WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Mastite na pecuária: sintomas e como controlar atendendo a IN 77

Mastite é uma inflamação da glândula mamária. Pode se apresentar nas formas clínica e subclínica e ambas prejudicam a glândula mamária, reduzindo drasticamente a produção de leite

Pecuária de leite? Saiba o que é a mastite, seus sintomas e como controlar   Artigos Cursos CPT

 

Mastite é a inflamação da glândula mamária geralmente desencadeada com o objetivo de destruir ou neutralizar bactérias e suas toxinas que adentram no úbere da vaca. “A mastite pode se apresentar de duas formas: clínica e subclínica. Ambas prejudicam o funcionamento da glândula mamária reduzindo drasticamente a produção de leite”, afirma Leonardo Cotta Quintão, professor do Curso CPT Controle de Mastite (CCS) e Contagem Bacteriana Total (CBT) do Leite - De Acordo com a IN 77.

Os principais sintomas da mastite clínica no rebanho leiteiro são:


- apatia;
- inchaço e vermelhidão no úbere;
- presença de grumos ou pus no leite;
- diminuição no consumo de alimentos pelos animais acometidos;
- diminuição drástica na produção do leite.

Os sintomas da mastite subclínica são mais difíceis de ser identificados a olho nu, pois esta forma de doença não apresenta nenhum dos sinais acima a não ser a redução drástica da produção de leite. Por esse motivo, a mastite subclínica quase sempre passa despercebida aos produtores.

Os agentes mais comuns causadores de mastite são as bactérias dos gêneros estreptococos, estafilococos e coliformes. Contudo, existem mais de 100 tipos de bactérias diferentes que podem causar a doença. Além disso, fatores ambientais e o manejo incorreto são as principais causas de contágio e disseminação dos agentes causadores da mastite no rebanho.

O controle da mastite e a redução da CCS podem ser realizados quando atentamos para os seguintes procedimentos:


a) rotina de ordenha.
b) manutenção do equipamento.
c) acompanhamento.
d) tratamento, segregação e descarte do leite.

Ordenhadores e produtores devem observar a fisiologia do rebanho. Muitas vezes, o descarte de animais leiteiros é necessário. Isso é feito observando-se a posição anatômica do úbere.

Dica:


Ao se traçar uma linha imaginária na altura do jarrete, animais saudáveis e aptos à produção de leite devem sempre apresentar o úbere e tetos acima da linha do jarrete. Essa posição proporciona maior segurança para a glândula mamária diante dos desafios e contaminações advindas do ambiente, entre elas: escore de sujidades e riscos de ferimentos e lesões nos quartos mamários.

Pecuária de leite: mastite    Artigos Cursos CPT

Aprimore seus conhecimentos sobre o assunto. Leia a(s) matéria(s) a seguir:


- Clínica ou subclínica? Qual forma a mastite se apresenta mais?
- A mastite atacou seu rebanho? Isole os agentes causadores! 

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 



Conheça os Cursos CPT da Área Gado de Leite.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Quer mudar de vida e ter sucesso profissional? Vamos te ajudar!