WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Fale com uma Especialista
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Gestão zootécnica na pecuária de leite: a categorização do rebanho

Para a gestão eficiente do rebanho, o primeiro passo é a categorização do rebanho, ou seja, alocar os animais em diferentes categorias, tanto na classificação zootécnica quanto na classificação física da fazenda

Gestão zootécnica na pecuária de leite: a categorização do rebanho   Artigos CPT

 

Conhecer a importância da categorização dos bovinos para uma eficiente gestão do rebanho leiteiro é fundamental para o produtor. Para que essa premissa seja alcançada, todo pecuarista deve aprender a realizar o processo de organização, além de conhecer também as ferramentas específicas de controle zootécnico.

“Para a gestão eficiente do rebanho, o primeiro passo é a categorização do rebanho, ou seja, alocar os animais em diferentes categorias, tanto na classificação zootécnica quanto na classificação física da fazenda, a fim de proporcionar medições e tomadas de decisões diferentes. Para isso, é preciso saber o que medir, como interpretar os resultados e como agir diante dos resultados obtidos”, afirma Lucas Repolês Lourenço, professor do Curso CPT Gestão Zootécnica na Pecuária Leiteira.

Ações para gestão eficiente do rebanho


a) Identificação dos animais

É muito comum nas fazendas os animais serem conhecidos apenas pelo proprietário por meio dos seus nomes. Contudo, para uma boa gestão do rebanho, é preciso que seja feita a identificação visual de cada animal utilizando-se brincos ou colares com número ou mesmo nome. Essa identificação possibilita a localização de qualquer animal dentro dos lotes e torna as informações de cada animal mais confiáveis.

b) Categorias animais
É importante a separação física dos animais de uma propriedade em algumas categorias específicas, a saber:

I- Idade

- Bezerras recém-nascidas: necessita de cuidados específicos;
- Bezerras em aleitamento;
- Desmama/transição: exige atenção redobrada devido aos problemas que podem surgir relacionados à queda da imunidade dos animais;
- Recria: é definida pela idade e principalmente pelo ganho de peso das bezerras. O número de lotes deve ser de acordo com a necessidade da propriedade;
- Novilhas: o lote de novilhas aptas e inseminadas pode ser junto. A separação entre os animais deve ser feita na medida em que forem confirmadas as gestações, colocando as vacas prenhas em lotes de novilhas gestantes; e
- Vacas: podem ser separadas em duas categorias: primípara e multípara.

II- Peso e tamanho

- É o critério para desmama/transição: associado ao histórico de saúde do animal;
- Recria (1, 2, 3): recomenda-se entre 8 a 12 animais por lote; e
- Novilhas aptas: >300 a 330 Kg.

III- Status produtivo e reprodutivo - Vaca em lactação (VL)

- Vaca em lactação vazia normal (Período de espera voluntária PEV):vacas em resguardo;
- Vaca em lactação vazia atrasada: animais que precisam ser trabalhados para retornar ao cio para emprenhar novamente;
- Vaca em lactação inseminada/coberta: vacas que estão aguardando a confirmação da prenhez;
- Vaca em lactação gestante: vacas com gestação confirmada.
- Vaca em lactação descarte: é feita a separação zootécnica para descarte e não faz mais parte do rebanho;
- Vaca seca gestante: vaca aguardando para entrar no pré-parto;
- Vaca seca gestante no pré-parto: exige separação física. É essencial para que o animal expresse seu potencial produtivo ao parir. Um pré-parto eficiente representa mais produção de leite;
- Vaca seca inseminada/coberta: fazer um acompanhamento e analisar a viabilidade de aguardar mais nove meses e meio para que o animal entre em lactação;
- Vaca seca vazia atrasada: recomenda-se encaminhamento para abate; e
- Vaca seca descarte: vaca separada para descarte devido a problemas sanitários ou problemas para emprenhar.

Atenção


Os produtores que mais apresentam problemas com o fluxo de caixa são aqueles que têm resistência em descartar vacas, mantendo animais improdutivos e doentes. Esses animais consomem o lucro gerado e levam a fazenda à falência. 

IV- Status produtivo e reprodutivo - Novilha (NOV)

- Novilha gestante;
- Novilha inseminada/coberta;
- Novilha atrasada;
- Novilha apta; e
- Novilha descarte.

Cada categoria animal possui uma demanda específica, e como a pecuária leiteira envolve muitos detalhes, é preciso reduzir variáveis. Nesse sentido, a separação em categorias facilita a rotina na fazenda, permitindo a definição da quantidade e do tipo de alimento para cada categoria e possibilita a criação de mais estratégias e recursos para a organização do rebanho na propriedade.

V- Escrituração zootécnica

Consiste em fazer anotações sobre todos os eventos relacionados ao rebanho, tais como: parto, inseminação/cobertura, secagem das vacas, produção por vaca, desmama de bezerras, e ganho de peso diário.

Aprimore seus conhecimentos sobre o assunto. Leia a(s) matéria(s) a seguir:


Gestão zootécnica na pecuária de leite: quantidade x qualidade do volumoso

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos CPT da área Gado de Leite.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!