WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Tomates para a indústria - colheita manual, mecanizada e transporte

O padrão de qualidade exigido pela indústria de processamento de tomates são frutos completamente maduros, com coloração vermelho-intensa e uniforme, sem impurezas nem danos mecânicos e fisiológicos

O padrão de qualidade exigido pela indústria de processamento são frutos completamente maduros, com coloração vermelho-intensa e uniforme.

O padrão de qualidade exigido pela indústria de processamento de tomate são frutos completamente maduros, com coloração vermelho-intensa e uniforme.

Os principais Estados brasileiros produtores de tomate para a indústria são Minas Gerais, São Paulo, Goiás, Bahia, Pernambuco e Ceará. Nessas regiões, destacamos o Triângulo Mineiro e o Cerrado de Goiás, onde a baixa umidade relativa do ar, as temperaturas amenas e o uso de máquinas permitem alcançar uma produtividade de 61 t/ha, bastante superior à média nacional de 46 t/ha. Na maioria dos cultivares de tomateiro, os frutos atingem o ponto de colheita com 110 a 120 dias após a germinação ou com 90 a 100 dias após o transplante. A colheita pode ser realizada manualmente ou com a utilização de colhedeira automotriz.

Pontos importantes da colheita manual

- Os trabalhadores devem ser distribuídos em grupos, cada um administrado por um fiscal que orienta sobre os cuidados na colheita, faz o controle de qualidade, controla a distribuição das caixas e registra a produção de cada trabalhador;
- Os colhedores devem ser orientados para não pisarem, assentarem ou colocarem as caixas de colheita sobre as plantas e os frutos;
- Os trabalhadores devem selecionar os frutos durante a colheita, eliminando aqueles que estão podres, maduros demais; murchos, ou com sintomas de ataque de pragas e doenças;
- Os tomates são colocados dentro de caixas plásticas, do tipo cruzeiro, com capacidade para 20 a 22 kg;
- Geralmente, a colheita manual é feita em duas etapas: a primeira, quando de 70% a 80% dos frutos estão maduros e a segunda entre 10 e 15 dias após a primeira;
- O rendimento médio da colheita manual é de 70 caixas por trabalhador, por dia de serviço, quando a lavoura apresenta boa produção e alta porcentagem de frutos maduros.

Pontos importantes da colheita mecanizada

- Para realizar a colheita mecanizada, o solo deve estar bem preparado e não ter pedras, troncos de árvores e outros obstáculos que danifiquem as lâminas de corte, pois estas trabalham bem próximas à superfície do solo;
- A cultivar plantada deve ter crescimento determinado, maturação concentrada, e os frutos devem ser firmes e ter baixa incidência de podridão;
- O rendimento é de mais os menos 15 t/h, correspondendo a 3,0 ha/dia;
- Tem as vantagens de diminuir a disseminação de pragas e doenças na lavoura, pois diminui o trânsito e pessoas e caixas na lavoura;
- Entre as desvantagens, a qualidade final do produto é pior que na colheita manual, pois contém mais impurezas e os frutos podem sofrer mais danos.

Cuidados pós-colheita

O padrão de qualidade exigido pela indústria de processamento de tomates são frutos completamente maduros, com coloração vermelho-intensa e uniforme, sem o pedúnculo e outras impurezas, livres de sintomas de pragas e doenças, danos mecânicos e fisiológicos.

“Alguns defeitos são tolerados dentro dos limites estabelecidos pela Portaria número 278, de 30 de novembro de 1989, do Ministério da Agricultura e do Abastecimento”, afirma o professor Marcos Tadeu de Moraes Sala Sansão, do curso Produção de Tomate para a Indústria, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas.

Danos graves

Verde: Tomate imaturo que apresente mais de 50% de sua superfície verde.
Bichado ou brocado: Tomate com presença de larvas ou seus efeitos (furados).
Mofado: Tomate apodrecido, em decorrência da ação de fungos.
Desintegrado: Tomate ou fragmentos em decomposição, devido à excessiva compressão ou ação de agentes microbiológicos.
Pequeno: Tomate com diâmetro horizontal menor ou igual a 15 mm.

Demais danos

Descolorido: Tomate com a coloração amarela (fisiológico), que jamais atinge o ponto ideal de maturação.
Com rachadura superficial ou lesionados: Tomate com fenda na película ou atingindo a polpa, mas sem perda de líquido. Tomate com ferimentos ou depressões, devido à ação de granizo ou outras causas mecânicas, porém sem contaminação microbiológica.
Murcho: Tomate sem turgescência, enrugado ou flácido.
Com cor preta: Tomate com necrose na polpa ou na placenta.
Com pedúnculo: Tomate com pedúnculo aderido.

Os trabalhadores devem selecionar os tomates durante a colheita manual, eliminando aqueles que estão podres, maduros demais.

Os trabalhadores devem selecionar os tomates durante a colheita manual, eliminando aqueles que estão podres, maduros demais.

Recomendações durante a colheita

Colheita manual

Os trabalhadores devem ser orientados para não pisarem nos frutos e não colocarem as caixas de colheita sobre eles. Recomenda-se colocar os frutos em caixas pequenas, de modo a reduzir a compressão das camadas superiores sobre as camadas inferiores de frutos. Os frutos podem sofrer injúrias ao serem despejados das caixas na carroceria do caminhão.

Colheita mecanizada

A colheita mecanizada causa danos maiores que a colheita manual, devido ao impacto durante o processo de separação dos tomates da planta e durante a descarga na carroceria do caminhão. Para reduzir esses problemas, na colheita mecanizada, é importante plantar cultivares que têm os frutos mais firmes e escolher o ponto exato de colheita.

Transporte para a indústria

Em geral, o transporte dos tomates para a indústria é feito a granel. Mas, esse tipo de transporte tem o inconveniente de causar uma grande compressão das camadas de frutos de baixo, causando perdas por amassamento. Outro problema pode ocorrer durante o descarregamento de caixas dentro das carrocerias dos caminhões, quando os frutos são arremessados de alturas que chegam a dois metros. O impacto causa injúrias mecânicas, que reduzem a qualidade dos frutos e aumentam as perdas pós-colheita. Essas injúrias alteram as características físicas e químicas dos frutos e favorecem a contaminação por fungos e bactérias.

O período de espera entre a colheita e o início do processamento depende do tempo em que o produto espera pelo transporte, no campo, e o tempo gasto na estrada. Esse intervalo de tempo deve ser o menor possível, para reduzir as perdas e manter a qualidade da matéria-prima, uma vez que os frutos estragados entram rapidamente em processo de deterioração. Assim, a distância entre a área de produção e a indústria, bem como as condições da estrada, afetam a qualidade da matéria-prima. Normalmente, essa distância nunca pode ser maior que 250 quilômetros.

Outros artigos relacionados ao tema:

Tomate hidropônico - controle doenças e pragas e obtenha sucesso na produção.
Tomate seco, uma ótima alternativa para o excedente da produção.

Confira mais informações, acessando os cursos da área Agricultura.

Por Andréa Oliveira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Comentários

Afelina Mateus

27 de out. de 2021

Quero abrir uma industria de provessamentos de tomates em Moçambique

Resposta do Portal Cursos CPT

22 de dez. de 2021

Olá, Afelina! Como vai? 

Já que deseja iniciar nesse ramo, que tal conhecer nosso Curso de Produção de Tomate para indústria e de como Administrar sua Indústria, que com certeza te auxiliará no desenvolvimento nessas áreas. 

Em breve, uma de nossas consultoras entrará em conato com mais informações sobre o curso! 

Atenciosamente, 

Lorena Tolomelli. 

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Quer mudar de vida e ter sucesso profissional? Vamos te ajudar!