WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Abatedouro de animais silvestres - as condições e o estado sanitário dos animais

As condições e o estado sanitário dos animais silvestres a serem abatidos devem ser inspecionados diariamente, evitando seu padecimento e garantindo a qualidade do produto no mercado

Abatedouro de animais silvestres -  as condições e o estado sanitário dos animais

 

As condições e o estado sanitário dos animais silvestres a serem abatidos devem ser inspecionados diariamente. Um dos motivos é não deixar que os animais padeçam e sofram o que caracteriza extrema crueldade para com os mesmos, e o outro motivo é para que o produto comercializado, após o abate, chegue ao mercado consumidor com a máxima qualidade possível.

Neste sentido, os animais que corram o risco de se ferirem mutuamente, devido à sua espécie, sexo, idade ou origem, devem ser mantidos e estabulados separadamente (ex.: raça brava, animais agressivos). Se a demora no abate for inevitável, os animais devem ser protegidos contra as condições climatéricas adversas e beneficiar de uma ventilação adequada. Caso tenham sido submetidos a temperaturas e umidades elevadas, deve-se assegurar que sejam refrescados (ex.: vaporizadores, aspersores de água, ventilação).

Outro ponto de fundamental importância que deve ser seguido, diz respeito aos animais feridos no momento do transporte, quando descarregados no abatedouro, ou aqueles ainda em fase de amamentação. Quanto a isto, as normas ditam as seguintes regras:

1. Os animais em sofrimento ou padecimento, à chegada ou durante o transporte para o matadouro, bem como os animais não desmamados, devem ser abatidos imediatamente. Se tal não for possível, esses animais devem ser separados e abatidos rapidamente, no máximo dentro das duas horas seguintes;

2. Os animais incapazes de andar, machucados durante o transporte para o abatedouro, não devem ser arrastados para o local de abate, mas, sim, mortos no local onde se encontram, ou, quando possível, transportados em um carrinho ou plataforma móvel até o local de abate de emergência, desde que essa forma não acarrete qualquer sofrimento inútil;

3. Os contentores/caixas/grades onde os animais são transportados devem ser manipulados com cuidado, sendo proibido:

- Atirá-los ao chão;

- Deixá-los cair; ou

- Derrubá-los. Tanto quanto possível, devem ser carregados e descarregados horizontal e mecanicamente.

Os animais que, à chegada, não sejam de imediato abatidos, deve ser facultada água potável distribuída por dispositivos adequados. Se não forem abatidos nas 12 horas subsequentes à chegada, devem ser alimentados em quantidades moderados e em intervalos adequados. Neste último caso, os animais devem estar estabulados, e, se for caso disso, presos, mas de modo a que se possam deitar sem dificuldades.

Aprimore seus conhecimentos, acessando os Cursos CPT, da área Animais Silvestres, entre eles o Curso Abate e Comercialização de Animais Silvestres, elaborados pelo Centro de Produções Técnicas.

Saiba mais sobre o abate de animais silvestres, acessando o artigo abaixo:

Abatedouro de animais silvestres - correta operação evita crueldades e perdas financeiras

Abatedouro de animais silvestres - higienização das instalações e equipamentos

Abatedouro de animais silvestres - critérios para as instalações do matadouro

Por Silvana Teixeira

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!