WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Por que é importante controlar a data de cobertura de vacas?

Controlar a data de cobertura ou inseminação estima a data do parto e, dessa forma, permite separar as vacas que estão no final da gestação para um cuidado maior

Por que é importante controlar a data de cobertura de vacas?

 

Por que é importante controlar a data de cobertura de vacas? Essa resposta é simples: o controle da data de cobertura ou inseminação é útil para estimar a data do parto e, dessa forma, poder separar as vacas que estão no final da gestação e destinar a elas um cuidado maior.

Sabe por quê? Essa é mais simples ainda. Porque o momento do parto é extremamente desafiante tanto para a vaca, quanto para o bezerro.

As vacas devem ser levadas para as baias adjacentes durante o início da expulsão do feto, pois, se permanecer muito tempo na baia maternidade, pode haver contaminação com o excesso de fezes e urina contida na cama. Caso fique por pouco tempo, pode ocorrer problemas durante o trajeto.

As fases do parto bovino são:


1a fase - Início do trabalho de parto

Tem duração variável entre 4 e 24 horas. Nessa fase preparatória, vários hormônios começam a agir sobre o organismo da vaca e despertarão sinais característicos do parto, os quais servem de alerta para os criadores e veterinários.

Tais características são afundamento da garupa, úbere edemaciado e inchado e tetas inchadas. Além disso, a vaca se apresentará inquieta, deitando e levantando o tempo todo como sinal do desconforto causado pelas contrações.

É importante nunca interromper, fazer barulho, mexer ou mesmo se aproximar do animal a partir desse momento.

Um nível de estresse qualquer fará com que a vaca entre em um estado de nervosismo maior, dificultando o parto. Ela deve estar, a todo o momento, tranquila e conduzindo o parto sozinha para aumento do seu bem-estar.

2a fase - Expulsão do feto

A duração é de aproximadamente 1 a 4 horas. Começa com o rompimento do tampão mucoso para passagem do feto.

3a fase - Expulsão dos anexos fetais

Expulsão especialmente da placenta. Possui duração de aproximadamente 8 horas.

Durante essas fases do parto, vários cuidados deverão ser tomados, principalmente na 2a fase, em que o animal se projeta na cavidade pélvica.

Ocorrerão algumas alterações como o início da compressão das artérias e veias do umbigo, causando uma hipóxia momentânea na cria, iniciando assim os seus movimentos respiratórios. Porém, uma hipóxia prolongada pode levar à morte do bezerro.

Normalmente, a cria aparecerá na seguinte sequência: patas dianteiras, focinho, cabeça, corpo e patas traseiras. Dessa forma, qualquer modificação de posição já é característica de parto distócico. Logo após o aparecimento da cabeça, a velocidade de saída do animal fica maior e esse já começa a
respirar.

O ideal é que logo após o início da 2a fase, caso o animal passe por mais de 1 hora sem realizar o parto, que seja feita uma avaliação do posicionamento do bezerro para verificar a necessidade de intervenção.

Gostou do assunto? Quer saber mais sobre o Curso CPT? Assista ao vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos CPT da área Gado de Corte.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Quer mudar de vida e ter sucesso profissional? Vamos te ajudar!