problema é evitar a adoção de dietas com excesso de grãos e deficientes em fibras, assim como a excessiva moagem dos grãos. O cuidado no uso de feno de leguminosas também vale a pena ser comentado. É importante evitar que animais que sofreram restrição alimentar tenham acesso a pastos de alfafa, trevo ou trigo, ou que lhes sejam oferecidas dietas com grandes concentrações de grãos. Nestes casos, a introdução gradual na dieta reduz as chances da ocorrência do timpanismo.

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos CPT da área Gados de Leite.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Doralice

3 de out. de 2021

Gostei muito do vídeo e me entercei

Resposta do Portal Cursos CPT

4 de out. de 2021

Olá, Doralice! Como vai?

Fiquei feliz em saber que você gostou da nossa matéria. Não deixe de nos visitar, aqui você encontrará, em nossa sessão de artigos e dicas, muitos outros assuntos interessantes que poderão ajudar você sempre! :)

Em breve, uma de nossas consultoras entrará em contato com informações e esclarecimentos que serão fundamentais para ajudar você nessa questão.

Marcela Teixeira

Forte abraço!

Kemisson geraldo scalzer

22 de mai. de 2021

Queria fazer o curso

Resposta do Portal Cursos CPT

2 de jun. de 2021

Olá, Kemisson 

Como vai?

Agradecemos sua visita ao nosso site!

Ficamos felizes em saber do seu interesse em nosso curso. Em breve, uma das nossas consultoras entrará em contato com informações e esclarecimentos sobre os cursos que serão fundamentais para o seu aprendizado.

Atenciosamente,
Erika

Valberes franca e Silva

18 de jan. de 2021

Olá.! Estou com um bezerro ficando com a barriga inchada de ar. Na verdade já é o segundo caso o primeiro caso já veio a óbito. Essa agora foi desmamado e já é a terceira vez q ele ficou com a barriga inchada. O alimento dele é capim elefante moído farelo de algodão e palma .gostaria de saber se tem algum remédio pra evitar esse estufamento.?

Resposta do Portal Cursos CPT

26 de mar. de 2021

Olá, Valberes 

Como vai?

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

No seu caso, o indicado é procurar por um médico veterinário, para que ele possa examinar os animais e fazer os exames necessários. Só assim será possível realizar o tratamento de forma certeira e eficiente.

Atenciosamente,

Erika

Romualdo

17 de ago. de 2020

Mercepton pode ser usado em caso de estufamento bovino?

Resposta do Portal Cursos CPT

18 de ago. de 2020

Olá Romualdo,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

No seu caso, o indicado é procurar por um médico veterinário, para que ele possa examinar os animais e fazer os exames necessários. Só assim será possível realizar o tratamento de forma certeira e eficiente.

Atenciosamente,

Lidiane Lisboa

cicero

30 de jul. de 2020

muito importante gostei

Resposta do Portal Cursos CPT

30 de jul. de 2020

Olá, Cicero

Como vai?

Agradecemos sua visita ao nosso site!

 

Ficamos felizes em saber artigo contribuiu para que você aprimorasse seus conhecimentos!

Em breve, uma das nossas consultoras entrará em contato com informações e esclarecimentos sobre os cursos que serão fundamentais para o seu aprendizado.

Atenciosamente,
Erika Lopes

Chafim Momade Adamo

28 de mai. de 2020

Obrigado pela explicação como prevenir do timpanismo.

Resposta do Portal Cursos CPT

28 de mai. de 2020

Olá,Chafim

Como vai?

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Ficamos felizes em saber artigo contribuiu para que você aprimorasse seus conhecimentos!

Em breve, uma das nossas consultoras entrará em contato com informações e esclarecimentos sobre os cursos que disponibilizamos na área e que serão fundamentais para o seu aprendizado.

Atenciosamente,

Erika Lopes

Salete Correa Leite

3 de out. de 2019

O que fazer com a vaca que está com timpanismo?

Resposta do Portal Cursos CPT

4 de out. de 2019

Olá Salete Correa Leite,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Para o tratamento da vaca com timpanismo, será necessário recorrer a um médico veterinário, para que ele possa fazer o procedimento de forma segura e eficiente. O procedimento será feito por sonda orogástrica, trocáter, ou até mesmo, cirurgia ruminal.

Atenciosamente,
Victor Sampaio

Matias Turonis de Araújo

30 de jun. de 2018

Eu quero

Resposta do Portal Cursos CPT

2 de jul. de 2018

Bom dia Matias,

Para mais informações nossas consultoras entraram em contato.

Atenciosamente,

Mariana Caliman Falqueto

Jose divino borges

15 de mai. de 2018

Tratar impzinamento de bezerros

Resposta do Portal Cursos CPT

15 de mai. de 2018

Olá José Divino,

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site. Para mais informações recomendamos que consulte um médico veterinário em sua região.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Fernando Costa Soares

30 de abr. de 2018

Gostaria de saber se existe um bom medicamento para tipanismo

Resposta do Portal Cursos CPT

2 de mai. de 2018

Olá Fernando,

Para mais informações recomendamos que entre em contato com um médico veterinário de sua região.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Quer mudar de vida e ter sucesso profissional? Vamos te ajudar!