WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Ligue Agora (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Adubação nitrogenada e fosfatada em cana-de-açúcar: como fazer

A maioria dos trabalhos envolvendo adubação nitrogenada em cana-de-açúcar mostra que a cana-planta normalmente não responde ao nitrogênio, Já a cana-soca, a resposta é muito boa

Adubação nitrogenada e fosfatada em Cana-de-açúcar: como fazer   Artigos Cursos CPT

 

A explicação para este fato é que, na rizosfera (região próxima das raízes) da cana-planta, existem grandes populações de bactérias assimbióticas que fixam mais nitrogênio, já que o solo foi preparado recentemente e a sua maior aeração facilita o aumento da população bacteriana. "Além disso, na cana-soca, a compactação do solo reduz a areação do solo e, consequentemente, a população de bactérias na rizosfera é menor, com pequena fixação de nitrogênio", afirma Dr. Luiz Antônio de Bastos Andrade, professor do Curso a Distância CPT Cultivo de Cana-de-açúcar para Produção de Cachaça, em Livro+DVD e Curso Online.

Também a absorção de nitrogênio é maior e mais rápida no início do ciclo da soca. Assim, para a cana-planta, a adubação nitrogenada normalmente é dispensável, havendo necessidade de sua aplicação (60 kg de Na/ha, em cobertura, aos 60 dias pós-plantio) apenas nos seguintes casos:
- solos que vão ser cultivados pela primeira vez com cana;
- áreas de cultivo mínimo;
- solos de alto potencial de produção;
- área de colheita de cana crua; e
- solos com baixos teores de matéria orgânica.

Para a cana-soca, deve-se aplicar o equivalente a 80 kg de N/ha colocado em ambos os lados da linha remanescente de cana. No caso de presença da palha na área, a adubação pode ser feita sobre a palhada. Não se deve aplicar N sob a forma de ureia, na presença de palha; há muita volatilização. A aplicação de N é na forma de nitrito e, ou, de nitrato de amônia. Nas áreas de aplicação de vinhaça (complementada com N), não é necessário aplicar nitrogênio nas soqueiras.

Ao contrário do que ocorre com o nitrogênio, a cana-planta responde muito bem à adubação fosfatada. Já a cana-soca normalmente não responde (devido ao efeito residual do fósforo colocado no plantio), exceto quando há teores baixos de fósforo no solo. Na cana-planta, aplica-se o fósforo de uma só vez, no fundo do sulco de plantio, com base na análise do solo e na produtividade esperada.

Na cana-soca, a adubação fosfatada também deve ser aplicada de um a só vez, após o corte do canavial, em ambos os lados das linhas remanescentes da cana, na profundidade de 20 cm (cultivador de soqueira) ou em cobertura, com posterior passagem do cultivador simples, visando sua incorporação no solo. Aplica-se o equivalente a 40 kg de P2O5/ha quando o teor de fósforo no solo, detectado pela análise, for baixo. Quando os teores de fósforo forem médios ou altos, a adubação fosfatada da soqueira pode ser dispensável.

Aprimore seus conhecimentos sobre o assunto. Leia as matérias CPT abaixo:


- Cana-de-açúcar: espaçamento e profundidade para o plantio
- Cana-de-açúcar: principais pragas e métodos de controle

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos a Distância CPT, em Livros+DVDs e Cursos Online, da área Agroindústria.
Por Silvana Teixeira

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!