Aprenda a reproduzir o Agapornis

A reprodução do Agapornis é fácil, mas requer muita atenção

Casal de agapornis

A reprodução de pássaros não é uma atividade muito difícil de ser realizada. No caso do agapornis, a única dificuldade consiste em saber fazer a diferenciação sexual e ter a certeza que você possui um macho e uma fêmea para dar início ao processo de reprodução. "Após ter essa certeza, eles cuidarão do processo de acasalamento até a parte da confecção do ninho, de chocar os ovos e de alimentar os filhotes que nascerão", afirma Paul Richard Wolfensberger, professor do Curso a Distância CPT Os Segredos da Criação e Comercialização de Agapornis, em Livro+DVD.

Aconselha-se acasalar casais apenas após 1 ano de vida, para que na hora da postura dos ovos não haja nenhum problema. Outra opção é deixar vários passos em um viveiro que, por conta própria, eles começarão a formar os casais. Para que eles possam confeccionar o ninho, deve-se deixar bastante material à disposição dos pássaros. Folha de palmeira, cascas secas de milho, capim seco ou pedaços de juta, por exemplo, são alguns dos materiais ideais. Mas, não se assuste se a fêmea fizer um ninho e destruí-lo em seguida: as fêmeas costumam refazer o ninho até que fiquem exatamente do jeito que elas querem.

A gaiola escolhida para a reprodução deve ser feita de arame, com medidas aproximadas de 80x50x50cm por casal. Separados em gaiolas, fica mais fácil controlar o casal e os filhotes. Porém, o agapornis é uma espécie que também consegue se reproduzir em viveiros comunitários. Basta tomar cuidado para que haja apenas casais nesse local e mais ninhos do que o número de pares formados. Ainda, é preciso dar atenção à altura dos ninhos, que deve ser a mesma para todos. Com isso, evita-se que haja brigas para disputar o melhor lugar.

Serão postos, normalmente, de 3 a 5 ovos. A fêmea choca-os por aproximadamente 21 dias. Após o nascimento dos filhotes, é preciso dar uma atenção especial à alimentação dos pais, que precisa ser reforçada, pois a nutrição será repassada para os filhotes. Por volta de 45 dias os passarinhos já conseguem sair do ninho e, mais 10 dias depois já estão prontos para serem separados.

Por fim, ainda que a espécie permita a reprodução durante o ano todo, é aconselhável que seja feita 3 vezes ao ano no máximo, de forma a evitar o desgaste do casal.

Quer saber mais sobre o Curso? Dê play no vídeo abaixo:


Conheça os Cursos CPT, em Livros+DVDs e Cursos Online, da área Aves Exóticas.

Matérias relacionadas:


Os Segredos da Criação e Comercialização de Agapornis
Criação Comercial de Canários de Cor e Porte
Criação de Periquitos Australianos

Fonte: Anilhas Capri – anilhascapri.com.br
por Renato Rodrigues

Cursos Relacionados

Curso Criação de Periquitos Australianos Curso Criação de Periquitos Australianos

Com Dr. Renato Azevedo

R$ 298,00 à vista ou em até 12x de R$ 24,83 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Criação Comercial de Canários de Cor e Porte Curso Criação Comercial de Canários de Cor e Porte

Com Prof. Fábio Hosken

R$ 298,00 à vista ou em até 12x de R$ 24,83 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Os Segredos da Criação e Comercialização de Agapornis Curso Os Segredos da Criação e Comercialização de Agapornis

Com Prof. Paul Richard

R$ 298,00 à vista ou em até 12x de R$ 24,83 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Charles

3 de nov de 2018

Oi como eu faço pra comprar um casal moro em Blumenau SC e gostaria de ter uns pois meus filhos estão me pedindo muito.

Resposta do Portal Cursos CPT

5 de nov de 2018

Olá Charles,

Recomendamos que procure por este pássaro em pets especializadas da sua região.

Atenciosamente,

Ana Carolina dos Santos

Outros artigos relacionados à área Aves Exóticas

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade