WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Fale com uma Especialista
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Higienização do tanque de resfriamento de leite segundo a IN 77

De acordo com a Instrução Normativa 77, a manutenção preventiva dos equipamentos de leite é de suma importância, pois “ela evita que o equipamento estrague no momento da ordenha

Higienização do tanque de resfriamento de leite segundo a IN 77   CPT

 

De acordo com a Instrução Normativa 77 (IN 77), a manutenção preventiva dos equipamentos de leite é de suma importância, pois “ela evita que o equipamento estrague no momento da ordenha”, afirma Leonardo Cotta Quintão, professor do Curso CPT Controle de Mastite (CCS) e Contagem Bacteriana Total (CBT) do Leite - De Acordo com a IN 77.

Além disso, a falta de manutenção do equipamento pode fazer com que esse se transforme em um reservatório de patógenos cuja disseminação é favorecida quando há oscilação de vácuo causada por pontos de fuga de pressão ou pela queda de conjuntos de teteiras.

A presença de fissuras nas teteiras ou nas mangueiras dificulta a ação do detergente no momento da higienização, fazendo com que a passagem do leite pelo sistema carregue microrganismos para o tanque de resfriamento elevando a CBT e CCS do leite.

Veja os cuidados necessários para manutenção dos equipamentos para reduzir a CBT e CCS:


a) Mangueiras
As mangueiras que entram em contato com o leite devem ser trocadas a cada 6 meses. As mangueiras utilizadas na ordenha devem ser adequadas para o equipamento, para uso alimentício e atóxicas. As mangueiras de vácuo devem ser trocadas 1x ao ano para que mantenham a capacidade de vedar e conservem o vácuo do sistema de ordenha.

b) Teteiras
- As teteiras devem ser trocadas a cada 6 meses (182 dias) ou a cada 2.500 ordenhas. Durante a troca, atente para que a borracha não fique torcida e, desse modo, atrapalhe a vedação correta do equipamento diminuindo a sua eficiência.
- Deve-se trocar as 4 teteiras do conjunto, e não apenas uma delas. Após a troca, o produtor deve anotar o dia e registrar também a data da próxima troca.

c) Nível de vácuo
- Avalie o nível de vácuo do equipamento de ordenha e verifique se está adequado.
- Quando muito elevado, o vácuo causa excesso de pressão e estrangulamento entre a cisterna da glândula mamária e a cisterna do teto.
- O nível de vácuo não deve inferior ao indicado para não causar o risco de queda de teteiras e lentidão no processo de retirada do leite.

d) Pulsação
- Avalie a frequência de pulsação das teteiras. Para isso, ligue o equipamento à pressão de vácuo adequada.
- Sole 3 teteiras do conjunto, virando-as para baixo e segurando-as com uma das mãos. Dessa forma, a borracha ficará dobrada, isolando o vácuo.

Aprimore seus conhecimentos sobre o assunto. Leia a(s) matéria(s) a seguir:


- Clínica ou subclínica? Qual forma a mastite se apresenta mais?
- A mastite atacou seu rebanho? Isole os agentes causadores! 

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos CPT da Área Gado de Leite.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!