WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Curió e bicudo: acasalamento em criatório

Em época de acasalamento do curió há grande atividade no criatório, e a atenção do criador deverá ser redobrada

Curio e bicudo

De acordo com Fábio Hosken, professor do Curso a Distância CPT Criação Comercial de Curiós e Bicudos, em Livro+DVD e Curso Online, “Em época de acasalamento do curió há grande atividade no criatório, e a atenção do criador deverá ser redobrada. O ninho deverá estar sempre à disposição da fêmea. É feito com uma armação de arame, na qual é encaixado um revestimento de fibra vegetal”. Normalmente, faz-se um isolamento visual do ninho, com uma placa de cortiça, por exemplo, na parte externa da gaiola.

1- Desinfecção e dimensões da gaiola

Antes de ser colocado na gaiola, o ninho deve ser desinfetado, de preferência sob calor, a 120 graus. As dimensões variam: para o Curió 6 - 8 cm de diâmetro e 4,5 cm de profundidade; para o Bicudo 8 - 9 cm de diâmetro e 5,5 cm de profundidade.

2- Como identificar o momento ideal de acasalamento de curiós e bicudos

Há vários sinais que indicam ter chegado o momento do acasalamento: a fêmea vai ao ninho constantemente, move-se muito, carrega ciscos de sisal (a colocação de feixes de pedaços de sisal na gaiola estimula a fêmea a preparar o ninho) e aumenta o consumo de água. A gaiola do macho, então, é colocada ao lado da gaiola da fêmea, com as janelas de passagem abertas, mantendo-se apenas o separador visual.

3- Como é feito o acasalamento de curiós e bicudos

Ao se retirar o separador, o macho começa o cortejo, enquanto a fêmea abaixa (solicita a cópula), a seguir, o macho passa para sua gaiola e inicia a cobertura. Assim que for realizada a cópula, o macho deve ser cuidadosamente induzido a retornar a sua própria gaiola, e novamente deve ser colocada a barreira visual. Duas cópulas são suficientes para fertilizar todos os ovos de uma postura.


4- Como escolher machos e fêmeas para o acasalamento

Consideramos o início da estação de reprodução, quando o bicudo já está pintado, mas ainda não iniciou a muda para preto, a melhor época para acasalá-lo. Uma fêmea jovem, que esteja rumando no máximo para o seu segundo ano de vida, é a ideal. A fêmea deve ter sido criada sem contato visual com outras fêmeas de modo a que tenha desenvolvido um maior sentimento territorialista, além de ser ativa e fogosa.

5- Como proceder ao cortejo de curiós e bicudos

O casal deve ser mantido em um mesmo ambiente, sem contato visual e sem a presença de outros pássaros por, pelo menos, 15 dias. O único contato permitido é o sonoro. Em uma semana, já iniciam a troca de chamados e após 15 dias já percebem a falta um do outro. A fêmea fica mais agitada quando não escuta o canto do macho por perto ou o escuta mais longe. Se isso não ocorrer em 15 dias, devemos trocar de fêmea e reiniciar o processo. Após 15 dias, devemos permitir que durante alguns minutos por dia os dois se avistem, e já poderemos manejá-los juntos. Colocamos o casal para fora para o banho de sol. Nos passeios levamos o casal. O entrosamento se desenvolverá aos poucos. Carece esclarecer que a escolha da fêmea para acasalamento com um pássaro de competição obedece a nuances específicas em cada caso. Há bicudos que rendem melhor com uma fêmea fria, outros dependem de uma fêmea fogosa, que os estimule com os “quem-quem” característicos. Alguns, antes dos torneios, apreciam dormir vendo a fêmea, outros não. Há bicudos que, separados da sua fêmea, rapidamente acasalam com outra, sem perda do rendimento. Outros que nunca mais apresentam o mesmo rendimento ao mudar de fêmea.

6- Maturidade sexual

Machos, de 12-18 meses e fêmeas, de 6-12 meses.

7- Período de reprodução de curiós e bicudos

Primavera e verão



8- Gaiola do reprodutor

29 cm de comp. x 35 cm de alt. x 25 cm de larg.

9- Período de descanso

Outono e inverno

10- Gaiola da matriz

58 cm de comp. x 35 cm de alt. x 25 cm de larg., com divisória para separar a fêmea dos filhotes no momento certo.

11- Número de ninhadas de curiós e bicudos

Uma regra básica não pode ser esquecida pelos criadores: São três ninhadas por ano e nada mais, mesmo que os pássaros continuem dispostos a prosseguir o processo de reprodução não se deve permitir, ou sequer tentar, uma quarta ninhada. A reprodução deve ser iniciada em setembro e interrompida em março. Assim, dá-se aos curiós sete meses, possibilitando dois meses por ninhada e mais 30 dias para o desenvolvimento do cortejamento inicial.

12- Período de descanso

Em março, após produzirem a terceira ninhada, deve-se interromper o processo com a remoção do ninho e a retirada do cortejador, galador, sonorização mecânica ou qualquer elemento estimulador da reprodução, para que ocorra o esfriamento das matrizes e se inicie o “recesso de descanso”, ou período de recuperação do plantel, compreendido entre a última ninhada e a troca de penas (muda). Esse recesso deve ocorrer entre os meses de abril e maio, quando o criador deve substituir a dieta de cria pela de recuperação do organismo, possibilitando a aquisição do tônus, capaz de suportar os rigores da muda.

13- Poligamia de curiós e bicudos

A adoção da poligamia tem ajudado bastante por meio da utilização de um macho de altíssima linhagem com até dez fêmeas, o que ajuda a melhorar a qualidade do plantel na utilização de um só macho campeão. Esse procedimento ajuda também aproveitar os espaços físicos e melhora a relação custo/benefício porque a manutenção de machos de boa genética é onerosa.



Conheça os Cursos a Distância CPT, em Livro+DVD e Cursos Online, da área Animais Silvestres.
Por Silvana Teixeira.

Salvar

Salvar

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Jose Walddernack Pereira Costa

10 de out. de 2021

Como fazer o curso on-line para reprodução de curios e bicudos?

Resposta do Portal Cursos CPT

2 de dez. de 2021

Olá, José! Como vai? 

Agradecemos sua visita em nosso site! 

Em breve, uma de nossas atendentes entrará em contato para mais informações sobre o curso de Criação Comercial de Curió e Bicudo. 

Atenciosamente, 

Lorena Tolomelli.

Fernando Almeida

12 de set. de 2021

Gostei

Resposta do Portal Cursos CPT

13 de set. de 2021

Olá, Fernando! Como vai?

Fiquei feliz em saber que você gostou da nossa matéria. Não deixe de nos visitar, aqui você encontrará, em nossa sessão de artigos e dicas, muitos outros assuntos interessantes que poderão ajudar você sempre! :)

Forte abraço!

Marcela Teixeira

Jorge Marcos Santana Alves

23 de fev. de 2017

Muito bom as orientações de manejos do curió e bicudo

Resposta do Portal Cursos CPT

23 de fev. de 2017

Olá, Jorge!


Agradecemos pela visita e comentário em nosso site. Continue nos visitando! Diariamente postamos conteúdos dos mais diversos temas que muito podem contribuir para o seu aprendizado.


Atenciosamente,

Equipe CPT de Redação

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Quer mudar de vida e ter sucesso profissional? Vamos te ajudar!