WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Esquenta Black Friday 25%OFF nos cursos online

Como é feito o processamento de palmito

As conservas de palmito vêm das técnicas fundamentadas nas boas práticas de conservação e higienização na agroindústria

Como é feito o processamento de palmito

“As conservas de palmito vêm das técnicas fundamentadas nas boas práticas de conservação e higienização na agroindústria. Ao longo de todo o processamento do palmito, cada etapa deve ser seguida, criteriosamente, para um produto final com alto padrão de qualidade”, ressalta José Roberto Moro, Doutor em genética e melhoramento de plantas e professor do Curso CPT Produção de Palmito de Pupunha.

Corte


O palmito é cortado a partir da base, a 9 centímetros, com o auxílio de um molde de aço inox, tanto no processamento industrial como no artesanal. Para padronizar os toletes, eles devem ser separados em dois tipos, originados dos dois primeiros e dois últimos cortes.

Envase


A distribuição dos palmitos nos vidros deve buscar a boa apresentação do produto e a facilidade para o consumidor retirar o palmito do vidro. No processo, eles devem ser envasados cuidadosamente, para garantir a sua preservação estrutural e evitar a sua desintegração ao ser cozido. Basta alternar a base com a ponta de cada tolete no fundo do vidro.

Salmoura


Para fazer a salmoura, são necessários sal, ácido cítrico e água em proporção conforme a quantidade de palmitos a ser envasada. Ela pode ser adicionada no vidro quente (temperatura de 80°C) ou fria (temperatura ambiente), até que todos os palmitos estejam totalmente submersos na solução. Entre a salmoura e a tampa do vidro, deve haver um espaço de 15 milímetros.

Esterilização


A esterilização dos vidros é realizada em banho-maria. Os vidros devem ficar submersos com volume de água acima de 5 cm das tampas (ou mais). O tempo de fervura pode variar entre 25 e 60 minutos (depende do tamanho do vidro), a partir do momento em que a água entra em ebulição a 100°C.

Resfriamento


O resfriamento deve ser gradual para que não ocorra choque térmico nos vidros. Aos poucos, coloca-se água fria na parte superior do banho-maria, até que a temperatura da água seja reduzida para 40°C. Normalmente, a água do resfriamento é clorada para impedir qualquer tipo de contaminação por microrganismos patogênicos.

Armazenamento


Os vidros com palmito devem ser armazenados em ambiente limpo, seco, escuro, ventilado e com temperatura amena. Antes de seguir para a comercialização, é realizado um controle de qualidade, com monitoramento do produto por 15 dias. O objetivo é observar possíveis alterações indicativas de deterioração, como turvamento na salmoura e estufamento na tampa.

Conheça os Cursos CPT da Área Agroindústria:

Produção de Palmito de Pupunha

Produção de Palmito de Açaí

Cultivo de Palmeira-Real para Produção de Palmito

Fonte: ICIAG - fruticultura.iciag.ufu.br

Por Andréa Oliveira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!