WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Canário-da-terra: habitat, reprodução, alimentação, instalações, torneios e principais doenças

O canário da terra (Sicalis flaveola) ocorre em quase todo o Brasil não amazônico, do Maranhão ao Rio Grande do Sul, habitando regiões descampadas, tais como cerrados, caatingas e campos de cultura

 

O canário-da-terra ou canário chapinha, cujo nome científico é Sicalis flaveola, pertence à ordem dos Passeriformes, que engloba todos os passarinhos. Recentemente, foi classificado na família dos Emberizidae e subfamília Emberizinae, que engloba quase todas os pássaros canoros (canto melodioso) mais conhecidos. Embora seja a espécie mais comum no Brasil, parece-se muito com outros canários, tais como o canário-do-Amazonas (Sicalis columbiana), o Tipio (Sicalis luteola) e, principalmente, o canário do Peru (Sicalis lutea). A semelhança entre as espécies é tamanha que existe possibilidade de cruzamentos entre eles com formação de crias férteis (híbridos).

Entretanto, a soltura de populações híbridas, sem dúvida, causará sérios e irreparáveis danos às populações selvagens. Portanto, ao se misturar diferentes espécies ou subespécies para formação de filhotes com características diferentes, deve-se tomar o cuidado de distingui-los dos indivíduos puros.

Quanto às diversas subespécies (ou raças), podemos citar Sicalis flaveola brasiliensis, que habitam do Maranhão ao Pará; Sicalis f. Pelzelni, de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Argentina e Uruguai.

Habitat e hábito

O canário-da-terra ocorre em quase todo o Brasil não amazônico, do Maranhão ao Rio Grande do Sul, habitando regiões descampadas, tais como cerrados, caatingas e campos de cultura. Ele tem o hábito de andar pelo chão à procura de sementes e insetos. É comum serem encontrado grandes bandos de canários com predominância de aves imaturas. Porém, durante a época de acasalamento, os casais formados separam-se para construir seus ninhos. Na natureza, o macho acompanha e auxilia a fêmea durante todo o processo de criação dos filhotes.

Reprodução

Durante a reprodução, o canário-da-terra vive estritamente em casais, sendo muito fiéis a um território geralmente escolhido pela fêmea e energicamente defendido pelo macho contra aproximação de outros indivíduos da espécie. Ao contrario da maioria das outras espécies do grupo, faz seu ninho em buracos dos mais diversos tipos, desde ocos de pau em cercas ou árvores até ninhos de joão-de-barro e buracos de caveiras de boi dependuradas em cercas. Tal maleabilidade para procriar reflete-se na facilidade de criá-lo em cativeiro.

Postura e incubação

A fêmea pode botar até seis ovos por ninhada, que são chocados por 13 dias. Os filhotes são alimentados pelo casal, que se reveza na função. Aos 13 dias, os filhotes saem do ninho permanecendo com os pais por quase 30 dias. Após certo tempo, o macho expulsa os filhotes e volta a iniciar novo processo de reprodução. Em um mesmo ano, na natureza, um casal pode procriar de duas a três vezes, dependendo das condições do tempo e da disponibilidade de alimentos.

Higiene

Ao contrário da maioria dos passarinhos, o canário-da-terra não cuida muito da higiene de seu ninho, principalmente após alguns dias de vida dos filhotes. No final do processo de criação, é comum encontrar ninhos com fezes em suas bordas.

Alimentação

Como todas as aves de seu grupo (Emberizinae), os canários-da-terra alimentam-se basicamente de sementes diversas, especialmente as de gramíneas (capim). Para isso, desenvolveu um bico especial, capaz de capturar as sementes e separar sua casca. Como complemento de sua dieta básica, os canários também se alimentam de folhas e insetos. Especialmente na época da reprodução, quando estão alimentando seus filhotes, a dieta passa a ter uma porcentagem bem maior de insetos, pois os filhotes necessitam de proteína de boa qualidade.

Expectativa de vida

Em ambientes domésticos, o canário-da-terra pode viver cerca de 30 anos. Eles podem se reproduzir em idade já bem avançada, o que propicia o melhoramento genético, pois, por meio do cruzamento de pássaros campeões, com certeza obteremos filhotes de canário de qualidade.

Instalações necessárias

Os canários-da-terra podem ser criados em viveiros ou gaiolas. No sistema de gaiolas, pode-se adotar a monogamia (criação em casais) ou a poligamia (machos separados das fêmeas). No último caso, pode-se utilizar a proporção de um macho para até cinco fêmeas, o que reduz sensivelmente os custos e aumenta a qualidade do plantel como um todo (não é fácil achar grande número de machos excelentes). A vantagem da criação em casais, é que as fêmeas são ajudadas pelos machos no cuidado dos filhotes, o que resulta em fêmeas mais descansadas e filhotes sempre bem tratados.

Atualmente, com a grande disponibilidade de machos apreendidos no IBAMA, talvez seja mais fácil adotar o sistema de criação em casais. Quanto ao tipo de recinto, normalmente, adota-se o sistema de gaiolas. Embora o trabalho para mantê-las limpas seja maior, os custos de implantação e espaço necessário são muito inferiores. Além disso, o controle que se tem do meio ambiente, bem como das próprias aves e filhotes é bem melhor. A desvantagem das gaiolas é que muitas aves não se sentem à vontade para procriarem, só o fazendo em viveiros.

Torneios de canto

Os canários-da-terra são muito comuns em torneios de canto realizados entre criadores em todo o Brasil. Nesses torneios, são avaliadas três características, em três categorias de competição: a qualidade do canto; a capacidade de repetir intensamente um mesmo canto; e a capacidade de cantar diante de outro exemplar da espécie. Nesse caso, perde aquele que parar de cantar primeiro, sujeitando-se ao vencedor. Quanto mais prêmios um canário obtém nos torneios, mais valorizado será ele e seus descendentes.

Cuidados veterinários e principais doenças

Para se prevenir doenças, além de alimentação e manejo adequados é fundamental uma perfeita higienização de viveiros e instalações de apoio, tais como cozinha, vasilhames, poleiros e ninhos. Com essas medidas, a presença de bactérias indesejáveis, tais como Salmonela spp, e fungos nocivos, tais como Aspergillus spp e endoparasitas, é consideravelmente diminuída, reduzindo, assim, mortes por causas diversas.

VÍRUS
 
A bolba aviária é uma doença virótica contagiosa, mais comum em galiformes e passeriformes. Caracteriza- se pelo aparecimento de nódulos de cor castanha, especialmente, na cabeça e nas patas. A prevenção deve ser feita por meio de vacinação com vírus inativado.

BACTÉRIAS

As bactérias mais comuns de provocarem prejuízos em criatórios são as gran-negativas, em especial as Salmonella spp, Escherichia coli, Klebsiella e Pseudomonas. Geralmente, elas atacam o trato gastroentestinal, mas podem provocar problemas em outros órgãos. Os antibióticos normalmente usados são Cloranfenicol, a Tetraciclina, Ampicilina, Nitrofuracina e Enrofloxacina. Sob qualquer sinal da presença de bactérias, o criador deverá procurar aconselhamento veterinário.

FUNGOS

Os fungos são os maiores problemas enfrentados pelos criadores de aves. As mais comuns são micoses, aspergilosis (Aspergillus fumigatus, A. flavus, e A. niger), e candidíase gastrointestinal (Candida albicans). Quando diagnosticado, o tratamento pode ser feito por meio do uso tópico ou sistêmico de Nystatin nos casos de micoses ou candidíase. Em casos de aspergilosis, o tratamento é bem mais difícil, podendo ser feito com Amfotericina B, Flucitocina ou Itraconazole.

PARASITAS

A coccidiose é mais perigosa em filhotes de canários-da-terra. Sendo assim, recomenda-se fazer tratamento preventivo ou curativo com remédios à base de sulfa, nitrofuranos, ionóforos e outros medicamentos coccidiostáticos. Esse tratamento também pode ser feito preventivamente em aves com uma semana de idade, especialmente se mantidas em gaiolas.

Por Andréa Oliveira.

Conheça mais sobre aves silvestres, acessando os Cursos CPT, da área Animais Silvestres, elaborados pelo Centro de Produções Técnicas.

Entre eles, destacam-se:

Curso CPT Criação Comercial de Canário da Terra (Chapinha)

Curso CPT Criação Comercial de Curiós e Bicudos

Curso CPT Criação Comercial de Canários de Cor e Porte

Curso CPT Os Segredos da Criação e Comercialização de Agapornis

Curso CPT Criação de Periquitos Australianos

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!