Quer aumentar em 5 vezes sua produtividade de feijão?

O húmus e a matéria orgânica sobre o solo impedem a elevação da temperatura do solo, aumentam a absorção de nutrientes, desenvolvem o sistema radicular do feijão e aumentam a produtividade

Quer aumentar em 5 vezes sua produtividade do feijão?    Artigos Cursos CPT

 

O húmus e a matéria orgânica (biomassa) são maus condutores de calor e isso vem contribuir para impedir a elevação demasiada da temperatura do solo, produzida pela radiação solar. Estudo realizado por Miyasaka et al. (2003) veio demonstrar que, em solo normal, a 5 cm de profundidade, a oscilação da temperatura diária pode chegar a 30°C, em determinado período, enquanto em parcelas dispostas ao lado e que receberam incorporação de matéria orgânica, a oscilação de temperatura não passou, em média, de 10°C.

“Essa diminuição da variação da temperatura do solo favoreceu, significativamente, no estudo realizado, a absorção de determinado nutriente pela planta de feijão e o desenvolvimento do seu sistema radicular (feijão tem raízes pouco profundas) e como consequência aumento da produtividade em cerca de 4,5 vezes”, afirma Kunio Nagai, professor do Curso a Distância CPT Agricultura Natural, em Livro+DVD e Curso Online.

Influência da matéria orgânica (biomassa) e do húmus nas propriedades químicas do solo


1- Fornecimento de nutrientes
Os organismos que vivem no solo (principalmente microrganismos) realizam a decomposição da matéria orgânica, tornando disponíveis os elementos químicos (nutrientes) presentes nos tecidos do referido material. Os principais nutrientes fornecidos são nitrogênio,
fósforo, enxofre e micronutrientes. A matéria orgânica contém, em média, 95% do nitrogênio
encontrado no solo, de 15% a 80% do fósforo e de 50% a 70% do enxofre.

2- Controle do pH do solo
O húmus contribui para que o solo fique com um índice de pH mais favorável às plantas, reduzindo tanto a acidez quanto a alcalinidade.

3- Capacidade de troca de cátions (CTC)
O húmus acha-se em estado amorfo e exibe uma superfície muito maior que a argila, apresentando, consequentemente, uma capacidade de troca muito superior que a das argilas. Sendo assim, é capaz de absorver os cátions existentes na solução do solo, e depois cedê-los às raízes ou efetuar trocas, quando ocorre variação de pH, ou na concentração de íons. A CTC dos minerais de argila está, geralmente, compreendida entre 8 a 100 miliequivalentes por 100 gramas de material seco, enquanto a do húmus é estimada em 150 a 300 meq/100 g.

- Poder tampão
O poder tampão dos solos é função da capacidade de troca catiônica. Como o húmus apresenta elevada CTC, o teor de húmus no solo tem correlação com o seu efeito tampão. Isto significa, na prática, que os solos mais ricos em matéria orgânica decomposta ou húmus são mais resistentes à mudança de pH, o que implica na necessidade de maior quantidade de calcário nos solos orgânicos que nos solos minerais, para mudar seu grau de acidez.

- Adsorção iônica
A adsorsão iônica é um fenômeno físico-químico onde ocorre a retenção eletrostática de um cátion em uma massa. O húmus e a argila são dois coloides eletronegativos e, portanto, têm a capacidade de reter cátions. O húmus tem maior poder de absorção de cátions que a caulinita (argila mais comum nos solos brasileiros). Por isso, maior teor de húmus no solo implica maior quantidade de nutrientes essenciais (cátions) adsorvidos e que podem ser liberados para as plantas.

- Superfície específica
A matéria orgânica humificada eleva a superfície específica do solo. O húmus tem uma superfície específica, ou seja, uma área de exposição superficial, 70 vezes maior que a da caulinita. A maior superfície específica aumenta o poder de retenção e fornecimento de nutrientes e de água dos solos.

- Composto orgânico como quelado
Certos compostos orgânicos têm a propriedade de se ligar com íons metálicos como ferro, manganês, alumínio, zinco e cobre, tornando-os complexos. Esse fenômeno é chamado de quelação e os metais que a eles se ligam de metais quelados. Os metais quelados permanecem solúveis e, em determinadas condições, podem ficar disponíveis às plantas, à medida que deles necessitem. O ferro, o manganês e o alumínio são considerados elementos tóxicos, quando aparecem em excesso. Devido ao seu poder de quelação, a matéria orgânica humificada corrige a toxidez desses solos.

Quer saber mais sobre o assunto? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos a Distância CPT, em Livros+DVDs e Cursos Online, da área Agricultura Orgânica.
Por Silvana Teixeira.

Cursos Relacionados

Curso Produção de Morango Orgânico Curso Produção de Morango Orgânico

Com Prof. Dr. Afonso Peche, Prof. Aurélio Carpalhoso...

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Cultivo Orgânico de Alho, Cenoura, Baroa, Beterraba e Batata-Doce Curso Cultivo Orgânico de Alho, Cenoura, Baroa, Beterraba e Batata-Doce

Com Prof. Dr. Jacimar Souza

R$ 398,00 à vista ou em até 12x de R$ 33,17 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais
Curso Agricultura Natural Curso Agricultura Natural

Com Prof. Kunio Nagai, Prof. Newton Miyasaka e Prof. D...

R$ 428,00 à vista ou em até 12x de R$ 35,67 sem juros no cartão

Frete Grátis 2 ou mais Cursos
Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Outros artigos relacionados à área Agricultura Orgânica

Últimos

Mais Lidos

Atendimento Online
Quer Facilidade