WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Cursos da Área Curso Inseminação Artificial em Bovinos - Convencional e em Tempo Fixo Curso Fabricação de Ração na Fazenda Curso Planejamento Alimentar em Sistema de Pastejo - Para Gado de Leite e Corte Curso Alimentação de Vacas Leiteiras em Pasto e em Confinamento Curso Enquanto o Veterinário Não Chega - Atendimento a Bovinos Curso Produção de Leite em Pasto Curso Prevenção e Controle de Mastite Curso Manejo da Vaca Gestante no Parto e Pós-Parto Curso Melhoramento Genético de Gado de Leite Curso Como Produzir Mais Leite e Mais Bezerras Curso Pastoreio de Lotação Rotacionada para Gado de Leite e Corte Curso Bezerras de Raças Leiteiras - Do Nascimento ao Desaleitamento Curso Cana Ureia - Alimento de Baixo Custo para Bovinos Curso Conforto Animal para Maior Produção de Leite Curso Sistema Superintensivo de Produção de Leite em Pasto Curso Shamballah - O Segredo da Alta Produtividade Leiteira Curso Ordenha Mecânica Curso Produção de Leite em Confinamento Curso Controle de Carrapato, Berne e Mosca-dos-Chifres Curso Recria de Novilhas para Produção de Leite Curso Formação e Manejo de Capineira Curso Sistemas Silvipastoris - Consórcio de Árvores e Pastagens Curso Criação de Bezerros de Raças Leiteiras para Corte Curso Pastejo Rotativo em Capim-Elefante Curso Pastoreio Voisin para Gado de Leite Curso Produção de Leite Orgânico Curso Vacas Meio-Sangue para Produção de Leite Curso Manejo Sanitário de Bovinos para Produção Orgânica de Leite Curso Avaliação, Julgamento e Preparo de Vacas Leiteiras para Eventos Curso Produção de Vitelos Áreas Afins 30Gado de Corte 17Pastagens e Alimentação Animal 2Produção Orgânica de Leite Depoimentos dos Alunos Alunos de Sucesso Depoimentos Publicações TV Cursos CPT Artigos Notícias Dicas Cursos CPT Entretenimento Beirada de Fogão Melhores Filmes do Cinema Reflexões

Melhoramento genético dos bovinos leiteiros promove aumento da produtividade

Além do potencial genético, é necessário se ater às condições de manejo e alimentação do rebanho

Melhoramento genético gado de leite

O melhoramento genético do gado de leite pode ser realizado pela seleção dos melhores animais, que serão mantidos no rebanho para pais da próxima geração e pelo cruzamentos entre animais de uma ou mais raças. Qualquer que seja o procedimento usado, é importante que animais de genética superior sejam identificados.

No Brasil, um país com ampla variação de clima e de manejo nos rebanhos, é um desafio para os produtores de leite o estabelecimento de seus sistemas de produção.

As raças especializadas para produção de leite, tais como a Holandesa, a Jersey ou a Suíça Parda, adaptadas a países de clima temperado,  são capazes de expressar seu potencial de produção nesses lugares. No entanto, no Brasil, as condições climáticas podem tornar a atividade economicamente inviável, por causa de altos custos de produção não compensados pelo aumento de produtividade, isso faz com que a grande maioria dos produtores optem por animais menos produtivos, mas melhor adaptados ou mais rústicos.

As raças zebuínas, embora de potencial produtivo menor, são mais adaptadas à maioria das condições de criação e climáticas prevalecentes no Brasil. O menor potencial produtivo se deve, principalmente, porque as raças zebuínas no passado não foram selecionadas para produzir leite.

Nos últimos anos, no entanto, vêm sendo conduzidos programas de melhoramento das raças zebuínas para produção de leite e os resultados desse trabalho têm sido animadores. É cada vez maior o número de vacas dessas raças, como a Gir e Guzerá, que atingem altas produções de leite por lactação.  

É crescente o número de criadores que trabalham com zebuínos para produção de leite, tanto como raça pura, como em cruzamentos. A procura por touros selecionados também aumentou e a comercialização de sêmen de touros das raças Gir e Guzerá encontra-se em ascensão.

Além do potencial genético, é necessário se ater às condições de manejo e alimentação do rebanho, se essas não forem adequadas, o animal não expressará todo o seu potencial genético, ou seja, para que o animal selecionado seja produtivo, deverá ser bem manejado para que as condições de criação não interfiram de forma negativa na sua produtividade.  Sem genética, não há boa produção e sem melhorias nas condições de manejo, não há resposta ao melhoramento genético.

Com o objetivo de levar informações, como os princípios e métodos do melhoramento genético em gado de leite, assim como assuntos relacionados aos fatores não genéticos que afetam as características de importância econômica na atividade leiteira, o CPT – Centro de Produções Técnicas em convênio com a Embrapa Gado de Leite, elaborou o curso Melhoramento Genético de Gado de Leite, no qual você recebe informações dos professores  Rui da Silva Verneque e Roberto Luiz Teodoro, pesquisadores da Embrapa Gado de Leite.

Após fazer o curso e ser aprovado na avaliação, o aluno recebe um certificado de conclusão emitido pela UOV – Universidade Online de Viçosa, filiada à ABED – Associação Brasileira de Educação a Distância.          

Por meio de programas de melhoramento genético, os produtores podem melhorar a produtividade do seu rebanho, agregando valor a sua produção e melhorando o retorno econômico na atividade leiteira.

O melhoramento genético do gado de leite pode ser realizado pela seleção dos melhores animais, que serão mantidos no rebanho para pais da próxima geração e pelo cruzamentos entre animais de uma ou mais raças. Qualquer que seja o procedimento usado, é importante que animais de genética superior sejam identificados.

 

No Brasil, um país com ampla variação de clima e de manejo nos rebanhos, é um desafio para os produtores de leite o estabelecimento de seus sistemas de produção.

 

As raças especializadas para produção de leite, tais como a Holandesa, a Jersey ou a Suíça Parda, adaptadas a países de clima temperado, são capazes de expressar seu potencial de produção nesses lugares. No entanto, no Brasil, as condições climáticas podem tornar a atividade economicamente inviável, por causa de altos custos de produção não compensados pelo aumento de produtividade, isso faz com que a grande maioria dos produtores optem por animais menos produtivos, mas melhor adaptados ou mais rústicos.

 

As raças zebuínas, embora de potencial produtivo menor, são mais adaptadas à maioria das condições de criação e climáticas prevalecentes no Brasil. O menor potencial produtivo se deve, principalmente, porque as raças zebuínas no passado não foram selecionadas para produzir leite.

 

Nos últimos anos, no entanto, vêm sendo conduzidos programas de melhoramento das raças zebuínas para produção de leite e os resultados desse trabalho têm sido animadores. É cada vez maior o número de vacas dessas raças, como a Gir e Guzerá, que atingem altas produções de leite por lactação.

 

É crescente o número de criadores que trabalham com zebuínos para produção de leite, tanto como raça pura, como em cruzamentos. A procura por touros selecionados também aumentou e a comercialização de sêmen de touros das raças Gir e Guzerá encontra-se em ascensão.

 

Além do potencial genético, é necessário se ater as condições de manejo e alimentação do rebanho, se essas não forem adequadas, o animal não expressará todo o seu potencial genético, ou seja, para que o animal selecionado seja produtivo deverá ser bem manejado para que as condições de criação não interfiram de forma negativa na sua produtividade. Sem genética, não há boa produção e sem melhorias nas condições de manejo, não há resposta ao melhoramento genético.

 

Com o objetivo de levar informações, como os princípios e métodos do melhoramento genético em gado de leite, assim como assuntos relacionados aos fatores não genéticos que afetam as características de importância econômica na atividade leiteira, o CPT – Centro de Produções Técnicas em convênio com a Embrapa Gado de Leite, elaborou o curso Melhoramento Genético de Gado de Leite, no qual você recebe informações dos professores Rui da Silva Verneque e Roberto Luiz Teodoro, pesquisadores da Embrapa Gado de Leite.

 

Após fazer o curso e ser aprovado na avaliação, o aluno recebe um certificado de conclusão emitido pela UOV – Universidade On Line de Viçosa, filiada à ABED – Associação Brasileira de Educação a Distância.

 

Por meio de programas de melhoramento genético, os produtores podem melhorar a produtividade do seu rebanho, agregando valor a sua produção e melhorando o retorno econômico na atividade leiteira.

Salvar

Salvar

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

illania martins silva

26 de jun de 2013

Eu gostei mais acho que faltou muita informação sobre posturas e etc

Resposta do Portal Cursos CPT

26 de jun de 2013

Olá, illania!

Agradecemos sua visita e comentário em nosso site.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!