WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Torne realidade o sonho de viver do que você ama! 20% OFF nos cursos online + 5% OFF pagando no cartão

Como fazer composto orgânico a partir de esterco bovino

Aprenda como produzir composto orgânico para adubação a partir de esterco bovino

Esterco bovino

A fertilização do solo é muito importante para a produção rural. Existem diferentes maneiras de fertilizar o solo, seja a partir de produtos químicos como a partir de insumos naturais. Os compostos orgânicos são uma boa alternativa para adubação natural e sustentável, garantindo uma produção com menos agroquímicos.

De acordo com Júlio César Neves, professor do Curso a Distância CPT Aplicação Econômica de Adubos, o aumento da produtividade agrícola é resultado de técnicas adequadas de fertilização. O principal objetivo da adubação é manter ou aumentar a quantidade de nutrientes do solo para atender as exigências das plantas.

Compostos orgânicos são fertilizantes produzidos com base em matéria orgânica. Suas vantagens, além do fornecimento de nutrientes para as plantas, também são: melhoria das condições químicas, físicas e biológicas do solo e facilidade de produção.

Produzir composto orgânico rico em nutrientes e que pode ser utilizado em diferentes culturas a partir de uma formulação simples e com materiais fáceis de serem encontrados é uma tarefa simples. Para iniciar a produção, é importante escolher um local, que deve ser plano, sombreado e ter disponibilidade de água. Listaremos, a seguir, os materiais necessários e explicaremos o passo a passo dessa produção.

Materiais necessários

- 80 carrinhos de mão de capim triturado;

- 12 carrinhos de mão de folhas de bananeira;

- 40 carrinhos de mão de esterco bovino.

Montagem em camadas

A pilha é formada por quatro camadas, cada uma com 20 carrinhos de mão de capim triturado, 3 carrinhos de mão de folhas de bananeira de 10 carrinhos de mão de esterco bovino seco.

Após formar cada uma das camadas, molhe-a até começar a escorrer água na base, e em seguida pare de molhar. Repita o procedimento em todas as camadas.

Ao finalizar a montagem e molhar a última camada, a pilha de compostagem estará montada. Cubra-a com folhas de bananeira ou palhas para manter a umidade.

Reviragem

A pilha deverá ser revirada de 15 em 15 dias até os 60 dias de montagem. Em seguida, deverá descansar por mais 30 dias. Ao final de 90 dias, o composto estará pronto. A cada reviramento, deve-se molhar a pilha e checar sua umidade.

Temperatura

A temperatura deve estar em torno de 60° durante o processo de compostagem, principalmente no início. Para checar a temperatura, basta deixar uma barra de ferro no meio da pilha e retirá-la semanalmente, checando sempre a temperatura.

Até os 60 dias de compostagem a barra sairá quente, mas será suportável tocá-la. Caso esteja muito quente, pode ser excesso de água. Caso ela saia fria, é falta de umidade.

Finalização do composto

Quando completarem os 90 dias de compostagem, o composto apresentará cor escura, cheiro de terra mofada e estará em temperatura ambiente. Nessas condições, ele estará pronto para uso.

 


Conheça os Cursos CPT da Área Agricultura:

Curso Aplicação Econômica de Adubos
Curso Adubação de Pastagens
Curso Análise de Solo e Recomendação de Calagem e Adubação

Fonte: OrganicsNet – Organicsnet.com.br
Por Renato Rodrigues

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!